NBC reúne astros da HBO para "Joey" ter o pique de "Friends"

Matthew Gilbert
Em Hollywood

A comédia na televisão americana tem um grande problema, e a nova programação de outono não irá resolvê-lo. Enquanto as grandes redes revelam em sessão fechada suas novas séries, essa semana, num salão cheio de críticos tensos e cafeinados, fica evidente que não haverá nenhuma comédia ou sitcom memorável.

Destinado a grandes índices de audiência, Joey", a derivação (spinoff) de "Friends", produzida pela rede NBC, irá apresentar o que o protagonista Matt LeBlanc está chamando de "um Joey mais evoluído". (O personagem continua bobão, mas nós aprenderemos mais sobre a extensão de sua bobice.)

"Joey" saiu melhor do que a encomenda, levando em conta que é uma série spinoff sobre um personagem mono-dimensional. Mas terá que se desenvolver além das piadas sobre as limitações intelectuais de Joey, para evitar um desmoronamento criativo precoce.

A maior qualidade do programa é a presença de Drea de Matteo, que interpreta a irmã de Joey com um caloroso talento cômico, muitas vezes abafado pelas frases de efeito típicas de sitcom e pelas risadas gravadas. Uma das boas novidades que a NBC fisgou da HBO (a outra é Cheryl Hines, de "Father of the Pride"), Drea vive Gina com uma leve pitada de seu personagem da "Família Soprano".

Drea diz que Adriana "era um tipo um tanto engraçado, pela maneira de falar, de agir e de vestir, apesar da série e do próprio papel serem dramáticos. Adorei aquele personagem mais que qualquer coisa na vida, e acabei tendo a oportunidade de fazer um personagem parecido nesse novo programa." Drea diz que ainda poderá voltar à "Família Soprano", talvez aparecendo num sonho durante uma seqüência num dos dez episódios finais da série da HBO.

LeBlanc diz que está se acostumando a trabalhar com um novo elenco, depois de um curto período em que ficava "esperando a porta abrir e o Chandler entrar." E ele faz questão de saudar a atriz que levou tantos socos na "Família Soprano".

"Tentei deixar a Drea à vontade, dando uns tabefes nela", brinca Leblanc.

Outras novidades

Mas há pretensões realistas ("The Contender", com Sylvester Stallone), inaptidões dramáticas (Heather Locklear brincando de aeroporto em "LAX"), e possibilidades dramáticas (o novelão camp "Desperate Housewives").

E esse amargo diagnóstico inclui também "Father of the Pride", série animada da NBC que a rede alardeia ser uma comédia atrevida e que o dublador-estrela Carl Reiner considera "nova, diferente e, talvez, quem sabe, histórica".

A sitcom animada por efeitos de computador só é histórica na medida em que se apóia em alguns dos clichês mais manjados na história da televisão. Ao mostrar a vida "por trás da fama" dos animais que habitam o circo dos mágicos Siegfried e Roy, e uma família de leões em particular, a série tem uma certa classe (com a assinatura da DreamWorks, produtora de "Shrek") mas sem muito pique.

Afinal de contas, todo papai de comédia-família desde "Everybody Loves Raymond" gasta sua meia hora de programa tentando levar mamãe para a cama. E não é nem um pouco mais excitante ou original dessa vez ver o papai leão chamado Larry (com a voz de John Goodman) tentar seduzir sua mamãe leoa, Kate (Cheryl Hines da série "Curb Your Enthusiasm" da HBO). Só é mais assustador.

Estranhamente, o visual de "Father of the Pride" é uma gracinha, doce, com leões, tigres e pandas carinhosos até dizer chega. Será que as crianças se sentirão atraídas pela vivacidade da animação, para então ficarem expostas à temática adulta?

Jeffrey Katzenberg, um dos produtores executivos, diz que não está preocupado. "Esse é um show criado, desenhado e sob todos os aspectos feito para um público que vai dos 18 aos 49 anos. Não é um programa infantil." Ele diz que foi por isso que a NBC programou "Father of the Pride" (que poderia se chamar "Papai Pimpão") para as noites de terça, às 21h.

"Esse é o sinal mais evidente, que poderíamos transmitir ao mundo, sobre nossa intenção e nosso público-alvo$escape.getQuote().Então, presume-se, que a NBC não irá vender os bichinhos de pelúcia na loja Toys "R" Us. Ou será que vai? Série com Matt Le Blanc gera a maior expectativa da nova temporada da TV americana Marcelo Godoy

UOL Cursos Online

Todos os cursos