PUBLICIDADE
Topo

Greta Thunberg chega à Suíça com promessa de pressionar autoridades em Davos

17/01/2020 16h13

Lausanne (Suíça), 17 jan (EFE).- A ativista sueca Greta Thunberg chegou à Suíça para participar nesta sexta-feira de uma grande manifestação de jovens em Lausanne, e prometeu que no Fórum de Davos intensificará a cobrança aos líderes mundiais para que encarem a crise climática com seriedade.

"Aos líderes mundiais e aos que estão no poder, digo que ainda não viram nada, vão ver muito mais, garanto", disse em breve discurso no final da manifestação, que com cerca de 15 mil pessoas presentes foi um dos maiores protestos dos jovens contra o clima no país neste ano.

"Esta é a mensagem que levaremos ao Fórum de Davos na próxima semana", disse a ativista de 17 anos, destacando que "estamos em uma nova década, mas até agora não vimos nenhum sinal de ação real pelo clima, e isso tem que mudar".

A manifestação de Lausanne vem após um ano de greves estudantis na Suíça, inspirada, como em muitos outros países em todo o mundo, pelo movimento iniciado por Greta em 2018.

"Para mim, está é a 74ª semana de greve. Nós, jovens do mundo todo, começamos esta greve todas as sextas-feiras, e já deveríamos ter feito isto há muito tempo", proclamou a ativista.

A manifestação, que começou na principal estação de trem local, percorreu durante duas horas as principais ruas de Lausanne e terminou na Place de la Riponne.

Recentemente, a Justiça suíça absolveu 12 ativistas climáticos que entraram em uma filial do Credit Suisse em Lausanne disfarçados de tenistas há pouco mais de um ano para pedir que Roger Federer cortasse as relações comerciais com a instituição.

Esses ativistas participaram da manifestação nesta sexta-feira. Quando o ato passou pela empresa onde ocorreu o protesto, os manifestantes mostraram uma faixa pedindo para que o tenista mais famoso do país se envolva mais na luta contra a crise climática.

Meio Ambiente