PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Austrália investiga se tubarão preso em rede é o mesmo que matou surfista

Surfista morreu na Austrália após ser atacado por tubarão - Reprodução/Twitter
Surfista morreu na Austrália após ser atacado por tubarão Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

09/09/2020 10h47

As autoridades da Austrália vão investigar se um tubarão-tigre morto que ficou preso em uma rede em uma praia do país é o mesmo que matou um surfista em um ataque ontem.

Nick Slater, 46 anos, foi atacado na popular praia de Greenmount Beach, na faixa turística de Gold Coast, em um raro caso registrado em uma praia protegida por redes de tubarões.

A premiê de Queensland, Annastacia Palaszczuk, disse que um grande tubarão-tigre foi encontrado após a morte de Slater emaranhado em uma rede perto de Greenmount Beach.

"Outras investigações serão conduzidas para descobrir se há alguma ligação entre isso e o ataque fatal", disse Palaszczuk ao Parlamento estadual

Sua morte é apenas o segundo ataque fatal de tubarão em uma das 85 praias de Queensland protegidas por redes desde 1962, disse o governo estadual.

O primeiro foi um nadador de 21 anos que foi atacado por mais de um tubarão em uma praia com rede na Ilha North Stradbroke, ao norte da Gold Coast, em 2006.

As redes para tubarões são suspensas em flutuadores e correm paralelas às praias. Eles têm 186 metros de comprimento e 6 metros de profundidade. Os tubarões podem nadar sob as redes e em torno de suas pontas.

Um inquérito do Senado em 2017 descobriu que as redes de tubarões de Queensland criam mais mal do que bem. O comitê do Senado disse que as redes dão aos banhistas uma falsa sensação de segurança enquanto prendem e matam espécies marinhas protegidas, incluindo baleias e tartarugas.

Com informações da agência AP.

Internacional