PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Premiê da Nova Zelândia 'empurra' intérprete; veja vídeo

Colaboração para o UOL

25/10/2021 13h18Atualizada em 25/10/2021 13h51

A primeira-ministra Jacinda Ardern foi criticada nas redes sociais por um vídeo em que parece empurrar uma intérprete de linguagem de sinais durante entrevista coletiva sobre a pandemia de covid-19 transmitida pela TV.

O vídeo foi compartilhado no TikTok no último sábado. Nele, Jacinda se afasta do microfone e tem a intérprete de NZSL (New Zealand Sign Language) — Língua de Sinais da Nova Zelândia, em tradução livre — no caminho, que acaba deixando o enquadramento da câmera. A atitude não foi bem recebida por muitos neozelandeses que viram o vídeo.

"Que valentona! Lobo em pele de cordeiro", criticou um internauta.

"Foi desrespeitoso. Achava que ela era legal, mas agora vi que está longe disso ", acrescentou outro.

Por outro lado, houve quem defendesse a primeira-ministra, dizendo que a atitude não foi intencional.

"Ela estava saindo do caminho para o outro orador entrar. Ela até sorriu para a intérprete depois."

A maioria dos comentários foi apenas sobre a reação da intérprete da linguagem de sinais.

"Adoro o olhar que ela dá a Jacinda quando se afasta da câmera", afirmou um neozelandês.

No vídeo, Jacinda percebe que empurrou a intérprete para fora de seu caminho e acena a ela pedindo desculpas.

Terremoto

As entrevistas coletivas de Jacinda Ardern têm se notabilizado, nos últimos dias, por episódios curiosos. Um dia antes, sua fala foi interrompida por um terremoto de 5,9 pontos na escala Richter que sacudiu o palco onde estava a primeira-ministra. A política mostrou expressão alarmada para a intérprete de sinais. Mas recuperou rapidamente a compostura e continuou a entrevista.

"Desculpe, houve uma pequena distração. Você se importaria de repetir a pergunta", afirmou Jacinda, após o contratempo.

Crescimento de casos

Um dos países que melhor enfrentaram a pandemia no ano passado, a Nova Zelândia vive um momento ruim, com crescimento no número de infectados. Há um surto ainda não superado da variante delta em Auckland. Nesta segunda-feira (25) foram registrados 109 novos casos da doença. É o segundo pior dia em infecções desde o início da pandemia.

O governo divulgou que 89% da população de Auckland já recebeu ao menos a primeira dose da vacina.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado em uma versão anterior deste texto, Jacinda Ardern pareceu empurrar uma intérprete de NZSL (New Zealand Sign Language) - Língua de Sinais da Nova Zelândia, em tradução livre -, e não uma intérprete de Libras (Língua Brasileira de Sinais). A informação já foi corrigida.

Internacional