A Casa Branca foi mesmo construída por escravos, como disse Michelle Obama?

Julie Hirschfeld Davis

Em Washington (EUA)

Quando Michelle Obama disse em seu discurso à convenção democrata, televisionado no horário nobre na noite de segunda-feira (25), que a Casa Branca foi construída por escravos, ela estava citando um fato pouco discutido que dramatizava a posição de sua própria família afro-americana na história.

Mas a afirmação da primeira-dama foi recebida com escárnio e descrença por alguns, que questionaram se era verdade e disseram que sua decisão de mencioná-la representava uma tentativa de dividir racialmente o país.

Há pouca disputa entre os historiadores de que escravos participaram da construção da Casa Branca.

Segundo informação publicada no site da Associação Histórica da Casa Branca, os projetistas pretendiam inicialmente importar trabalhadores da Europa, mas tiveram dificuldades para recrutá-los, de modo que "recorreram aos afro-americanos, escravizados ou livres, como grande parte da mão de obra que construiu a Casa Branca, o Capitólio federal e outros dos primeiros prédios do governo".

A associação disse que os escravos trabalhavam na pedreira do governo em Aquia, Virgínia, cortando pedras para as paredes da Casa Branca. A equipe de construção incluía trabalhadores de Maryland e Virgínia, assim como imigrantes da Irlanda, Escócia e outras partes da Europa, disse a associação.

Getty Images
Casa Branca é uma mansão neoclássica

Jesse Holland, um jornalista baseado em Washington que escreveu "The Invisibles: The Untold Story of African American Slaves in the White House" (Os invisíveis: a história não contada dos escravos afro-americanos na Casa Branca, em tradução livre, não lançado no Brasil), diz que a maioria das pessoas nunca pensou em como a casa do presidente e outros prédios importantes do governo foram construídos, mas os historiadores há muito reconhecem o papel deles:

Se você pensar a respeito, é bem óbvio: a Casa Branca é uma mansão neoclássica que foi construída no Sul durante a época da escravidão, e a maioria das mansões construídas no Sul na época da escravidão fez uso de escravos

"Nós, americanos, construímos um mito de nosso país e, muitas vezes, não queremos olhar por trás desse mito", ele acrescentou. "Para mim, descobrir a verdade e reconhecer a participação de todos na construção deste país apenas torna nosso país mais rico."

Michelle Obama pretendia o mesmo na segunda-feira, ao enfatizar que seu marido com frequência destaca que as forças dos Estados Unidos vêm em parte de seu passado feio e doloroso.

Ela disse que a história americana é "a história que me trouxe a este palco esta noite, a história de gerações de pessoas que sentiram o açoite do cativeiro, a vergonha da servidão, a dor da segregação, mas que mantiveram a esperança e fizeram o que era necessário para que hoje, eu acorde toda manhã em uma casa que foi construída por escravos, e veja minhas filhas, duas belas jovens negras inteligentes, brincando com seus cães no gramado da Casa Branca", disse Obama.

Não foi a primeira vez que ela disse isso. Ela já o tinha dito em um discurso de formatura feito em junho na Faculdade Municipal de Nova York. Mas recebeu mais atenção na noite de segunda-feira, quando Michelle Obama fez um discurso assistido por muito mais americanos em meio a uma campanha presidencial cada vez mais intensa. 

Tradutor: George El Khouri Andolfato

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos