Topo

Conselho Indígena de Roraima recebe prêmio espanhol

Em Madri

19/10/2012 16h16

O Conselho Indígena de Roraima recebeu nesta sexta-feira (19) o 21º Prêmio Bartolomé de las Casas, que foi entregue pelo príncipe das Astúrias, Felipe de Borbón,a Mário Nicácio Wapichana, representante da entidade.

Durante ato no salão de audiências do Palácio da Zarzuela (residência dos reis da Espanha, na capital Madri), o príncipe Felipe, herdeiro da Coroa espanhola, entregou a medalha de certificação ao coordenador. O prêmio, concedido pelo Ministério das Relações Exteriores espanhol e a Casa de América, foi entregue à organização por seu trabalho de mais de 30 anos em defesa dos povos indígenas do estado de Roraima.

Após a leitura da ata do júri, que em fevereiro decidiu por unanimidade conceder o prêmio ao Conselho Indígena de Roraima, o representante do órgão recebeu a medalha com a imagem do frade dominicano que é símbolo da defesa dos direitos dos indígenas.

Estiveram presentes no ato o secretário-geral de Cooperação, Gonzalo Robles, e vários representantes da Secretaria de Estado de Cooperação Internacional e para região ibero-americana e da Casa da América, entidades que a cada ano convocam o prêmio, de 50 mil euros (cerca de R$ 132.980).

A associação premiada foi considerada merecedora do prêmio por seu trabalho "nos âmbitos da saúde e da educação, utilizando como ferramentas o associacionismo e a autogestão", segundo o júri.

Também foram reconhecidos seus esforços para envolver as comunidades indígenas em sua autogestão e impulsionar a coparticipação dos organismos estatais no desenvolvimento dos povos indígenas do Brasil.

Com mais de 30 anos de história, o conselho representa dez povos indígenas de Roraima, com uma população estimada em cerca de 20 mil pessoas, e desempenha um importante trabalho político em defesa dos direitos dos povos indígenas no âmbito nacional e internacional.

Entre seus projetos, destacam-se a capacitação de membros de comunidades indígenas, como agentes de saúde, e a criação da escola Surumu, que estimula a autonomia dos povos indígenas.

O jovem coordenador do conselho, Mário Nicácio Wapichana, declarou que o prêmio "significa muito, porque dá visibilidade à luta dos povos indígenas pela conquista de seus direitos". 

Também contou que o prêmio "dá muita força" a sua luta, que será vista como um exemplo mundial. "Podemos ser um exemplo para outros povos indígenas, não só do Brasil, de toda a América Latina", assinalou.

O Prêmio Bartolomé de las Casas foi criado em 1991 com o objetivo de reconhecer o trabalho a favor do entendimento e do diálogo com os povos indígenas, e em prol da proteção de seus direitos e do respeito de seus valores.

Meio Ambiente