PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Norte-americana diz que morreu por 37 segundos e viu seu corpo 'de cima'

Stephanie Arnold afirma que "morreu" por 37 segundos depois de dar à luz o segundo filho - Reprodução/Twitter/Netflix
Stephanie Arnold afirma que 'morreu' por 37 segundos depois de dar à luz o segundo filho Imagem: Reprodução/Twitter/Netflix

Colaboração para o UOL, em São Paulo

19/01/2021 11h53

Uma mulher chamada Stephanie Arnold, de Chicago, nos Estados Unidos, relata que viveu uma experiência sobrenatural, pois "morreu por 37 segundos", logo depois do parto do seu segundo filho. Na ocasião, ela conta que viu seu corpo "de cima" na sala de operações da maternidade.

O caso ocorreu em 2013, mas voltou à tona depois que foi retratado pela série documental da Netflix, "Surviving Death", que estreou no último dia 6 de janeiro. A produção "conta histórias de pessoas e analisa experiências de quase morte, reencarnação e fenômenos paranormais", segundo a própria plataforma de streaming.

A série mostra que Stephanie também supostamente tinha "premonições de que morreria ao dar à luz" bem antes, quando ainda estava com 20 semanas de gravidez. O episódio de "quase morte" acabou realmente mudando a vida dela.

De acordo com o site do jornal britânico Daily Star, as premonições começaram quando a mulher, hoje de 49 anos, ficou sabendo que tinha uma condição chamada "placenta prévia", que pode causar parto prematuro e hemorragia. Desde então, a norte-americana passou a alertar o marido, Jonathan, que ela sentia uma "sensação intensa de que algo ruim estaria para acontecer".

"Quero dizer, se você me visse no Starbucks e dissesse 'oh, como vai a gravidez?', eu diria literalmente: 'Vou morrer'", relatou a sobrevivente.

Mais tarde, Stephanie realmente esteve à beira da morte. O coração dela parou de bater depois que deu à luz seu filho Jacob, no McGaw Medical Center, em Chicago. "Tudo veio em um filme 3D e eu podia realmente me ver fora do meu corpo. Meu ponto de vista estava acima do corpo e próximo dele, e eu podia ver tudo o que estava acontecendo na sala de cirurgia", recordou a mulher.

Stephanie diz até que pôde identificar a equipe médica trabalhando para salvá-la, como o anestesista e uma enfermeira. Mas também notou a filha dela em outra parte do hospital na companhia da babá.

Stephanie Arnold - Reprodução/American Society of Anesthesiologists/Youtube - Reprodução/American Society of Anesthesiologists/Youtube
Stephanie Arnold, de 49 anos, também publicou um livro contando sua experiência de quase morte, chamado '37 segundos' (2018, Editorial Tomo)
Imagem: Reprodução/American Society of Anesthesiologists/Youtube

"Nessa outra dimensão, as relações espaciais se rompem. Não há teto, não há paredes. Tudo fica se movendo em tantas direções diferentes", explicou a mãe de família. "E então, eu vi espíritos por toda parte — minha avó, que faleceu quando eu tinha 10 anos. O irmão de minha mãe, que também apareceu", complementa.

A experiência incomum da paciente só teve fim quando ela pôde ouvir um doutor, chamado Julie Levitt, dizer: "isso não está acontecendo, isso não pode estar acontecendo". Depois que sentiu um "aperto no estômago", a mulher "voltou à vida".

A sobrevivente esteve em coma induzido pelos médicos durante seis dias, por conta de uma insuficiência renal. Depois de vários meses de recuperação, Stephanie reaprendeu a andar, a falar e se recordou da experiência espiritual que teria vivido.

Internacional