Paula Abdul é acusada de ter beneficiado candidato em "American Idol"

Suzanne C. Ryan
Em, Boston

As explosivas acusações de Corey Clark, na noite de quarta-feira (4/5), de que Paula Abdul agiu de forma imprópria como juíza do reality show "American Idol" da Fox, em 2003, provocou um debate tempestuoso entre fãs e críticos. O programa é apresentado no Brasil pelo canal pago Sony aos domingos e às segundas-feiras.

Em sites na Internet e programas de rádio, muitas pessoas que acreditaram nas alegações de Clark, feitas durante o programa "Primetime Live" da rede ABC, disseram que esperam que Abdul renuncie ou seja demitida antes do início da próxima temporada.

"Eu acho que ela vai ser cortada. Eu não acho que vão deixar ela ficar", disse Sybil Wilkes, co-apresentadora do programa "Tom Joyner Morning Show" que é retransmitido nacionalmente, que recebeu mais de 100 telefonemas na quinta-feira sobre o assunto.

A Fox divulgou uma declaração na quinta-feira dizendo que a denúncia na ABC, que atraiu 13,7 milhões de espectadores, era "repleta de rumores, especulações e afirmações de um candidato desclassificado que admitiu ser mentiroso durante o especial".

Mas a Fox também disse que está investigando as afirmações e continua "absolutamente comprometida com a imparcialidade nesta competição".

Alguns fãs, como Paul Timmins, um administrador de empréstimos de 49 anos e que vive em Revere, disse que mesmo se Abdul ajudou Clark nos bastidores, ela não deve ser punida.

"Ambos são adultos", disse ele. "Talvez ela tenha cruzado a linha, mas isto teve impacto na votação? Não. As atuações foram julgadas pelo público e não havia como Paula fazer algo para influenciar quem estava ligando."

Os juízes criticam as atuações a cada semana durante "American Idol", mas é o voto do público, por meio de telefone ou mensagem de texto, que determina qual candidato é eliminado.

No "Primetime Live", Clark, atualmente com 24 anos, alegou que teve relações sexuais com Abdul, 42 anos, quando foi concorrente em 2003. Ele também afirmou que Abdul lhe comprou roupas caras para a disputa, o ajudou a escolher as canções que ele interpretou e lhe deu conselhos não solicitados sobre o programa.

Clark, que foi retirado do "American Idol" depois que a Fox soube que ele tinha ficha criminal, está gravando um CD que inclui uma canção sobre sua suposta experiência com Abdul.

Em uma declaração emitida na semana passada, o secretário de imprensa de Paula Abdul disse que Clark é um "mentiroso" que está tentando atrair atenção para si mesmo. O secretário de imprensa não pode ser contatado na quinta-feira.

Controvérsia não é algo novo para Paula Abdul.

Nesta temporada de "American Idol", ela atraiu atenção para si mesma devido ao seu comportamento incomum diante das câmeras, incluindo explosões emotivas, palavras ininteligíveis e bater palmas como uma foca durante o programa. Abdul disse para a imprensa que ela está altamente emotiva por estar livre de dor pela primeira vez desde que sofreu ferimentos no pescoço na adolescência.

Com tal histórico complicado, Paula Abdul está pronta para ter seu próprio especial, disse Janet Staiger, professora de estudos da mulher e comunicação da Universidade do Texas, em Austin.

"Se eu fosse o empresário dela, eu encontraria um meio de torná-la a vítima. Isto ajudaria a recuperar sua carreira", disse Staiger.

O mesmo não pode ser dito sobre a carreira de Clark. Na quinta-feira, sites como Realitytvworld.com estavam repletos de veneno.

"Alguém percebeu como toda vez que uma pergunta era feita para Corey os olhos dele viravam para baixo? Ele nunca olhou o repórter da ABC nos olhos. (...) Eu acho ele baixo", disse um espectador.

Outro disse: "Este sujeito guardou seus registros telefônicos e mensagem de voz por dois anos. Eu acho que ele estava planejando isto o tempo todo (...) Este sujeito está buscando publicidade para seu (...) álbum e Paula poderá acabar demitida por isto".

Com a mais recente perturbação surgindo no encalço do debate do mês passado, quando a Fox anunciou que exibiu na tela números errados de telefone para a votação de "American Idol", alguns fãs estão expressando mais e mais suspeita sobre a credibilidade da competição.

Apesar de "American Idol" ser o segundo programa mais popular na televisão nesta temporada, atrás apenas de "CSI: Crime Scene Investigation", Wilkes acredita que sua popularidade não durará para sempre. E nos bastidores, ela disse, a Fox pode estar fazendo de tudo para manter as pessoas falando sobre o programa --até mesmo o impensável.

"Talvez alguém da Fox tenha apontado Corey Clark na direção da ABC News", disse ela. "Seria uma maneira brilhante de manter as pessoas interessadas." Público discute incidente no reality show mais popular dos EUA George El Khouri Andolfato

UOL Cursos Online

Todos os cursos