PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
3 meses

Parte do vulcão de La Palma desaba e blocos de lava têm tamanho de prédios

Do UOL, no Rio*

10/10/2021 16h39

Com a queda de parte do cone do vulcão Cumbre Vieja, na ilha espanhola La Palma, foram expelidos blocos de lava do tamanho de um prédio de três andares, em várias direções. O vulcão localizado no arquipélago das Canárias entrou em erupção no dia 19 de setembro.

De acordo com o IGN (Instituto Geológico Nacional Espanhol), houve hoje 21 movimentos sísmicos, sendo o maior com 3.8 de magnitude. O tremor foi sentido nas vilas de Mazo, Fuencaliente e El Paso.

"Parece que parte do cone desabou (....) Isso deu origem a dois fluxos diferentes, um mais ao norte e outro que ocorre no mesmo local onde tivemos nos dias anteriores, mas com um volume mais alto que parece transbordar em algum ponto a lava velha", Stavros Meletlidis, um vulcanologista do IGN, disse ontem à Radio Nacional de España.

O diretor técnico do Covelca (Plano de Emergência Vulcânica das Canárias), Ángel Morcuende, indicou que o transbordamento do fluxo da lava ameaça uma zona industrial.

"Temos um terceiro fluxo mais ao sul, que está aderindo ao fluxo principal e que agora é o que mais nos preocupa", disse ele, acrescentando que há uma "massa significativa de lava".

Especialistas também alertaram para o risco de o fluxo de lava, que já avança por 32 hectares no mar, desabar ao atingir os limites externos da costa da ilha.

"Tendo atingido o limite da plataforma costeira, se continuar avançando, sua crosta pode ruir, o que pode causar a liberação abrupta de gases, explosões magmáticas e a geração de ondas", disse María José Blanco, diretora do IGN nas Ilhas Canárias.

Lava já atinge mais de mil imóveis

Neste fim de semana, com temperaturas de até 1.240 ºC, as últimas construções que ainda resistiam à erupção foram destruídas na vila de Todoque, de acordo com o Instituto de Vulcanologia das Ilhas Canárias no Twitter.

O mesmo instituto afirma ainda que o fluxo de lava está impedindo o deslocamento de cientistas na região para trabalhar.

Ontem, o aeroporto da ilha reabriu após 48 horas fechado devido às cinzas vulcânicas. Foi a segunda vez que as nuvens de cinzas obrigaram o aeroporto a interromper suas atividades desde a erupção.

De acordo com a AFP (Agence France-Presse), mais de 6.000 pessoas tiveram de sair de suas casas, mas não há registro de vítimas fatais. A lava já atingiu mais de 480 hectares da ilha e destruiu cerca de mil imóveis.

Esta é a terceira erupção de um vulcão em La Palma no último século, depois da do San Juan em 1949 e a de Teneguía em 1971.

*Com informações da EFE e da AFP

Internacional