PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Homem oferece recompensa de R$ 290 mil por relógio roubado

Relógio roubado, semelhante ao da foto, é feito de ouro maciço e avaliado em mais de R$ 2,9 milhões - Reprodução/Internet/Chrono24
Relógio roubado, semelhante ao da foto, é feito de ouro maciço e avaliado em mais de R$ 2,9 milhões Imagem: Reprodução/Internet/Chrono24

Colaboração para o UOL, em São Paulo

08/03/2021 19h42Atualizada em 08/03/2021 19h42

Um joalheiro americano está oferecendo uma recompensa generosa para quem ajudá-lo a recuperar um relógio da marca Richard Mille, roubado de sua loja durante um assalto à luz do dia em Beverly Hills.

De acordo com o New York Post, o homem, identificado como Shay Belhassen, está disposto a pagar 50 mil dólares pelo "resgate" do acessório, mais de R$ 290 mil na cotação atual.

Apesar da quantia aparentemente alta, a nota detalhou que o relógio roubado, de ouro maciço, é avaliado em 500 mil dólares, mais de R$ 2,9 milhões de reais.

Belhassen declarou à mídia americana que espera recuperar o acessório antes que ele chegue ao mercado, apesar de acreditar que o item não será revendido facilmente graças à publicidade sobre o caso.

"É um relógio muito raro, então independente de quem receba uma oferta, eles saberão que estão recebendo a oferta de algo roubado", afirmou o joalheiro em entrevista ao Los Angeles Times.

Ao comentar o crime, ele detalhou que estava sentado à mesa com um cliente, na tarde da última quinta-feira (04), quando três ladrões armados entraram na loja pelas suas costas, vindo diretamente em direção ao relógio, um RM 11-03 Flyback Chronograph em ouro rosé.

O joalheiro disse que lutou com a quadrilha e conseguiu pegar a arma de um deles, levando dois dos suspeitos ao chão, mas que um acabou conseguindo fugir com o item de luxo.

Quatro tiros foram disparados durante a luta pelo revólver. Um deles atingiu de raspão uma mulher que estava jantando com o namorado em um restaurante vizinho a joalheria.

Outra testemunha também ficou ferida após ter sido empurrada pelo bandido em fuga com o relógio. Ela teve dois ossos do braço quebrados.

Ainda em declaração ao Los Angeles Times, o joalheiro afirmou que crimes similares ocorreram na mesma área do roubo do relógio, mas poucos receberam tanta atenção da mídia e das forças policiais, que disseram acreditar que os suspeitos premeditaram o crime contra Belhassen.

Internacional