Premiê do Canadá vira astro na política e nas redes sociais

Jonah Bromwich

  • Nathan Denette/The Canadian Press via AP

    Trudeau cumprimeta Madeleine Jamkossian (à dir.) e seu pai Kevork Jamkossian, refugiados vindos da Síria que chegaram ao Canadá

    Trudeau cumprimeta Madeleine Jamkossian (à dir.) e seu pai Kevork Jamkossian, refugiados vindos da Síria que chegaram ao Canadá

Nas últimas duas semanas, quase 1,5 milhão de pessoas assistiram a um vídeo de uma explicação sobre computação quântica. Um tema tão esotérico geralmente não atrai tamanho interesse, mas quando o novo primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, está envolvido, essas coisas têm uma tendência de se tornarem virais.

Trudeau se transformou muitas vezes em astro digital desde sua eleição em outubro. Os vídeos do líder explicando seu estilo de feminismo ou abraçando bebês panda se transformaram em item básico semanal dos "feeds" das redes sociais.

Reprodução/Twitter @justintrudeau
O vídeo de Trudeau, 44 anos, explicando de forma empolgada a computação quântica durante uma visita ao Instituto Perimeter de Física Teórica, em Waterloo, Ontario, neste mês, provocou artigos de admiração em veículos de notícias tanto canadenses quanto americanos.

O "Toronto Star" disse: "O homem que tem sido chamado de novo queridinho do Canadá, bonitão da ioga, primeiro-ministro feminista, aparentemente ávido em mostrar que é mais do que um rosto bonito agora reconhecido em todo o mundo, mostrou prontamente contar com talentos de nerd de computador antes pouco conhecidos".

O "Washington Post": "O amor da Internet por Justin Trudeau não tem limites. E está crescendo ainda mais".

Reprodução/Twitter @justintrudeau
Prêmie do Canadá, Justin Trudeau, faz posição de ioga

Escrevendo para a revista de notícias canadense "Maclean's" no mês passado, o analista político Evan Solomon chamou Trudeau de "nosso primeiro 'premiê viral', criando 'momentos' políticos especificamente para serem compartilhados".

Solomon também comparou as habilidades políticas de Trudeau às de Donald Trump: "Se Trump ensinou algo ao mundo, é que celebridade é uma moeda política muito valorizada. A imagem de Trudeau não é uma simples moeda; é um veio de ouro político".

Especialistas dizem que políticos como Trudeau, Trump e o presidente Barack Obama estão à frente dos demais na exploração do poder das redes sociais de mudança de paradigma. A habilidade deles de brilhar na nova mídia lembra a de John F. Kennedy, em comparação a Richard Nixon, no primeiro debate presidencial televisionado em 1960. E ferramentas incluindo Facebook, Twitter e Instagram dão a esses políticos uma parcela significativa do controle na disseminação de suas próprias mensagens.

Reprodução/Twitter @justintrudeau

Laura Olin, que dirigiu a estratégia para redes sociais na campanha de Obama em 2012, disse que os momentos mais virais dos políticos se tornaram tão fáceis de identificar que, "a esta altura, a máquina das empresas de mídia digital já aprendeu a fazer muito desse trabalho de campanha nas redes sociais".

"É outra forma de mostrar que os políticos que conseguem agir como seres humanos normais são aqueles que atrairão seguidores em massa", ela acrescentou.

Trudeau e a fluência digital de seu Partido Liberal durante a eleição os ajudaram a conquistar o apoio de um número incomumente grande de eleitores jovens. Um estudo encomendado por uma associação de estudantes e divulgado na semana passada pela empresa de opinião pública canadense Abacus Data apontou que o comparecimento para votar de pessoas entre 18 e 25 anos "provavelmente aumentou cerca de 12 pontos percentuais em 2015", e que 66% dos jovens canadenses disseram poder se relacionar com Trudeau.

O presidente-executivo da Abacus, David Coletto, disse que os liberais entendem as redes sociais e que Trudeau a entende "como nenhum outro líder que tivemos no Canadá".

A oposição política de Trudeau não encara gentilmente seu sucesso online, criticando o primeiro-ministro como sendo superficial. A explicação dele a respeito da computação quântica foi usada como tema para um vídeo dos conservadores no Facebook, alegando que ele encenou o momento para evitar responder uma pergunta sobre combate ao terrorismo.

"Desculpe, sr. Trudeau. Perguntas sérias exigem respostas sérias", dizia o vídeo.

Alguns veículos digitais também criticaram o vídeo sobre computação quântica. O "Gawker" sugeriu em uma manchete que provavelmente "foi encenado". O jornal "Washington Post" se queixou de que a explicação "não estava exatamente correta".

Um porta-voz do primeiro-ministro, Cameron Ahmad, rejeitou qualquer sugestão de que ocasiões como a sobre computação quântica foram encenadas apenas para fins de publicidade. Ele também apontou que Trudeau voltou a responder extensamente a pergunta do repórter sobre terrorismo depois de falar sobre computação quântica.

Reprodução/Twitter @justintrudeau

"O primeiro-ministro tem uma tendência de fazer comentários genuínos não necessariamente esperados da maioria dos políticos, e acho que isso dá aos canadenses e pessoas de todo o mundo a oportunidade de ver reações e declarações genuínas de um líder político", disse Ahmad.

Olin, a estrategista para redes sociais da campanha de Obama, disse que as ferramentas das redes sociais podem permitir no futuro a políticos hábeis encobrir nuances e até mesmo ofuscar suas crenças, em vez de valorizar momentos que provavelmente decolariam nas redes sociais. (Ela disse não acreditar que Trudeau seja um desses exemplos.)

"Creio que com certeza há um risco", ela disse. "Acho que surgirá alguém que seja tanto malicioso e também bom em esconder o fato de ser completamente malicioso."

Tradutor: George El Khouri Andolfato

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos