PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
2 meses

Tribunal na Geórgia rejeita última apelação eleitoral de Trump

Ao questionar eleições, Trump cria desafio sem precedentes para democracia americana - Saul Loeb/AFP
Ao questionar eleições, Trump cria desafio sem precedentes para democracia americana Imagem: Saul Loeb/AFP

Do UOL, em São Paulo

13/12/2020 17h12

O presidente Donald Trump perdeu sua última ação judicial que buscava anular os resultados das eleições presidenciais na Geórgia.

O processo —com alegações de fraude generalizada da eleição no estado— foi aberto em 4 de dezembro, mas acabou rejeitado pelo Tribunal Superior do Condado de Fulton porque a papelada foi preenchida inadequadamente.

O caso, então, foi levado diretamente para a Suprema Corte estadual. Em uma breve resposta, os juízes escreveram que "os peticionários não demonstraram que este é um daqueles casos extremamente raros que invocariam nossa jurisdição original".

Mesmo com os processos movidos por Trump sendo rejeitados em todo o país, o presidente segue repetindo alegações de fraude.

Na Geórgia, ele chegou a criticar o secretário de Estado Brad Raffensperger e o governador Brian Kemp, ambos republicanos.

Raffensperger, porém, tem sido firme na defesa da integridade da eleição no estado, e Kemp disse não ter poder para interferir no resultado das eleições.

Os resultados certificados por Raffensperger no mês passado mostraram que Biden liderou por uma margem de 12.670 votos, ou 0,25% dos cerca de 5 milhões de cédulas. Uma auditoria envolvendo a contagem manual também provou vitória de Biden.

"Agora contamos as cédulas legalmente lançadas três vezes, e os resultados permanecem inalterados", disse Raffensperger na ocasião.

"Não houve fraude", diz aliado de Trump

Band Notí­cias

Internacional