PUBLICIDADE
Topo

OMS: não há evidências de que infectado não possa ter coronavírus de novo

Anton Petrus/Getty Images
Imagem: Anton Petrus/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

25/04/2020 09h11

A OMS (Organização Mundial da Saúde) afirmou, em levantamento publicado na noite de ontem, que "não há evidências de que as pessoas que se recuperaram da covid-19 tenham anticorpos e estejam protegidas contra uma segunda infecção".

O órgão rechaçou ainda o chamado "passaporte de imunidade" (ou "certificado sem risco"), citado por alguns governos como item que permitiria que pessoas recuperadas do coronavírus pudessem voltar à normalidade graças aos anticorpos produzidos.

O relatório foi baseado em 20 estudos científicos e mostra temor por uma nova onda de contágios, justamente pela tese de que todas as pessoas recuperadas criem anticorpos suficientes contra o vírus.

"O uso de tais certificados pode, portanto, aumentar os riscos de transmissão continuada", alertou a OMS.

De acordo com a universidade Johns Hopkins, mais de 2,8 milhões de pessoas ao redor do mundo contraíram o vírus até o momento. O total de mortes está quase na casa de 200 mil.

Internacional