Dentistas afirmam que queijo protege esmalte dos dentes

Stephen Smith
The Boston Globe

Agora os cientistas sabem porque os fotógrafos americanos pedem para o modelo dizer "cheese" (queijo), quando querem tirar uma fotografia em que apareçam os dentes do fotografado.

Pesquisadores do Instituto Forsyth, em Boston, em 25 anos de estudos odontológicos provam que um dos prazeres que causa mais sentimento de culpa nos norte-americanos, o consumo de queijo, na verdade ajuda na prevenção de cáries.

Trata-se de um complexo balé molecular, envolvendo o cálcio contido no queijo, um aumento da quantidade de saliva causada pela mastigação, e da capacidade do queijo em restaurar o esmalte dos dentes.

Assim como aconteceu anteriormente com o vinho e com o chocolate, o queijo, que foi tido como um verdadeiro vilão da saúde, devido à sua carga de sal e gordura, está agora sendo absolvido, à medida em que os pesquisadores reconhecem que até mesmo alimentos tidos como nada saudáveis muitas vezes possuem certos pontos positivos. Em um estudo examinado pela equipe do Instituto Forsyth, ficou demonstrado que os indivíduos que consomem queijo experimentam danos ao esmalte dentário em escala 71% menor do que o restante da população.

"Nós comemos uma mistura de alimentos, e nesses alimentos existem fatores bons e ruins", diz o bioquímico Shelby Kashket, um dos membros da investigação conduzida pelo Forsyth e autor de um dos estudos, publicado na edição de abril do periódico Nutrition Reviews."O que fizemos não foi uma outra revisão demonstrando que há algo de horrível acontecendo. Essa pesquisa mostra que há pontos positivos quanto ao queijo".

Pontos positivos que, segundo os cientistas do Forsyth, devem ser consumidos com moderação.

Essa opinião é compartilhada por uma pesquisadora de nutrição da Universidade Tufts, que reconhece que os consumidores muitas vezes ficam confusos com as opiniões conflitantes sobre alimentos, fornecidas por médicos especialistas que competem entre si.

"Os pacientes se perguntam o que fazer. O dentista lhes diz para comerem queijo, e os cardiologistas dizem o oposto", afirma Jeanne Goldberg, diretora do Centro de Comunicação sobre Nutrição da Universidade Tufts. "O queijo é um alimento maravilhoso e gostoso. Muita gente o aprecia e, sim, infelizmente a maioria dos queijos possui uma taxa bastante alta de gordura saturada. Eu aconselho que os consumidores escolham o queijo de sua preferência e o comam com moderação".

Os pesquisadores do Instituto Forsyth ficaram intrigados com o queijo, no que se refere a uma intensa busca da odontologia no sentido de encontrar fontes de minerais que reponham aqueles que são retirados dos dentes pelas bactérias que colonizam a cavidade bucal humana - bactérias que geram ácidos que promovem a destruição dos dentes.

"Se tal destruição se tornar muito grave, a estrutura entra em colapso. E é aí que gritamos de dor, porque temos uma cárie",explica Kashket.

Com o apoio financeiro do Conselho Nacional de Laticínios - Kaskhet diz que a verba foi "bem menor que US$ 20 mil" (cerca de R$ 47 mil) - a equipe do Forsyth revisou os estudos sobre a relação entre o queijo e a prevenção das cáries. Uma parte das pesquisas foi feita com roedores, e uma outra com seres humanos.

Um dos estudos com seres humanos envolveu participantes que usavam implantes protéticos preenchidos com blocos de esmalte dentário bovino. A fim de fazer com que os minerais fossem consumidos, os participantes do estudo lavaram os dentes seis vezes por dia, durante três semanas, com uma solução de água açucarada. Alguns dos participantes mastigaram pedaços de queijo cheddar por um minuto após a lavagem.

O resultado foi que os consumidores de queijo experimentaram uma pedra 71% menor do esmalte dos dentes.

"E essas pessoas não tiveram que comer meio quilo de queijo para chegar a tais resultados", diz Kashet. "Foram porções normais".

Os cientistas acreditam que o cálcio e o fosfato contidos no queijo protegem contra a perda de esmalte. além disto, eles também concluíram que a produção de saliva causada pela mastigação do queijo age como um limpador dos dentes, eliminando o ácido e evitando que as bactérias se fixem sobre eles.

Os pesquisadores do Instituto Forsyth disseram que não estão propondo uma dieta à base de queijo. O que eles querem é que os consumidores reconheçam esse potencial de prevenção contra as cáries como parte de uma dieta bem balanceada. Uma boa higiene oral - com a utilização regular da escova de dentes e do fio dental - ainda é a melhor forma de se prevenir contra as cáries, dizem ele, assim como deixar que a boca conte com um tempo suficiente para se recuperar entre refeições sucessivas.

"Resumindo, a mensagem seria que o queijo pode ser considerado como uma forma de ajudar na prevenção das cáries", afirma Kashket. "Mas não há uma bala mágica feita de queijo para evitar as cáries".



Tradução: Danilo Fonseca

UOL Cursos Online

Todos os cursos