PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Jornalista que revelou Watergate compara últimos dias de Trump e de Nixon

O jornalista Carl Bernstein, corresponsável por causar a queda de Richard Nixon nos anos 1970 - Reprodução/CNN
O jornalista Carl Bernstein, corresponsável por causar a queda de Richard Nixon nos anos 1970 Imagem: Reprodução/CNN

Do UOL, em São Paulo

15/01/2021 20h46

O jornalista Carl Bernstein comparou os momentos finais da presidência de Donald Trump aos de Richard Nixon, presidente que renunciou ao cargo em 1974 durante um processo de impeachment. Para Bernstein, os dois mereciam perder o mandato, mas ele destaca que Nixon teve momentos introspectivos em seus últimos dias, enquanto Trump continua a defender sua posição.

"A real diferença nos últimos dias é que Nixon não era um presidente iludido, perturbardo e fora de controle, que precisa ser detido em uma camisa de força constitucional, que é o que está acontecendo agora", disse o jornalista em entrevista à CNN. "Nixon em seus últimos dias, apesar de estar bêbado em parte do tempo, ficou introspectivo. E depois, em sua despedida, ele disse 'eu dei a eles uma espada'. Não vamos ver nada como isso, esse tipo de entendimento do Donald Trump". explicou Sobre Trump, ele afirmou: "Pessoas ao seu redor estão tentando contê-lo porque acham que ele é perigoso. Ele não tem nenhuma ideia do interesse nacional dos Estados Unidos.

Bernstein comparou os processos de impeachment dos dois presidentes, e destacou que Trump ainda têm apoio de parlamentares do seu partido. "Nixon não inspirou e celebrou um motim. Nixon foi um presidente criminoso, que mereceu ter que deixar o posto. Republicanos o tiraram do cargo, forçaram sua renúncia. Muito diferente do que vimos com o Trump. Os republicanos o capacitaram e permitiram que ele ficasse no cargo."

O jornalista e comentarista político, também falou sobre, na eventualidade de Trump renunciar como fez Nixon, a possibilidade de o vice-presidente, que assumiria o cargo, conceder-lhe um perdão: "Se o [vice-presidente Mike] Pence estivesse disposto a perdoá-lo, ele estaria disposto a aceitar, mas ele não confia no Pence para fazer isso. No caso de Nixon, Ford esperou um mês antes de perdoar Nixon. Ele se recusou a perdoar Nixon nos últimos dias, mas um mês depois decidiu, pela unidade do país e para que ele tivesse a sua própria presidência, que ele iria perdoar Nixon."

Carl Bernstein é um dos jornalistas que revelaram o caso Watergate, escândalo que levou à renúncia do presidente do partido Republicano Richard Nixon em 1974. O caso marcou a história política dos Estados Unidos e foi retratado no filme "Todos os Homens do Presidente" (1976).

Donald Trump foi o primeiro presidente dos Estados Unidos a ter o impeachment aprovado duas vezes na Câmara dos Deputados. Trump aguarda a votação do impeachment no Senado, que só deve acontecer depois do dia 20 de janeiro, quando ele entrega o cargo ao presidente eleito Joe Biden.

Internacional