PUBLICIDADE
Topo

Meio Ambiente

Funai registra com drone índios isolados na floresta amazônica

Do UOL, em São Paulo

22/08/2018 14h03

A Funai (Fundação nacional do Índio) divulgou nesta terça-feira (21) imagens de uma etnia isolada na Terra Indígena Vale do Javari, no estado do Amazonas. O registro foi feito sem contato direto, por meio de um drone que sobrevoou a região dos afluentes dos rios Jutaí e Juruazinho.

O local é de difícil acesso. Segundo a Funai, "a equipe percorreu mais de 180 km em embarcações pelos rios, caminhonetes por estradas de terra, motos em trilhas fechadas e outros 120 km a pé, dentro da mata densa".

O acompanhamento da fundação tem a missão de proteger os índios. Foi uma expedição realizada pela Coordenação da Frente de Proteção Etnoambiental Vale do Javari (FPEVJ), por intermédio de seu Serviço de Proteção em Eirunepé-AM, entre os dias 16 de julho e 1º de agosto.

A área protegida é a segunda maior do país e está localizada no sudoeste do Amazonas, na fronteira entre o Brasil e o Peru.

Maloca  - Funai/Divulgação - Funai/Divulgação
Maloca registrada em 2017 na Terra Indígena Vale do Javari, no Amazonas
Imagem: Funai/Divulgação

De acordo com a fundação, há seis povos contatados (matsés, matis, marubos, kanamaris e kulina-panos), dois de recente contato (korubos e tsohom djapas) e 16 registros em estudo de índios isolados (sendo 11 confirmados).

A expedição divulgou em seu balanço que "encontrou provas e registrou a presença assídua de caçadores em diversos igarapés afluentes do rio Juruazinho". Também advertiu duas equipes de caça próximas aos limites da terra indígena que foram flagradas cometendo atos ilícitos ambientais. Animais vivos foram apreendidos e soltos posteriormente.

Machado - Funai/Divulgação - Funai/Divulgação
Machado amarrado com fibra vegetal feito por índios (a caneta é só para comparar o tamanho)
Imagem: Funai/Divulgação

Proprietários de terras e de fazendas de gado também foram notificados para não ocupar o território demarcado.

"Essa é a terceira expedição terrestre de monitoramento dos índios isolados em menos de um ano nessa região. A vigilância e a fiscalização devem ser intensificadas para coibir a ação de infratores e garantir a posse plena do território pelos indígenas", afirmou Vitor Góis, servidor da Funai que coordenou os trabalhos em campo.

Canoas - Funai/Divulgação - Funai/Divulgação
Canoas feitas com palmeira na Amazônia e registradas em 2017 pela Funai
Imagem: Funai/Divulgação

Meio Ambiente