PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Manifestante cola rosto no asfalto durante protesto em avenida de Londres

Manifestante colou o rosto no chão e foi retirado à força - Reprodução/Mirror
Manifestante colou o rosto no chão e foi retirado à força Imagem: Reprodução/Mirror

Colaboração para o UOL

25/10/2021 13h39

Um manifestante do grupo Insulate Britain colou o próprio rosto no asfalto durante um protesto que bloqueava uma movimentada avenida no centro de Londres, na Inglaterra.

O ativista, identificado apenas como Matthew, disse ao Mirror que estava concluindo a fase do protesto "em que deveria colar a cabeça na avenida".

O objetivo do movimento Insulate Britain é forçar o governo a instalar isolamento térmico em casas da Grã-Bretanha cujo sistema é ineficiente.

Muitas das emissões de energia da Grã-Bretanha são causadas por residências que não são eficientes em termos energéticos. De acordo com a National Housing Federation, as casas da Inglaterra produzem mais emissões de carbono a cada ano do que é produzido por todos os carros do país.

"Se você olhar para a resposta do governo à emergência climática no sentido do número de aquecedores que eles estão tentando instalar - eles estão planejando colocar 90.000 em 25 milhões de casas. Isso é menos de 1%. Isso realmente não é uma resposta a uma emergência", criticou Mathew.

À equipe de resgate, Mathew declarou que não tinha a menor ideia de que colar o rosto no asfalto resultaria em um ferimento na cabeça. Mas ele acabou descobrindo da pior forma, após ser arrancado de forma dolorosa da avenida e carregado até uma van por dois policiais. Para se desprender, seus cabelos ainda tiveram que ser cortados com uma tesoura

O bloqueio da Insulate Britain enfureceu motoristas pegos no protesto, que ocorreu bem na hora do rush.

"Sabemos que o público está frustrado e irritado com a perturbação que causamos", disse Liam Norton, outro manifestante do grupo. "Este governo traiçoeiro traiu o público. Ele está ativamente seguindo um caminho que levará à morte de milhões - isso é genocídio. Se você sabe disso e não está aderindo à resistência civil não violenta, então você é cúmplice".

Internacional