PUBLICIDADE
Topo

Guerra da Rússia-Ucrânia

Notícias do conflito entre Rússia e Ucrânia


Ucrânia diz que não tem condições para retirar russos de Mariupol

Do UOL, em São Paulo

11/05/2022 08h00

A vice-ministra da Defesa da Ucrânia, Hanna Maliar, disse hoje que o país não tem condições de retirar as forças russas da cidade portuária de Mariupol, no sudeste ucraniano. "Se houvesse pelo menos uma oportunidade de desbloquear a cidade por meios militares, a liderança do país a usaria", declarou em pronunciamento à imprensa ucraniana.

Mariupol está sitiada por forças russas há cerca de dois meses, praticamente desde o início da invasão da Rússia ao território ucraniano. Atualmente, o ponto de resistência ucraniana na cidade, que é estratégica para a Rússia, é o complexo Azovstal, onde combatentes da Ucrânia estão abrigados. A guerra russa chegou hoje ao 77º dia.

A vice-ministra ainda comentou que Mariupol é atualmente defendida pelas Forças Armadas, pelas guardas de fronteira, pela Guarda Nacional e pela Polícia Nacional. "Devemos entender que este tema é muito sensível e cada palavra pode ser usada pelo inimigo e prejudicar os nossos defensores."

hanna - Reprodução - Reprodução
Hanna Maliar, vice-ministra da Defesa da Ucrânia
Imagem: Reprodução

Maliar reforçou hoje que os civis já foram evacuados de Azovstal. Hoje, os combatentes que ainda estão no complexo fizeram novo apelo para serem retirados. Entre ontem e hoje, eles indicaram que Azovstal foi alvo de ao menos 38 ataques das forças russas. Os bombardeios da Rússia foram confirmados pelo Ministério da Defesa da Ucrânia.

Mapa Rússia invade a Ucrânia - 26.02.2022 - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL

"Gueto medieval"

O prefeito de Mariupol, Vadym Boychenko, disse que os ocupantes russos transformaram a cidade portuária em um "gueto medieval". "Sem remédios e cuidados médicos, restauração do abastecimento de água e esgoto adequado na cidade, as epidemias vão explodir. Hoje, a maioria da população atual é idosa e doente. Sem condições adequadas, a mortalidade entre os grupos vulneráveis aumentará exponencialmente."

Ele disse estimar que "mais de 10 mil pessoas podem morrer de doenças e condições intoleráveis em Mariupol". A cidade estaria atualmente com cerca de 150 mil habitantes, segundo o prefeito. "Nosso povo está em perigo mortal. Portanto, é necessária uma evacuação completa da cidade."