PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
5 meses

Índia bate recorde mundial com quase 315 mil casos de covid-19 em 24 horas

Paciente com covid-19 é transportada em ambulância em Mumbai, na Índia - Punit Paranjpe/AFP
Paciente com covid-19 é transportada em ambulância em Mumbai, na Índia Imagem: Punit Paranjpe/AFP

Do UOL, em São Paulo*

22/04/2021 08h22Atualizada em 22/04/2021 11h26

A Índia bateu um novo recorde de casos diários de covid-19. O país contabilizou hoje 314.835 novos casos da doença, o maior número já registrado no mundo desde o início da pandemia do coronavírus, segundo dados do Ministério da Saúde indiano.

Nas últimas 24 horas o país também registrou 2.074 mortes, o que eleva o balanço oficial da epidemia no país a quase 185 mil vítimas.

A Índia registra 15,9 milhões de infectados pela covid-19 desde o início da pandemia e é a segunda nação com o maior número absoluto de casos, atrás apenas dos Estados Unidos (31,9 milhões de casos). O Brasil é o terceiro país com maior número de casos (14,1 milhões).

O número de casos e mortes na proporção por sua população (quase 1,4 bilhão de habitantes), no entanto, continua sendo consideravelmente menor na Índia que em vários países.

A segunda onda da covid-19, atribuída sobretudo a uma "dupla mutação" do vírus e a várias aglomerações que favoreceram a contaminação, demonstrou a crise no sistema de saúde indiano.

No início da semana, o governo de Nova Déli impôs um lockdown na cidade de mais de 20 milhões de habitantes para conter a disseminação do vírus. A metrópole é governada por um partido que faz oposição ao premiê nacionalista Narendra Modi e acusa estados aliados do primeiro-ministro de não repassarem estoques de cilindros de oxigênio.

Lar do maior fabricante de vacinas do mundo, o Instituto Serum, que produz localmente a vacina da AstraZeneca, a Índia já aplicou a primeira dose em cerca de 130 milhões de pessoas, porém isso representa menos de 10% de sua população.

Hospitais à beira do colapso

A Índia está à beira do colapso em seu sistema de saúde, com diversos hospitais e clínicas de saúde reportando baixos níveis de oxigênio, leitos e medicamentos.

A Suprema Corte de Nova Déli ordenou ontem que o governo redirecione o oxigênio de uso industrial para os hospitais na tentativa de salvar vidas.

"Não podemos ter pessoas morrendo porque não há oxigênio. Implore, pegue emprestado ou confisque. É uma emergência nacional", disseram os juízes em resposta a um pedido de intervenção enviada à corte por um hospital de Nova Déli.

O Ministério da Saúde indiano informou que das 7.500 toneladas métricas de oxigênio produzidas diariamente no país, 6.600 toneladas métricas estão sendo direcionadas para o uso hospitalar.

Em meio à crise sanitária, ao menos 22 pessoas morreram após uma interrupção no fornecimento de oxigênio causada por um vazamento em tanque de um hospital em Nashik, uma das cidades mais atingidas pelo coronavírus na Índia.

(*Com agências internacionais)

Coronavírus