Eleitor de Massachusetts não quer que o governador Romney seja presidente

Frank Phillips
Em Boston, Massachusetts

Uma maioria dos adultos de Massachusetts entrevistados disse que o governador Mitt Romney não deveria disputar a presidência em 2008, segundo uma pesquisa do The Boston Globe, que também indica que Romney enfrentará uma árdua batalha caso tente disputar um segundo mandato como governador em 2006.

Só 28% dos entrevistados disseram que Romney deveria concorrer à presidência, enquanto 53% afirmaram que não, e 19% responderam não ter opinião sobre o assunto. No universo de eleitores pesquisado, 48% disseram que, se eleito, Romney não seria um bom presidente, e 33% afirmaram que ele seria um presidente satisfatório.

A pesquisa revelou ainda que Romney enfrentaria sérios problemas políticos domésticos caso tentasse se reeleger. Apenas 32% dos eleitores disseram que ele seria reeleito se disputasse em 2006, enquanto 50% afirmaram que outra pessoa se elegeria. Se a eleição fosse hoje, o procurador-geral democrata Thomas F. Reilly teria 48% das intenções de voto, contra 41% de Romney.

Não é de se surpreender que o apoio a Romney seja mais forte entre o eleitorado republicano. Entre os entrevistados que votam nos republicanos, 69% disseram que ele deveria ser reeleito, comparados a apenas 12% dos democratas e a 31% dos independentes. Mas a sua potencial candidatura à Casa Branca não é popular sequer entre muitos republicanos de Massachusetts. Segundo a pesquisa, 39% dos republicanos afirmam que ele não deveria disputar a presidência, contra 35% que dizem que ele deveria concorrer à Casa Branca.

Andrew E. Smith, diretor do Centro de Pesquisas da Universidade de New Hampshire, que conduziu a pesquisa, atribuiu alguns dos problemas de Romney à problemática economia de Massachusetts.

A pesquisa, que ouviu 501 adultos em Massachusetts, foi realizada de 5 a 8 de março. Ela possui uma margem de erro de 4,4 pontos percentuais para mais ou para menos.

Romney, 57, está avaliando se disputa a presidência ou se tenta se reeleger governador. Ele faz várias viagens para fora do Estado, com ampla cobertura da mídia, e tem se apresentado como um conservador quanto às questões sociais, usando Massachusetts e o seu establishment político liberal como pano de fundo contrastante nos seus discursos.

Romney pode se consolar com o fato de a pesquisa ter revelado que apenas 34% dos eleitores de Massachusetts disseram que o senador John F. Kerry, teria amplo apoio por aqui para a sua campanha para a Casa Branca em 2004, deveria concorrer novamente à presidência; 57% garantiram que se opõem a uma outra candidatura de Kerry a presidente.

Quanto ao futuro de Romney, os moradores de Massachusetts parecem estar ansiosos para que ele declare se vai concorrer a reeleição para o governo do Estado ou disputar a presidência. Entre os entrevistados, 56% disseram que ele deveria prometer que permanecerá no cargo por quatro anos, caso decida concorrer à reeleição ao governo do Estado. Um dos eleitores ouvidos disse em uma entrevista a The Boston Globe que só apoiaria uma campanha de Romney à presidência se este não tentasse se reeleger governador.

"Eu apoiaria Romney se ele concorresse à presidência, mas somente se não concorresse ao governo de Massachusetts em 2006", disse Richard Martin, funcionário aposentado da MBTA (órgão responsável pelo transporte público de Massachusetts) e democrata da zona sul de Boston. Ele afirmou ter votado em Romney na eleição de 2002. Somente 25% dos entrevistados disseram que, caso concorra ao governo do Estado, Romney ainda poderia cogitar uma disputa à presidência em 2008.

Mas até mesmo alguns republicanos entrevistados na pesquisa expressaram preocupação quanto à articulação feita por Romney para conseguir a nomeação como candidato do Partido Republicano à presidência.

Um deles, Paul Grisham, de Essex, disse que uma corrida de Romney à Casa Branca seria temerária devido à sua inexperiência em lidar com complicadas questões de política externa. "Acho que como governador ele é excelente", diz Grisham, clérigo de 50 anos de uma igreja sem denominação específica. "Mas, como republicano, acho que o partido estaria mais bem servido com alguém dotado de um currículo mais variado e mais experiente do que Romney. É uma curva de aprendizado muito inclinada para o governador."

Se Romney tentar a reeleição, terá que persuadir alguns eleitores de Massachusetts de que está concentrado no cargo. Entre os pesquisados, 39% disseram que ele está totalmente comprometido com a função de governador, enquanto que 44% acham que Romney passa muito tempo fazendo campanha para a presidência.

Em viagens políticas recentes, Romney brincou com o público, dizendo que "ser conservador em Massachusetts é como ser um criador de gado em uma convenção de vegetarianos".

Ativistas democratas em Massachusetts manifestaram indignação, mas a pesquisa sugere que Romney não parece ter sido politicamente prejudicado pelos comentários. Entre os ouvidos pela pesquisa, 58% afirmaram que os comentários do governador não causaram danos, enquanto que 38% disseram que eles prejudicaram a reputação do Estado.

Smith diz que a vantagem de Reilly sobre Romney (48% a 41%) reflete a grande vantagem eleitoral dos democratas em Massachusetts. Os republicanos representam apenas 13% dos eleitores, e os eleitores não registrados são 50% do total. A pesquisa foi elaborada de forma a refletir a composição eleitoral do Estado.

Ainda assim, apesar do seu fraco desempenho contra Reilly, Romney mantém alguma popularidade, já que, segundo a pesquisa, 52% dos entrevistados manifestaram uma opinião favorável sobre a sua pessoa, e 37% desfavorável.

Os números refletem bem o seu índice de desempenho no emprego, com 50% aprovando a maneira como desempenha as suas atividades como governador, e 37% desaprovando. Esses números se correlacionam fortemente com a tendência partidária, já que 82% dos republicanos aprovam a forma como o governador desempenha as suas funções, enquanto que apenas 32% dos democratas são da mesma opinião. Entre os independentes, 45% aprovam o trabalho que vem sendo feito por Romney.

A pesquisa também mediu a força política de vários potenciais candidatos a governador. O índice de aprovação de Reilly entre os pesquisados é de 53%, contra 12% que tem uma opinião desfavorável sobre ele, e 33% que não o conhecem ou não têm uma opinião. William F. Galvin, secretário de Estado democrata, conta com a opinião favorável de 37% dos entrevistados.

Mas o ex-deputado federal Joseph P. Kennedy 2º mostrou ser um grande favorito entre os potenciais candidatos ao governo. Kennedy conta com um índice de aprovação de 64%, e apenas 16% dos entrevistados manifestaram opinião desfavorável sobre ele. Kennedy, que deixou o Congresso em 1998, mas que fez uma reforma na sua imagem em uma série recente de propagandas televisivas da sua empresa, a Citizens Energy Corporation, disse dois meses atrás que não pretende disputar o governo do Estado em 2006. Alguns líderes democratas esperam que ele mude de idéia.

Um outro democrata, Deval Patrick, é desconhecido por 78% dos entrevistados.

Se Romney não concorrer à reeleição --uma decisão que os seus assessores afirmam que ele deverá tomar até o próximo outono--, a vice-governadora Kerry Healey parece ser um nome provável para a nomeação do Partido Republicano para a candidatura ao governo do Estado.

Healey obteve 34% de opiniões favoráveis e 20% de desfavoráveis. Os eleitores que não têm opinião sobre ela ou que não a conhecem são 46%.

Charles D. Baber, presidente da Harvard Pilgrim Health Care, que manifestou interesse em disputar o governo do Estado, é bem menos conhecido. Cerca de 15% dos entrevistados manifestaram opinião favorável sobre ele, 13% desfavorável, enquanto que 71% afirmaram não ter opinião ou não conhecer o seu nome. Pesquisa avalia o conservador que governa um Estado liberal Danilo Fonseca

UOL Cursos Online

Todos os cursos