Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/meio-ambiente/album/2012/06/06/veja-registros-do-desmatamento-na-amazonia-nos-ultimos-anos.htm
  • totalImagens: 71
  • fotoInicial: 71
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20120606131416
    • Pará [5296];
    • Meio ambiente [11359]; Amazônia [11722]; Desmatamento [11723];
Fotos

mar.1998 - Índios em área de floresta destruída em Roraima Reuters/Gregg Newton Mais

abr.1998 - Incêndio em floresta na região de Apiau, em Roraima AP/Dario Lopez-Mills Mais

fev.2005 - Floresta destruída para criação de gado em Anapu, no Pará Antonio Gauderio/Folhapress Mais

fev.2005 - Floresta derrubada em Anapu, no Pará Antonio Gauderio/Folhapress Mais

fev.2005 - Madeira ilegal empilhada perto de Anapu, a 600 quilômetros de Belém AFP/Antonio Scorza Mais

jun.2005 - Grandes extensões de floresta convertidas para a agricultura em Nova Ubiratã Fernando Donasci/Folhapress Mais

jun.2005 - Vista aérea de área de preservação permanente com enorme parte desmatada em Nova Ubiratã, região médio-norte de Mato Grosso Fernando Donasci/Folhapress Mais

jun.2005 - Vista aérea de área de preservação permanente com enorme parte desmatada em Nova Ubiratã, região médio-norte de Mato Grosso Fernando Donasci/Folhapress Mais

jun.2005 - Vista aérea de área desmatada no município de Feliz Natal, no Mato Grosso Fernando Donasci/Folhapress Mais

jun.2005 - Vista aérea de área queimada em Nova Ubiratã, região médio-norte de Mato Grosso, município que mais desflorestou na Amazônia em 2005 Fernando Donasci/Folhapress Mais

jan.2008 - Área de floresta amazônica desmatada no município de São Félix do Xingu, no Estado do Pará Rogério Cassimiro/Folhapress Mais

jan.2008 - Área florestal que foi desmatada em Alta Floresta, no extremo norte do Estado do Mato Grosso Jorge Araújo/Folhapress Mais

jan.2008 - Árvore seca em uma área desmatada na entrada do Parque Estadual Cristalino, entre os municípios de Alta Floresta e Novo Mundo, no Mato Grosso Jorge Araújo/Folhapress Mais

jan.2008 - Rebanho bovino, em Alta Floresta, no Mato Grosso município na lista dos maiores desmatadores da Amazônia em 2008 de Jorge Araújo/Folhapress Mais

jan.2008 - Área florestal que foi desmatada em Alta Floresta, no extremo norte do Estado do Mato Grosso Jorge Araújo/Folhapress Mais

jan.2008 - Boi em área desmatada para pasto, em São Félix do Xingu, no Pará Rogério Cassimiro/Folhapress Mais

jan.2008 - Trator derruba mata em São Félix do Xingu, no Pará Rogério Cassimiro/Folhapress Mais

jan.2008 - Área florestal que foi desmatada em Alta Floresta, no extremo norte do Estado do Mato Grosso Jorge Araújo/Folhapress Mais

jan.2008 - Parque Estadual Cristalino, entre os municípios de Alta Floresta e Novo Mundo, no Mato Grosso Jorge Araújo/Folhapress Mais

fev.2008 - Veículo transporta madeira cortada ilegalmente próximo a Belém Reuters/Paulo Santos Mais

fev.2008 - Policial que integra forças federais enviadas a Tailândia, no Pará, para impedir conflitos com moradores, monta guarda em frente a caminhões que carregam madeira ilegalmente Reuters/Paulo Santos Mais

mai.2009 - Tronco de árvore que resistiu ao desmatamento na cidade de Tailândia, no Pará Danilo Verpa/Folhapress Mais

set.2009 - Trecho de floresta amazônica queimada ilegalmente em Novo Progresso, no Pará AP/Andre Penner Mais

jun.2010 - A maior quantidade de madeira já apreendida pela Polícia Federal: 64,5 mil metros cúbicos de madeira - mais de 23 mil toras, volume suficiente para carregar 2,5 mil caminhões, em um valor total estimado de R$ 10 milhões. A apreensão fez parte da Operação Arco de Fogo Ibama Mais

fev.2012 - Segundo o Greenpeace, a usina de Belo Monte vai aumentar consideravelmente o desmatamento na região de Altamira Reuters/Daniel Beltra Mais

fev.2012 - Vista aérea mostra degradação produzida pela construção da usina de Belo Monte Greenpeace Mais

abr.2012 - Vista aérea da construção da usina de Belo Monte Reuters/Marizilda Cruppe/Greenpeac Mais

mai.2012 - Ibama destroi fornos usados ilegalmente para produção de carvão no Pará Reuters/Lunae Parracho Mais

mai.2012 - Produção ilegal de carvão com madeira da floresta no Pará Reuters/Lunae Parracho Mais

mai.2012 - Pilhas de madeira cortada ilegalmente no Pará Reuters/Lunae Parracho Mais

mai.2012 - Resquícios de floresta amazônica ao longo da rodovia PA 150, no Pará Reuters/Lunae Parracho Mais

ago.2012 - Agentes do Ibama e da polícia do Pará fazem apreensão de madeira perto da cidade de Novo Progresso, na floresta Amazônia Nelson Feitosa/Ibama / Reuters Mais

set.2012 - Agente do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) apreende madeira extraída ilegalmente da Amazônia Lunae Parracho/Files/Reuters/02.jun.2012 Mais

out.2012 - A área de soja plantada em terras de desmatamentos na Amazônia aumentou 57% no último ano, segundo dados da renovação da Moratória da Soja, iniciativa de empresas e da sociedada para boicotar o grão produzido em áreas ilegais da floresta Valter Campanato/ABr Mais

nov.2012 - Vista aérea mostra construção da hidrelétrica de Belo Monte na região de Altamira, no Pará Stian Bergeland/Rainforest Foundation Norway /Reuters Mais

nov.2012 - Troncos de árvores retirados da floresta Amazônia são levados por barcos perto da Ilha de Marajó, no Pará Raimundo Pacco/Reuters Mais

nov.2012 - Vista aérea mostra clareira recentemente aberta na floresta por fazendeiros perto de Altamira, no Pará Stian Bergeland/Rainforest Foundation Norway /Reuters Mais

nov.2012 - Vista aérea mostra clareia aberta na floresta por fazendeiros em Cachoeira Seca, território indígena no Pará Juan Doblas/ISA /Reuters Mais

fev.2013 - Equipes do Ibama, em ação da Operação Onda Verde, aprenderam duas cargas, num total de 73 m³, de madeira em toras na região de Sinop, a 488 quilômetros de Cuiabá. A Operação Onda Verde está atuando em seis pontos estratégicos da Amazônia Legal. Dois pontos em Mato Grosso, dois no Pará, um em Rondônia e outro no Amazonas. Iniciada no início de fevereiro ela não tem prazo de duração Ibama Mais

fev.2013 - O Ibama apreendeu cerca de 8.000 metros cúbicos de madeira ilegal (320 caminhões cheios), quatro motosserras, dois geradores e desativou cinco portos clandestinos de embarque de toras ao longo dos rios Curuatinga e Curuá-Una, a 170 quilômetros de Santarém, no oeste do Pará. Na ação, dezenas de acampamentos de madeireiros também foram localizados e desmontados no interior da floresta Tiago Jara/Ibama Mais

fev.2013 - O Ibama apreendeu cerca de 8.000 metros cúbicos de madeira ilegal (320 caminhões cheios), quatro motosserras, dois geradores e desativou cinco portos clandestinos de embarque de toras ao longo dos rios Curuatinga e Curuá-Una, a 170 quilômetros de Santarém, no oeste do Pará. Na ação, dezenas de acampamentos de madeireiros também foram localizados e desmontados no interior da floresta Tiago Jara/Ibama Mais

mar.2013- Além das apreensões no Curuatinga (8.000 m³) e no rio Pacajá (2.000 m³), o Ibama localizou aproximadamente oito mil m3 de árvores ilegalmente derrubadas em uma fazenda, a 90 km de Anapu."Em um única área de estocagem, os fiscais apreenderam 100 toras", revelou o superintendente do Ibama no estado, Hugo Américo Silvana Cardins e Nelson Feitosa/Ibama-PA Mais

mar.2013 - O Ibama superou, em apenas um mês de fiscalização no oeste paraense, o volume de madeira em tora ilegal apreendido em 2012 em todo o Pará. No ano passado, os agentes ambientais apreenderam 10,5 mil m3 de madeira não beneficiada no Pará. A Operação Onda Verde que começou no início de fevereiro com ações em Santarém, Anapu, Uruará e Novo Progresso, já retirou de circulação cerca de 18 mil m³ de toras ilegais. Volume que equivale a cerca de 720 caminhões cheios de madeira Silvana Cardins e Nelson Feitosa/Ibama-PA Mais

mar.2013- Com o objetivo de ocupar áreas da floresta Amazônica desmatadas ilegalmente, o Ibama começou a operação Onda Verde nos Estados do Pará, de Mato Grosso, Rondônia e Amazonas, considerados pelo monitoramento ambiental como áreas críticas. No Mato Grosso, em menos de 40 dias de ação, já foram apreendidos 15 tratores, sendo quatro de esteira, cujo poder de destruição é muito grande, cinco caminhões e duas colheitadeiras, além de 70 toneladas de arroz. Foram embargados 3.790 hectares de terras e aplicados mais de R$ 12 milhões em multas Badaró Ferrari/Ibama Mais

mar.2013 - O Ibama embargou 2.500 hectares de áreas de floresta ilegalmente desmatadas para pecuária na região de Novo Progresso, no oeste do Pará. O órgão já aplicou cerca de R$ 7 milhões em multas durante a operação Onda Verde, que combate desmatamento na região até o fim do ano Leonardo Tomaz/Ibama/Divulgação Mais

mar.2013 - O Ibama embargou 2.500 hectares de áreas de floresta ilegalmente desmatadas para pecuária na região de Novo Progresso, no oeste do Pará, desde o início da Operação Onda Verde. Uma das ações ilegais foi flagrada por agentes a apenas dois quilômetros da Terra Indígena do Baú, no Distrito de Castelo dos Sonho - cerca de R$ 7 milhões em multas já foram aplicadas pelo órgão Leonardo Tomaz/Ibama/Divulgação Mais

abr.2013 - O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) embargou 15,8 mil hectares de desmatamentos ilegais no Pará desde o início da Operação Onda Verde, resultando na aplicação de R$ 77,6 milhões em multas. A área tomada pelo governo corresponde ao tamanho de quase duas capitais do Espírito Santo (Vitória tem 98,194 km2) e a capital do Rio Grande do Norte (Natal mede 167,263 km2). Os agentes ainda apreenderam 18,1 mil metros cúbicos de madeira (cerca de 730 caminhões cheios), quatro caminhões, quatro tratores, oito balsas e cinco empurradores nas cidades de Anapu, Uruará, Novo Progresso e Santana do Araguaia Nicélio Silva/Ibama Mais

abr.2013 - O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) embargou 15,8 mil hectares de desmatamentos ilegais no Pará desde o início da Operação Onda Verde, resultando na aplicação de R$ 77,6 milhões em multas. A área tomada pelo governo corresponde ao tamanho de quase duas capitais do Espírito Santo (Vitória tem 98,194 km2) e a capital do Rio Grande do Norte (Natal mede 167,263 km2). Os agentes ainda apreenderam 18,1 mil metros cúbicos de madeira (cerca de 730 caminhões cheios), quatro caminhões, quatro tratores, oito balsas e cinco empurradores nas cidades de Anapu, Uruará, Novo Progresso e Santana do Araguaia Nicélio Silva/Ibama Mais

abr.2013 - O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) embargou 15,8 mil hectares de desmatamentos ilegais no Pará desde o início da Operação Onda Verde, resultando na aplicação de R$ 77,6 milhões em multas. A área tomada pelo governo corresponde ao tamanho de quase duas capitais do Espírito Santo (Vitória tem 98,194 km2) e a capital do Rio Grande do Norte (Natal mede 167,263 km2). Os agentes ainda apreenderam 18,1 mil metros cúbicos de madeira (cerca de 730 caminhões cheios), quatro caminhões, quatro tratores, oito balsas e cinco empurradores nas cidades de Anapu, Uruará, Novo Progresso e Santana do Araguaia Nicélio Silva/Ibama Mais

jun.2013- Incêndios na vegetação rasteira - e que ficam "escondidos" dos satélites pela copas das árvores - queimaram mais de 85 mil km2 da Amazônia entre 1999 e 2010, mostra estudo de Doug Morton, cientista da Nasa (Agência Espacial Norte-Americana) Doug Morton Mais

nov.2013 - Cientistas criaram primeiro mapa global em alta resolução das mudanças em coberturas florestais no século 21. Matthew Hansen e seus colegas junto com o Google criaram <a href="http://earthenginepartners.appspot.com/science-2013-global-forest">um site</a> que mostra um visão detalhada de cada área do mundo e seus ganhos e perdas de florestas de 2000 a 2012. Neste período, foram perdidos 2,3 milhões de quilômetros quadrados de floresta (área um pouco menor do que a Argentina), enquanto 0,8 milhão de quilômetros quadrados foram reflorestados. O trópico foi a região que mais apresentou ganhos e perdas, com destaque para o Brasil, que mostrou o maior declínio nas perdas no período, e para a Indonésia, que apresentou a maior perda. O desmatamento no Brasil aumentou 28% em 2013 quebrando a tendência de queda dos últimos anos. O mapa foi feito a partir de imagens de satélite com uma resolução de 30 metros e publicado na revista "Science". <a href="http://earthenginepartners.appspot.com/science-2013-global-forest">Entre no site</a> Reprodução Mais

dez.2013 - O desmatamento da Amazônia Legal acumulado no período de agosto a novembro de 2013 foi 368 quilômetros quadrados. Houve redução de 70% em relação ao período anterior (agosto de 2012 a novembro de 2012) quando o desmatamento somou 1.206 quilômetros quadrados, apontam estudos independentes da ONG Imazon Divulgação/Imazon Mais

fev.2014 - O Inpe lembra que os resultados do Deter devem ser analisados em conjunto com as informações sobre a cobertura de nuvens, que afeta a observação por satélites. Como é possível ver na imagem de novembro de 2013 a janeiro de 2014, as áreas em rosa correspondem aos locais que estiveram encobertos; os pontos amarelos mostram a localização dos alertas emitidos Reprodução Mais

abr.2014 - Após analisar imagens de satélite, o Ibama constatou desmatamento em áreas no norte do Mato Grosso. Os agentes identificaram desmate em áreas de florestas nativas nos municípios de Gaúcha do Norte (183 hectares) e os proprietários, que tiveram os tratores apreendidos, foram autuados pelos dematamentos em R$ 5 mil por hectare. Foi identificado também que as informações existentes no Cadastro Ambiental Rural (CAR) não correspondiam à realidade dos imóveis, indicando que já havia a intenção de desmatar as áreas. Os engenheiros responsáveis receberam multa de R$ 60 mil por prestar informação enganosa Ibama Mais

abr.2014 - Ibama realizou uma operação de fiscalização que resultou em multas no valor de R$ 7,5 milhões e 700 hectares de área embargada no interior da Terra Indígena Cachoeira Seca, nos municípios de Uruará e Placas, no Pará, após denúncias da Funai e da comunidade indígena. Foram apreendidos três tratores, um caminhão adaptado para carregar toras, uma serraria portátil, quatro motosserras, três espingardas e 57 metros cúbicos de madeira em tora. A ação aconteceu entre os dias 05 e 10 de abril com o apoio de servidores da Funai e de agentes da Polícia Federal Ibama Mais

abr.2014 -Cuiabá (04/04/2014) - O Ibama em Mato Grosso está fiscalizando o descumprimento de embargo de áreas desmatadas ilegalmente em anos anteriores. A operação denominada Commodities monitora os polígonos embargados, e apreende maquinários e grãos. Os proprietários e arrendatários são autuados por impedir a regeneração da floresta e por descumprimento de embargo, além de ter de efetuar as medidas fitossanitárias com as sobras de lavouras. A última ação da operação foi na região norte de Mato Grosso, em uma fazenda localizada no município de Nova Ubiratã, a 532 quilômetros de Cuiabá. A área estava embargada devido a desmatamento ilegal entre 2011 e 2012 . A equipe do Ibama constatou que o proprietário não respeitou o embargo em 596,7 hectares e continuou a utilizar a área. No local, que deveria ser a reserva legal da propriedade, com a floresta nativa em regeneração, houve plantio de soja na safra 2013/14. A lavoura de soja foi monitorada por agentes do Ibama que, ao final da colheita, apreenderam toda a produção, calculada em 1.790 toneladas (equivalente a 30 mil sacas). Os grãos foram depositados em armazéns da região e deverão ser doados, no final da tramitação processual, para programas sociais. Além da apreensão dos bens e produtos, tanto o proprietário quanto o arrendatário da área, foram autuados em mais de R$ 6 milhões Nicélio Silva/Ibama-MT Mais

abr.2014 - O Ibama realizou uma operação de fiscalização na Terra Índigena Menkragnoti, de cerca de 4,9 milhões de hectares, no Estado do Pará. Os indígenas da etnia Kayapó denunciaram ao Ibama a ação de madeireiros ilegais em suas terras. Foi definido um plano de atuação em parceria entre o Ibama e os Kayapós que resultou na detenção em flagrante de 40 pessoas, na destruição de 11 acampamentos de madeireiros e na apreensão de 26 motosserras, além de multas no valor de R$ 50 milhões. A Terra Indígena Menkragnoti abrange os municípios de Altamira e São Félix do Xingu/PA, Matupá e Peixoto de Azevedo/MT Ibama Mais

abr.2014 - O Ibama, em parceria com a Fundação Nacional do Índio (Funai) e o Batalhão de Policiamento Ambiental (Bpam), realizou operação na Terra Indígena Rio Manicoré, localizada no município de Manicoré, sul do Estado do Amazonas. Durante a ação, foram apreendidos aproximadamente 85 m³ de madeira em toras e foram aplicadas multas de R$ 30 mil. A madeira, em sua maior parte, angelim-pedra, estava sendo transportada na balsa Navezon B29, que também foi apreendida Ditec/Ibama Mais

9.jun.2015 - Serrarias do município de Uruará, no Pará, são flagradas em operação durante sobrevoo do Greenpeace. Os créditos do plano de manejo da Fazenda Agropecuária Santa Efigênia, que fraudou inventários florestais, foram comercializados com 22 serrarias, sendo que 16 estão localizadas no próprio município. A imagem foi feita em 5 de junho de 2015 Rogério Assis/Greenpeace Mais

9.jun.2015 - Serrarias do município de Uruará, no Pará, são flagradas em operação durante sobrevoo do Greenpeace. Os créditos do plano de manejo da Fazenda Agropecuária Santa Efigênia, que fraudou inventários florestais, foram comercializados com 22 serrarias, sendo que 16 estão localizadas no próprio município. A imagem foi feita em 5 de junho de 2015 Rogério Assis/Greenpeace Mais

9.jun.2015 - Serrarias do município de Uruará, no Pará, são flagradas em operação durante sobrevoo do Greenpeace. Os créditos do plano de manejo da Fazenda Agropecuária Santa Efigênia, que fraudou inventários florestais, foram comercializados com 22 serrarias, sendo que 16 estão localizadas no próprio município. A imagem foi feita em 5 de junho de 2015 Rogério Assis/Greenpeace Mais

9.jun.2015 - Serrarias do município de Uruará, no Pará, são flagradas em operação durante sobrevoo do Greenpeace. Os créditos do plano de manejo da Fazenda Agropecuária Santa Efigênia, que fraudou inventários florestais, foram comercializados com 22 serrarias, sendo que 16 estão localizadas no próprio município. A imagem foi feita em 5 de junho de 2015 Rogério Assis/Greenpeace Mais

9.jun.2015 - Serrarias do município de Uruará, no Pará, são flagradas em operação durante sobrevoo do Greenpeace. Os créditos do plano de manejo da Fazenda Agropecuária Santa Efigênia, que fraudou inventários florestais, foram comercializados com 22 serrarias, sendo que 16 estão localizadas no próprio município. A imagem foi feita em 5 de junho de 2015 Rogério Assis/Greenpeace Mais

9.jun.2015 - Pátio de madeira é flagrado dentro do plano de manejo da Fazenda Agropecuária Santa Efigênia, situada no município de Uruará (PA). A investigação do Greenpeace revelou que esse plano de manejo superestimou os volumes e indivíduos da árvore ipê no inventário, conseguindo, assim, uma licença para extrair madeira no local. A imagem foi feita em 5 de junho de 2015 Rogério Assis/Greenpeace Mais

9.jun.2015 - Greenpeace flagra ramais para transporte de toras dentro do plano de manejo da Fazenda Agropecuária Santa Efigênia, situada no município de Uruará (PA). A investigação da organização revelou que esse plano de manejo superestimou os volumes e indivíduos da árvore ipê no inventário, conseguindo, assim, uma licença para extrair madeira no local. A imagem foi feita em 5 de junho de 2015 Rogério Assis/Greenpeace Mais

9.jun.2015 - Uma investigação do Greenpeace sobre extração ilegal de madeira flagrou vias abertas na terra indígena Cachoeira Seca, no Pará. Essas vias são provavelmente usadas para o transporte de madeira ilegal na área. Diversas investigações da organização revelaram desde maio de 2014 como madeireiros da Amazônia exploram as falhas do sistema de controle da atividade para lavar a madeira ilegal com documentos oficiais. A imagem foi feita em 5 de junho de 2015 Rogério Assis/Greenpeace Mais

9.jun.2015 - Uma investigação do Greenpeace sobre extração ilegal de madeira flagrou vias abertas na terra indígena Cachoeira Seca, no Pará. Essas vias são provavelmente usadas para o transporte de madeira ilegal na área. Diversas investigações da organização revelaram desde maio de 2014 como madeireiros da Amazônia exploram as falhas do sistema de controle da atividade para lavar a madeira ilegal com documentos oficiais. A imagem foi feita em 5 de junho de 2015 Rogério Assis/Greenpeace Mais

9.jun.2015 - Uma investigação do Greenpeace sobre extração ilegal de madeira flagrou vias abertas na terra indígena Cachoeira Seca, no Pará. Essas vias são provavelmente usadas para o transporte de madeira ilegal na área. Diversas investigações da organização revelaram desde maio de 2014 como madeireiros da Amazônia exploram as falhas do sistema de controle da atividade para lavar a madeira ilegal com documentos oficiais. A imagem foi feita em 5 de junho de 2015 Rogério Assis/Greenpeace Mais

9.jun.2015 - Uma investigação do Greenpeace flagrou toras estocadas e empilhadas na terra indígena Cachoeira Seca, no Pará, onde a extração de madeira é ilegal. Licenças oficiais obtidas através de inventários florestais fraudados, isto é, que indicam uma presença maior de árvores como o ipê na região, permitem a legalização e a comercialização destas madeiras. A imagem foi feita em 30 de março de 2015 Fábio Nascimento/Greenpeace Mais

9.jun.2015 - Trator em área de manejo florestal da Fazenda Agropecuária Santa Efigênia, situada no município de Uruará (PA), derruba árvores durante período de embargo. O plano de manejo florestal da empresa superestimou a presença de ipê no inventário florestal da área em 1.300% a mais do que a média encontrada, obtendo uma licença para retirar cerca de 600 caminhões de madeira ilegal. Após denúncia do Greenpeace, a empresa foi multada e o plano foi suspenso. A imagem foi feita em 30 de março de 2015 Fábio Nascimento/Greenpeace Mais

5.out.2015 - Foto aérea mostra a floresta Amazônica (na parte superior) fazendo fronteira com terras desmatadas para o plantio de soja, em Mato Grosso. A foto foi tirada neste domingo (4) e divulgada hoje. O Brasil produzirá um recorde de 97,8 milhões de toneladas de soja em 2015/16, um aumento de 3,2% em comparação com 2014/15 Paulo Whitaker/ Reuters Mais

Veja registros do desmatamento na Amazônia nos últimos anos

Mais álbuns de Ciência e Saúde x

Últimos álbuns de Meio Ambiente

UOL Cursos Online

Todos os cursos