PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Relíquias com mais de 600 anos são encontradas em navios naufragados

Mergulhador mostra uma das antiguidades encontradas entre escombros de embarcação - Reprodução/Facebook
Mergulhador mostra uma das antiguidades encontradas entre escombros de embarcação Imagem: Reprodução/Facebook

Colaboração para o UOL, em São Paulo

17/06/2021 22h43Atualizada em 17/06/2021 22h43

Tesouros encontrados em dois navios que naufragaram há centenas de anos foram encontrados por pesquisadores a cerca de 100 metros da Ilha Pedra Branca, em Singapura. Artigos como cerâmicas, instrumentos de percussão e canhões estavam entre os escombros das embarcações.

O fato de os dois navios terem sido encontrados a metros de Pedra Branca não é uma coincidência. Segundo o site norte-americano Today, o local sempre ofereceu perigo aos navegantes que optassem por incluir o trecho na rota.

Os restos do primeiro navio, que especialistas estimam que naufragou no século 14, há cerca de 600 anos, não revelaram detalhes sobre seu nome ou destino. Mas a estrutura mostrou algumas peculiaridades que podem ajudar os pesquisadores a descobrirem mais detalhes sobre seu passado.

As imagens das descobertas foram divulgadas pelo NHB (Conselho do Patrimônio Nacional, traduzido do inglês) e pelo Iseas (Instituto Yusof Ishak). Peças raras de louça como xícaras, vasos e tigelas em cerâmica em azul e branco serão colocadas à mostra em um museu de Singapura.

O Dr. Michael Flecker, diretor de projetos de arqueologia marítima do Iseas, disse que o navio que naufragou primeiro tinha o carregamento de porcelana mais antigo da dinastia Yan já recuperado em naufrágios. Ele acredita que muitos desses itens são únicos, como uma garrafa azul e branca com o gargalo reto e flangeado.

"Sua carga incrivelmente diversificada fornece grandes percepções sobre o tipo de mercadoria que teria sido trocada e comprada pelos novos habitantes desta cidade incipiente", disse Flecker.

Já a segunda embarcação, datada do final do século 18, escondia nove canhões e quatro âncoras, normalmente utilizados para fins defensivos e sinalizações, segundo o site. "O que é significativo é que eles revelam parte de nossa história antes de 1819", comentou o Yeo Kirk Siang, diretor de pesquisa e aviação do NHB.

"A ampla variedade e quantidade de artefatos dos dois naufrágios trarão insights inestimáveis sobre a história do comércio marítimo do início de Cingapura e da região, refletindo a interconectividade de Singapura antes do século 19", disse.

As relíquias encontradas estão armazenadas nas instalações das instituições, onde devem ser limpas, conservadas e catalogadas.

Internacional