Rússia diz ter matado o líder separatista Khatab

David Filipov
The Boston Globe
Em Moscou

A Rússia anunciou na quinta-feira (25) que as suas forças especiais mataram um dos homens mais procurados do país, um comandante da guerrilha tchetchena de etnia árabe, que o Kremlim suspeita que possua laços com a rede Al Qaeda.

O Serviço Federal de Segurança da Rússia disse que logo vai fornecer provas documentando a morte do líder guerrilheiro conhecido como Khatab. Este homem é um mercenário islâmico que Moscou afirma ter recebido milhões de dólares de Osama bin Laden para financiar e treinar separatistas muçulmanos na Tchetchênia e de ter realizado ataques contra os russos. Mas um porta-voz dos rebeldes nega que Khatab tenha sido eliminado.

A morte de Khatab se constituiria em uma importante vitória para o Kremlin, que até o momento falhou em conter a rebelião na Tchetchênia, mais de dois anos após as suas tropas terem retomado o controle sobre aquela região do Cáucaso devastada pela guerra. Alguns comandantes rebeldes foram capturados ou mortos, mas os principais líderes continuam à solta e as tropas russas continuam a morrer a cada dia em emboscadas preparadas pelos guerrilheiros.

Khatab personifica o argumento de Moscou de que está lutando contra "terroristas internacionais" no Cáucaso, e não contra tchetchenos que só querem a independência. Ele é procurado pelas autoridades russas por ter planejado a onda de seqüestros que vitimou milhares de pessoas na região durante o período de independência da Tchetchênia, entre 1996 e 1999, e por ter liderado uma sangrenta campanha contra a vizinha região russa do Daguestão, em 1999.

As autoridades e a mídia russa o descrevem como um guerrilheiro brutal e impiedoso, que sente prazer em torturar prisioneiros e mutilar corpos.

Em 2000, a inteligência russa disse que Bin Laden enviou US$ 5,5 milhões (cerca de R$ 13 milhões) a Khatab, que o saudita conheceria pessoalmente, devido aos anos passados na luta dos mujahedins contra os soviéticos no Afeganistão, a fim de treinar e equipar os combatentes tchetchenos. O ministro russo da Defesa, Sergei Ivanov, disse no início do ano que fora descoberta uma fita de vídeo mostrando Bin Laden e Khatab juntos. O Web site do separatista tchetcheno, Karkaz.org, afirma que Khatab teria dito em novembro do ano passado que aprovaria o amplo objetivo de Bin Laden de expelir todos os "infiéis" das terras muçulmanas.

Os Estados Unidos colocaram Khatab na sua lista de suspeitos de terrorismo internacional, sem entretanto terem declarado que ele seria um assessor de Bin Laden.

A constituição morena de Khatab, com seus cabelos negros e encaracolados, é bem conhecida pelos russos, graças ao hábito do guerrilheiro em fazer vídeos de si próprio durante as suas campanhas. As tropas russas capturaram vídeos que mostram Khatab comandando ataques contra tropas federais, executando prisioneiros russos, liderando treinamentos em seus campos militares e pescando no Rio Terek, explodindo peças de morteiro na água.

Um trecho particularmente chocante das gravações mostra uma emboscada contra uma coluna russa na Tchetchênia, em 1996, na qual pelo menos 52 soldados foram mortos. A câmera mostra Khatab subindo em tanques incinerados, inspecionando os corpos carbonizados de soldados russos e gritando, "Ah, Deus, isso é ótimo!".

Um porta-voz do Serviço de Segurança Federal, Alexander Zdanovich, disse que Khatab foi morto em março, e prometeu fornecer evidências. Sergei Yastrzhembsky, o porta-voz do Kremlin na Tchetchênia, disse em um programa televisivo que Moscou possui fortes motivos para acreditar que Khatab esteja morto.

Detalhes da operação anunciados pela mídia russa sugerem que as tropas federais não capturaram o corpo de Khatab, mas que estão convencidas da sua morte porque ele não faz contatos por rádio há muito tempo.

O líder do governo civil pró-Kremlin na Tchetchênia, Akhmed Kadyrov, disse que acreditaria na notícia da morte de Khatab se visse o corpo do guerrilheiro. Mairbek Vachagayev, um enviado do presidente separatista tchetcheno Aslan Maskhadov, disse duvidar que a Rússia tenha matado Khatab.

"Creio que o Serviço Federal de Segurança não tem a menor idéia do paradeiro de Khatab, e está tentando armar um engodo para que ele apareça", disse Vachagayev na Rádio Ekho Moskvy.

Por mais infame que tenha se tornado na Rússia devido aos seus atos, Khatab continua sendo uma figura misteriosa, cuja data e local de nascimento e o verdadeiro nome são desconhecidos. A maior parte da mídia russa o descreve como sendo Emir Ibn Khatab, nascido na Jordânia em 1970. Mas Tom de Waal, autor de um livro sobre a guerra de 1994 a 1996 na Tchetchênia, afirma que autoridades jordanianas o identificaram como sendo Habib Abdel Rahman Khatab, nascido na região beduína da Arábia Saudita, próxima à fronteira com o Iraque, em 1965.



Tradução: Danilo Fonseca

UOL Cursos Online

Todos os cursos