PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

"Mãe" do desenvolvimento sustentável critica subsídio a carvão e petróleo

Matheus Lombardi

Do UOL, no Rio

17/06/2012 13h39Atualizada em 17/06/2012 15h51

Contestar e propor soluções para os padrões de produção e consumo atuais foi o tema da quarta plenária dos Diálogos para o Desenvolvimento Sustentável, que definirá as recomendações da sociedade civil para os chefes de Estado que participarão da Rio+20.

Com convidados ilustres, como a ex-primeira-ministra da Noruega Gro Harlem Brundtland, criadora do conceito de desenvolvimento sustentável, a principal questão discutida foi a necessidade do envolvimento de governos na criação de leis e taxas para as indústrias "sujas".

"É crucial evitar os subsídios danosos. Os governos precisam orientar a mudança nos padrões de consumo e torná-los mais sustentáveis", disse Brundtland.

Entre as recomendações aprovadas na plenária estão: promover compras governamentais sustentáveis em todo o mundo como catalizador para padrões sustentáveis, incluir danos ambientais no Produto Nacional Bruto (PNB) e eliminar progressivamente os subsídios danosos e promover mecanismos fiscais verdes.

Uma plateia formada principalmente por usuários de computadores e smartphones de última geração ouviu o fundador do Instituto Ethos, Hélio Mattar, pedir por uma ação imediata para evitar um mundo insustentável com o alucinante consumo nas próximas décadas. 

"Se não houver mudanças no modelo de produção e de consumo, daqui a vinte anos precisaremos de quase quatro planetas para suprir toda essa demanda", afirmou.

Crise não pode ser desculpa

Na adoção das medidas para combater a crise econômica é necessário ter um conteúdo de desenvolvimento sustentável, segundo o ex-ministro Rubens Ricupero.

"O crescimento econômico, o bem estar social e o impacto ambiental têm que estar nessa agenda", declarou.

Entenda

Os "Diálogos para o Desenvolvimento Sustentável" foram propostos pelo governo brasileiro para anteceder a Rio+20. Até o dia 19 de junho, no Riocentro, Rio de Janeiro, representantes da academia e também de movimentos sociais, setor privado e a população em geral se reúnem para debater temas centrais da Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável e fazer recomendações para os chefes de Estado.

As discussões irão partir de 10 recomendações saídas da plataforma online Diálogos do Rio sobre os temas: oceanos; água; segurança alimentar e nutricional; desenvolvimento sustentável para o combate à probreza; desenvolvimento sustentável como resposta às crises econômica e financeira; energia sustentável para todos; a economia do desenvolvimento sustentável, incluindo padrões sustentável de produção e consumo; cidades sustentáveis e inovação; desemprego, trabalho decente e migrações; e florestas.

No final, serão escolhidas três por tema para serem encaminhadas aos Chefes de Estado na Rio+20, que acontece de 20 a 22 de junho.

Meio Ambiente