PUBLICIDADE
Topo

Passeio de trenó com renas e muita neve: conheça a 'cidade oficial' do Papai Noel

Kari Eskeli interpreta de Papai Noel em Rovaniemi, Finlândia - ILVY NJIOKIKTJIEN/NYT
Kari Eskeli interpreta de Papai Noel em Rovaniemi, Finlândia Imagem: ILVY NJIOKIKTJIEN/NYT

Rod Nordland

Em Rovaniemi (Finlândia)

24/12/2017 04h00

Aqui na Aldeia do Papai Noel, perto do círculo Ártico, está o autointitulado "Noel Oficial", um finlandês que se recusa a dar seu nome verdadeiro, insistindo que ele é realmente o senhor Noel.

A algumas centenas de metros dali, em um local parecido, está o Segundo Noel, também finlandês, cujo verdadeiro nome é Kari Eskeli, 65. Assim que o Natal terminar, ele voltará ao clima tépido das ilhas Canárias, onde mora. "Não vejo a hora", riu ele no fim de um longo dia recebendo visitas com pedidos. "Ho, ho, ho."

Depois há o Noel Maligno, como ele mesmo se chama, um homem brincalhão que se apresenta na loja de suvenires de seu filho, embaixo da gruta oficial do Papai Noel.

"Este lugar está explodindo agora, está realmente decolando", disse Wolfgang Kassik, um consultor de negócios austríaco com uma longa barba grisalha natural, casado com uma finlandesa. "Pessoalmente, porém, não gosto de crianças."

A cidade de Rovaniemi, na Finlândia, é considerada a cidade "oficial do Papai Noel" e os turistas podem ver as lindas cores do céu do Círculo Ártico   - ILVY NJIOKIKTJIEN/NYT - ILVY NJIOKIKTJIEN/NYT
A cidade de Rovaniemi, na Finlândia, é considerada a cidade "oficial do Papai Noel" e os turistas podem ver as lindas cores do céu do Círculo Ártico
Imagem: ILVY NJIOKIKTJIEN/NYT

Isso pode ser um problema. 

Nesta época do ano, cerca de 20 jatos por dia, fretados e de linha, pousam aqui na capital da Lapônia finlandesa, despejando famílias de dezenas de países. Elas trazem crianças de olhos arregalados para um lugar certamente coberto de neve, que é, pelo menos para os mais jovens, uma recriação convincente do Polo Norte (que na verdade está 2.560 km mais ao norte), com trenós puxados por renas, pessoal vestido de gnomos e um "Correio do Papai Noel" oficial do governo finlandês.

O código postal do velhinho, 96930, atrai 500 mil cartas por ano. 

Embora não seja mais verdadeira que as barbas dos imitadores do Papai Noel, a alegação de Rovaniemi de ser a base do único verdadeiro é de todo modo uma vitória do marketing, tanto que a cidade registrou sua marca de "Cidade Oficial do Papai Noel".

E para os que se preocupam com a crescente secularização do Natal, eles só precisam chegar aqui para confirmar seus piores temores.

É possível fazer um passeio de trenó de rena em Rovaniemi, Finlândia - ILVY NJIOKIKTJIEN/NYT - ILVY NJIOKIKTJIEN/NYT
É possível fazer um passeio de trenó de rena em Rovaniemi, Finlândia
Imagem: ILVY NJIOKIKTJIEN/NYT

Segundo boatos, há um presépio em algum lugar da Aldeia do Papai Noel, mas encontrá-lo é um desafio.

Apesar das temperaturas muito baixas e das noites que duram 22 horas, 330 mil pessoas de 180 países, segundo os números atuais, vêm visitar Papai Noel, comprar fotos de 50 euros (R$ 195) com ele e percorrer as dezenas de lojas de enfeites e lembranças de Natal.

Isso é quase equivalente ao total combinado de renas (220 mil) e pessoas (180 mil) que vivem na Lapônia; o crescimento do turismo neste ano em Rovaniemi (50 mil habitantes) é de 25%, segundo Sanna Karkkainen, a diretora-gerente da câmara de turismo local. 

"Nós acrescentamos mil leitos para este Natal", disse ela. 

Muitos turistas não são cristãos, nem vêm de países que comemoram o Natal. O maior grupo de visitantes são os chineses, que geralmente vêm sem crianças porque não há feriados escolares nesta época na China. 

Isso não os impede de fazer fila nas grutas de Papai Noel para encontrar os divertidos finlandeses que costumam interpretá-lo com gosto.

"Qual é seu verdadeiro nome?", muitos visitantes adultos perguntam ao Noel oficial, que tem uma resposta pronta:

"É Papai Noel." Se insistirem, ele responde: "Originalmente era Joulupukki".

Fim de tarde na vila do Papai Noel, em Rovaniemi, na Finlândia - ILVY NJIOKIKTJIEN/NYT - ILVY NJIOKIKTJIEN/NYT
Fim de tarde na vila do Papai Noel, em Rovaniemi, na Finlândia
Imagem: ILVY NJIOKIKTJIEN/NYT

Joulupukki é o nome da figura tradicional do Papai Noel finlandês, mas aí está a dificuldade e a vitória do marketing. Literalmente, o nome significa Cabra do Natal, e historicamente o personagem finlandês era uma espécie de monstro usado para ameaçar as crianças mal comportadas.

Cinquenta anos atrás, os marqueteiros de turismo tiveram a ideia de atrair pessoas para a remota Lapônia e escolheram Rovaniemi para a estação de trens e o aeroporto. Durante muitos anos, porém, a atração do Papai Noel disputou visitantes com as excursões para ver a aurora boreal ou os safáris de renas; a maioria dos que vinham eram de países com forte tradição natalina, que traziam crianças para ter a experiência definitiva da gruta do Papai Noel.

Barry e Leanne Smyth, da Irlanda, trouxeram suas filhas, Lauren, 9, e Jodie, 4, para cá na semana passada, depois que uma caixa de presentes chegou ao seu endereço com um bilhete de "Santy" (como ele é conhecido na Irlanda), convidando as meninas a visitá-lo pessoalmente. Eles pegaram um voo para Helsinque, depois um trem noturno para Rovaniemi, 800 km ao norte. 

"Não dormimos nada", disse Smyth, um contador. "Mas as meninas adoraram." Elas agradeceram a Noel pelo convite (os pais trocaram um olhar furtivo) e como presente pediram, como fazem muitas crianças hoje em dia, uma fábrica de gosma.

Em 2010, Xi Jinping, então vice-presidente da China, fez uma visita oficial a Helsinque e esteve aqui, posando para fotos com o Papai Noel oficial. 

Crianças visitam o Papai Noel na cidade de Rovaniemi, na Finlândia - ILVY NJIOKIKTJIEN/NYT - ILVY NJIOKIKTJIEN/NYT
Crianças visitam o Papai Noel na cidade de Rovaniemi, na Finlândia
Imagem: ILVY NJIOKIKTJIEN/NYT

Tian Zhang estava aqui na época, estudando para seu mestrado, e raramente via outros chineses. Ela nunca imaginou o que aconteceria então. 

"Xi Jinping se tornou o presidente e todo mundo na China diz que a Finlândia é um país de sorte", disse ela.

O turismo chinês aumentou constantemente, ajudado pelas visitas oficiais de finlandeses que comercializam a tundra da Lapônia como a terra de Noel.

"Muitos chineses hoje pensam que o Polo Norte é aqui", disse Zhang. "A coisa cresceu muito." 

Nos últimos anos, o turismo noelino cresceu tanto que "parece que todo mundo está construindo um hotel", disse Zhang. Hoje uma empresária casada com um finlandês, ela estava encarregada de um dos novos hotéis, o primeiro financiado por chineses. Ele foi inaugurado há cinco meses e já está operando com ocupação total, segundo ela. 

Três mulheres de 30 anos de Macau acharam difícil explicar por que tinham vindo, enquanto esperavam a impressão de seus retratos com Noel.

"Eu apenas queria dizer que vi o Papai Noel", disse Sukie Wong. "Não pedimos nada."

Uma das mulheres, o velhinho confidenciou mais tarde, lhe pediu um namorado, o que ele disse ser um pedido comum das mulheres asiáticas solteiras.

Na Igreja Luterana de Rovaniemi, onde trabalham os pastores Topi Litendahl e Elina Rask-Litendahl, os serviços natalinos são em várias línguas, incluindo inglês, hebraico e árabe, caso algum turista queira participar. Todos os anos somente algumas dezenas o fazem, praticamente o único aspecto religioso desse sucesso turístico.

"O Papai Noel do turismo e o Natal da fé cristã podem coexistir muito bem", disse Rask-Litendahl.

Nenhuma quantidade de comercialização pode eliminar a maravilha do Natal dos olhos de uma criança. Para a maioria dos jovens que visitam Rovaniemi, a cidade oferece um espetáculo totalmente convincente, dos iglus de verdade e móveis de gelo diante do shopping center a prédios no estilo de cabanas de tronco muito bem feitos, na Aldeia do Papai Noel.

"Grazie grazie, Babbo Natale", dizia Serena Rallo, 6, com os olhos úmidos e o rosto brilhando enquanto posava para uma foto abraçada ao Segundo Noel. Seu pai, Vincenzo, um italiano que vive em Paris, estava ainda mais animado. "Gentile, gentile", dizia ele a Eskeli. "Espero que o senhor lhe traga muitos brinquedos, porque ela foi realmente ótima neste ano."