PUBLICIDADE
Topo

Guerra da Rússia-Ucrânia

Notícias do conflito entre Rússia e Ucrânia


O que sobrou da Ucrânia? Veja o que a Rússia tomou e como está o país

Estrutura de shopping na cidade de Kremenchuk, na Ucrânia, ficou destruída após ataque - Press service of the State Emergency Service of Ukraine/Handout via REUTERS
Estrutura de shopping na cidade de Kremenchuk, na Ucrânia, ficou destruída após ataque Imagem: Press service of the State Emergency Service of Ukraine/Handout via REUTERS

Jéssica Alves

Colaboração para o UOL

07/07/2022 04h00

A Guerra da Ucrânia já passou de 130 dias. Após mais de quatro meses, com ofensivas terrestres, marítimas e aéreas por boa parte do território ucraniano, a Rússia mudou de estratégia.

O exército russo atualmente concentra sua campanha no Leste e no Sul da Ucrânia, onde tem obtido conquistas, com o uso de artilharia pesada e avançando lentamente em locais-chave.

Atualmente, as forças russas ocupam quase 20% do território ucraniano, segundo o presidente Volodymyr Zelensky. Ou seja, 125 mil quilômetros quadrados, incluindo a península da Crimeia e outros territórios controlados por separatistas pró-Moscou desde 2014.

No total, a Armed Conflict Location & Event Data Project (Acled) registrou mais de 10 mil mortes na Ucrânia desde o início do conflito. Mariupol (no sudeste), Kharkiv (nordeste) e Bilohorivka (leste) registraram os maiores números de mortes.

Entre os últimos desenvolvimentos, se destacam:

O mais recente avanço da Rússia é a captura da cidade vizinha de Severodonetsk.

Na segunda-feira (4), 132º dia da guerra, a conferência de Lugano, na Suíça, aprovou o "Plano Marshall" para a reconstrução do país invadido pela Rússia, com um investimento de US$ 750 milhões.

No domingo (3), várias localidades em Kharkiv foram bombardeadas e uma escola secundária foi destruída.

Mapa da Guerra

O território foi mapeado pelo Institute for the Study of War, nos Estados Unidos, com informações coletadas em 3 de julho e atualizadas em 4 de julho.

As principais áreas dos avanços que estão ocorrendo são atualizadas diariamente pelo Ministério da Defesa do Reino Unido e pela BBC.Mas como a situação na Ucrânia está mudando rapidamente é provável que haja mudanças não refletidas nos mapas.

 Mapa Rússia x Ucrânia - áreas sob controle russo e disputa 06/07 - Arte/UOL - Arte/UOL
Imagem: Arte/UOL

Áreas sob controle russo

  • Crimeia (anexada pela Rússia em 2014)
  • Kherson
  • Severodonetsk
  • Luhansk
  • Mariupol
  • Meltopol
  • Donbass
  • Bedyask
  • Nova Kakhova

Áreas da Ucrânia

  • Slovyansk
  • Konotop
  • Ternopil
  • Zaporizhzhia
  • Kharvik
  • Romny
  • Uzhorod
  • khmelnytskyi
  • Rivne
  • kropyvnytskyi

Áreas com batalha

  • Donetsk
  • Mykolaiv
  • Lysychansk
  • Kiev
  • Sumy
  • Liviv
  • Lutsk
  • Odessa
  • Poltava
  • Ivano frankivsk
  • Vinnytsia
  • Vhytomyr
  • Dnipro
  • Cherkasy
  • Zaporijia
  • Volnovakha

Cronologia da Guerra

A invasão da Ucrânia pela Rússia, em 24 de fevereiro, deu início à guerra em larga escala na Europa. A aposta do presidente russo, Vladimir Putin, era de uma vitória rápida. Mas não foi o que aconteceu.

A primeira cidade totalmente dominada pelos russos foi Kherson. No dia em que fez uma semana do início da guerra na Ucrânia, as tropas de Putin conquistaram o território próximo à usina de Zaporizhzhia, também já dominada.

No dia 13 de março, a Rússia estendeu sua guerra profundamente para o oeste da Ucrânia, onde disparou mísseis contra uma base em Yavoriv.

Em um mês de guerra, os EUA preparavam-se para a eventualidade de uma guerra nuclear. A Rússia atacou dois edifícios em Lviv, cidade próxima da fronteira com a Polónia.

No fim de março, Moscou sinalizou que estava reduzindo suas ambições e se concentraria no território reivindicado por separatistas apoiados pela Rússia no leste, enquanto as forças ucranianas partiam para a ofensiva para recapturar cidades fora de Kiev.

Abril

No dia 1º de abril, a Ucrânia recuperou mais um território ao redor de Kiev, com aldeias destruídas pelos soldados russos. Nos dias seguintes, o país acusou a Rússia de crimes de guerra, incluindo ataque com mísseis a uma estação de trem em Kramatorsk.

O principal navio de guerra da Rússia no Mar Negro, o Moskva, afunda no dia 14, após uma explosão e um incêndio causados por um ataque com mísseis, segundo a Ucrânia. Quatro dias depois, a Rússia lança seu ataque ao leste do país.

Em 21 de abril, o presidente Vladimir Putin declarou vitória em Mariupol, embora combates ainda fossem reportados na cidade. No dia 25 de abril, a Rússia afirmou ter bombardeado instalações militares ucranianas e a Refinaria de Petróleo de Kremenchuk.

Maio

As autoridades locais da região de Odessa afirmaram que mísseis russos atingiram uma ponte que cruzava o estuário do Dniester.

De acordo com os relatórios das Forças Armadas da Ucrânia, as tropas do país mantiveram-se na ofensiva na parte sul enquanto os russos se ocupavam no leste.

Serhiy Haidai, o governador de Luhansk, informou que a Rússia bombardeou uma escola na região de Bilohorivka, onde duas pessoas morreram e 60 ficaram feridas. No dia 9 de maio, por exemplo, mísseis balísticos atingiram um shopping e dois hotéis.

Em 14 de maio, tropas russas se retiraram da região de Kharkiv após contra-ataques bem sucedidos do exército da Ucrânia, segundo as autoridades locais.

No dia 20, mísseis russos atingiram o Palácio da Cultura na cidade de Lozova, na região de Kharkiv. Em 25 de maio, foi divulgado que a cidade ucraniana de Svitlodarsk, no norte do Oblast de Donetsk, foi conquistada pelos russos. A luta pela cidade de Severodonetsk continuou intensa até o fim do mês.

Junho

Em 5 de junho, a Ucrânia alegou ter matado o comandante do 29º Exército de Armas Combinadas russo, o tenente-general Roman Berdnikov, informação confirmada pela televisão russa.

Na metade do mês, Serhiy Haidai, o governador ucraniano de Luhansk, confirmou que unidades do exército ucraniano estavam presos em Severodonetsk após os russos explodirem as pontes. Enquanto isso, o exército russo seguiu com armamento forte.

Em 19 de junho, o Ministério da Defesa russo afirmou que atingiu um posto de comando ucraniano perto da cidade de Dnipro com vários mísseis de cruzeiro Kalib. Posteriormente, Serhiy Haidai confirmou que as tropas russas conquistaram a cidade de Metiolkine.

As forças ucranianas receberam ordens para se retirarem da cidade de Severodonetsk, no dia 24. Na noite de 25 de junho, mísseis russos foram disparados contra instalações militares nas regiões de Lviv, Jitomir e Chernihiv.

Os russos recuaram da Ilha da Cobra, no Mar Negro, em uma vitória estratégica da Ucrânia. Inicialmente, o Ministério da Defesa da Rússia afirmou que decidiu se retirar, como um "gesto de boa vontade" para abrir um corredor humanitário. Mas a Ucrânia disse que expulsou as forças russas após uma grande artilharia e ataque durante a noite de 29 de junho.