PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Jovem que foi encontrada viva em saco funerário morre 'pela segunda vez'

Beauchamp morre menos de dois meses após "ressucitar" - Beuchamp Family
Beauchamp morre menos de dois meses após "ressucitar" Imagem: Beuchamp Family

Colaboração para o UOL, em São Paulo

20/10/2020 11h19

A jovem norte-americana Timesha Beauchamp, de 20 anos, "morreu pela segunda vez" no último domingo (18), menos de dois meses depois de ter sido encontrada viva dentro de um saco de corpos de uma funerária. Ela estava sendo sepultada em Southfield, nos EUA, quando funcionários do espaço notaram que ela ainda respirava. Agora, a família afirma que ela pôde enfim "morrer em paz". Timesha sofria com danos cerebrais causados por um problema de oxigenação em janeiro.

A autoridade médica de Oakland havia apontado, em agosto, a falta de um laudo médico após a "primeira" morte da jovem ser constatada. Um agente funerário percebeu que a mulher estava viva depois de ela ter ficado duas horas dentro de um saco cadavérico lacrado. Beauchamp havia sofrido uma convulsão e foi declarada morta depois de realizar a RCP, mas, pouco tempo depois, o erro foi corrigido.

A mãe dela, Erica Lattimore, havia questionado mais de uma vez se o diagnóstico dos paramédicos estava correto. A avó, que trabalhou como enfermeira, havia notado que a neta ainda havia pulso. Porém, a funerária era taxativa a respeito da morte, tendo que se retratar depois que ela foi encontrada viva no funeral.

Dessa vez, é fato. A família, lamentando a morte dela, declarou: "Essa é a segunda vez que a nossa amada Timesha foi declarada morta, mas agora ela não voltará mais". No documento, os familiares afirmam estarem devastados com a partida da jovem.

Internacional