PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Tragédia em Israel: Fui cercado por corpos, achei que morreria, diz ferido

Judeus ultraortodoxos observam o local do tragédia no festival de Lag Ba"Omer, no Monte Meron, Israel - Ronen Zvulun/Reuters
Judeus ultraortodoxos observam o local do tragédia no festival de Lag Ba'Omer, no Monte Meron, Israel Imagem: Ronen Zvulun/Reuters

Colaboração para o UOL

30/04/2021 21h03

Um adolescente de 19 anos que ficou preso sob uma pilha de pessoas na tragédia no festival de Lag Ba'Omer, no Monte Meron, em Israel, descreveu como ele pensou que fosse morrer quando as pessoas ao seu redor foram esmagadas até a morte.

Shachar Ba'al Haness disse ao jornal The Times of Israel que estava no meio de uma multidão em movimento quando a situação saiu de controle. Ele foi jogado no chão enquanto outros se empilhavam em cima dele. Na confusão que se seguiu, ele permaneceu consciente mesmo enquanto outros aparentemente morriam ao seu redor.

"Eu vi todos os corpos. Eu vi corpos em mim, embaixo de mim. Achei que fosse morrer", disse Ba'al Haness, explicando que ficou lutando para respirar por cerca de cinco minutos. No que ele pensava serem seus momentos finais, o adolescente religioso disse que orou a Deus.

A polícia o alcançou e começou a puxar as pessoas de cima dele. Ba'al Haness disse que acabou sendo levado a um veículo militar para atendimento.

Apesar do trauma, o adolescente disse que não culpa os organizadores ou as autoridades pelo que aconteceu. "Precisamos seguir em frente, eu vi o que vi", disse ele, e acrescentou que só o tempo dirá como ele lidará psicologicamente com a experiência.

Tragédia em Israel

Pelo menos 45 pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas durante a peregrinação judaica ortodoxa no norte de Israel na madrugada de hoje (horário local, noite de quinta-feira no Brasil), no maior evento de massa desde o início da pandemia da covid-19 no país. Há crianças entre as vítimas.

O Magen David Adom, equivalente israelense da Cruz Vermelha, informou que atendeu 150 feridos, seis deles em estado crítico.

As circunstâncias exatas da tragédia ainda não foram determinadas. Amit Sofer, membro do conselho regional de Merom Hagalil, afirmou que as autoridades pensaram inicialmente que "um palco havia desabado".

O funeral das 45 vítimas foi iniciado hoje, com os irmãos Moshe Englander, de 14 anos e Yehoshua Englander, de 9 anos. Os dois irmãos foram identificados no centro forense de Abu Kabir pelo pai, segundo informações do The Times of Israel.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu classificou o tumulto como uma das "catástrofes mais graves" da história do país. O chefe de governo escreveu em sua conta oficial do Twitter que as autoridades irão conduzir "uma investigação completa, séria e profunda para garantir que tal desastre não ocorra novamente".

Festival de Lang Ba'Omer

O feriado judaico de Lang Ba'Omer é comemorado com uma peregrinação no monte Meron, em torno do túmulo do rabino Shimon Bar Yojai, que foi um talmudista do século dois, a quem é creditado a escrita do Zohar, obra central do judaísmo.

A multidão percorria corredores e salões, dançando, cantando e fazendo preces, além de acender velas e fogueiras. Homens e mulheres estavam separados na ocasião.

As autoridades haviam permitido a presença de 10 mil pessoas no complexo, mas, segundo os organizadores, mais de 650 ônibus foram fretados em todo o país, estimando-se pelo menos 30 mil pessoas.

A imprensa local estimou um fluxo de 100 mil pessoas.

Pessoas que estiveram no local questionaram como a situação saiu do controle tão rápido. Há anos existe a preocupação com os riscos de segurança do evento que acontece anualmente, devido ao grande fluxo de frequentadores de todas as idades.

Internacional