PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Mulher corre risco de ser presa por fazer vídeo alimentando urso no TikTok

Publicação teve mais de 500 mil visualizações e incrimina usuária - Reprodução/TikTok
Publicação teve mais de 500 mil visualizações e incrimina usuária Imagem: Reprodução/TikTok

Colaboração para o UOL, em São Paulo

20/10/2020 11h36

Um vídeo gravado no TikTok pode render até 6 meses de prisão para Kristin Hailee Farris. De férias na cidade de Gatlinburg, no Tennesse estado dos EUA, ela postou um vídeo no aplicativo dela alimentando um urso preto em uma reserva natural. O ato é considerado crime e pode render uma multa de US$ 500, cerca de R$ 2800, e até 6 meses de prisão.

A moça de 21 anos publicou o vídeo em seu TikTok no dia 30 de setembro. Na publicação com mais de 500 mil visualizações, ela alimentava o urso com melancia, chocolate e alguns outros alimentos. De acordo com um comunicado de imprensa do Tennessee Wildlife Resources Agency, órgão responsável pela reserva, atividade põe em risco tanto os humanos quanto os animais.

A alimentação ilegal de ursos é um delito de 'classe B' no Tennesse. Procurada pela CNN americana, Kristin não comentou sobre as acusações. Ela será atuada pelo crime que pode acarretar uma multa de US$ 500, cerca de R$ 2800, e até 6 meses de prisão.

Gatlinburg é uma cidade turística localizada nas montanhas ao leste do Tennessee. Devido à proximidade com a natureza, avistamentos de animais selvagens são frequentes no local.

Regulamentações foram postas em prática, no ano de 2000, proibindo qualquer pessoa de alimentar ursos negros ou deixar comida, ou lixo, de uma forma que pudesse atrair ursos, disse a Agência de Recursos da Vida Selvagem.

Os regulamentos se aplicam a uma área de 9,6 metros quadrados em Gatlinburg e têm como objetivo "criar uma zona tampão para impedir que os ursos se aproximem da cidade, se não forem alimentados", como afirma o comunicado.

"O desejo irresistível de ter um encontro próximo com um urso preto é estranhamente mais poderoso do que o bom senso", conta o sargento de vida selvagem David Sexton. "Muitas pessoas alimentam ursos intencionalmente, sem se importar com as terríveis consequências para os ursos e para os humanos que isso pode deixar para trás."

Internacional