Cai o nº de casamentos gays em Massachusetts

Scott S. Greenberger e Janette Neuwahl
Em Boston

As mulheres são quase dois terços dos mais de 6.100 casais de mesmo sexo que se casaram no Estado de Massachusetts, desde que o casamento homossexual foi legalizado no dia 17 de maio do ano passado. As estatísticas foram divulgadas nesta semana, com a proximidade do primeiro aniversário de sua legalização.

Segundo os números, 6.142 casais do mesmo sexo se casaram no Estado até o final de fevereiro. No entanto, a procura pela licença vem caindo desde maio do ano passado. Nas duas primeiras semanas após a legalização, foram celebrados 1.635 casamentos de pessoas do mesmo sexo, mas apenas 148 em janeiro e fevereiro deste ano.

O Departamento de Saúde Pública do Estado coleta os dados das cidades e leva dois meses para fazer as estatísticas.

"Muitas pessoas esperaram tantos anos para se casarem que aproveitaram aquela primeira semana. Inicialmente, houve uma explosão de casamentos. Era esperado que o número caísse com o tempo", disse Jennifer Hesse, de Cambridge, que se casou com sua parceira de 19 anos no dia 20 de maio do ano passado.

As estatísticas do Estado também mostram que os casais do mesmo sexo que solicitaram licença para casamento em geral eram mais velhos que os casais heterossexuais, aparentemente refletindo a demanda por muitos anos reprimida pelo casamento entre casais de gays e lésbicas.

Mais de 55% dos casamentos heterossexuais foram entre pessoas com mais de 30 anos, comparados com 94,2% dos casamentos entre homens e 91,7% dos casamentos entre mulheres.

Em outros aspectos, porém, os casais heterossexuais e homossexuais foram similares. Em 20,3% dos casamentos heterossexuais um dos parceiros já tinha sido casado. Esse número foi de 18,5% para casais de gays e 28,8% para casais de lésbicas.

Em 15,3% dos casamentos heterossexuais, os dois já tinham sido casados antes, comparados com 2,4% dos casamentos homossexuais masculinos e 6,6% dos casamentos homossexuais femininos.

De acordo com os dados, foram emitidos 841 certificados de casamentos para pessoas do mesmo sexo em Provincetown, 455 em Boston, 553 em Cambridge, 316 em Northampton, 146 em Newton e 228 em Worcester.

Apesar de o número de casamentos homossexuais ter caído durante o inverno, é possível que volte a aumentar com o tempo mais quente. O número de casamentos heterossexuais é mais alto durante o verão e início do outono, de acordo com as estatísticas.

Mas Kris Mineao, opositor ao casamento gay e presidente do Instituto da Família de Massachusetts, disse que a queda do número de casamentos prova que o "casamento gay não é uma coisa tão popular na comunidade homossexual".

"Serve mais como um troféu, que querem para validar seu estilo de vida", disse Mineau.

Gary J. Gates, autor de "The Gay and Lesbian Atlas" (Atlas de gays e lésbicas) e pesquisador da Universidade da Califórnia em Los Angeles que se concentra em política pública e orientação sexual, disse que as tendências entre os casais homossexuais são consistentes com as estatísticas gerais.

De acordo com as pesquisas nacionais, 43% das lésbicas e 23% dos homens têm parceiros. Cerca de 54% dos casais de mesmo sexo de Massachusetts são de mulheres, disse Gates.

A alta proporção de casamentos de lésbicas também pode estar conectada ao fato das lésbicas terem maior probabilidade de ter filhos que os gays, disse Gates. Sua análise do censo de 2000 sugere que 29% dos casais femininos de Massachusetts têm filhos, comparados com 18,6% dos casais masculinos.

"Culturalmente, quando você tem filhos, supostamente está casado, e quando você está casado, supostamente tem filhos", disse Gates, acrescentando que a pressão social pesa mais nas mulheres, independentemente de sua orientação sexual.

Ele salientou que o "casamento traz o acesso a certos benefícios legais particularmente importantes se a pessoa tem filhos".

Tornar a vida mais fácil para seus filhos foi um fator chave para Katie D'Urso, advogada de 37 anos de Boston, que se casou com sua parceira de longa data há três semanas, na cobertura do Ritz Carlton, em Back Bay. D'Urso e Deborah Silva, que moram em Medford, adotaram um filho e uma filha.

"Deus nos livre, mas se alguma coisa acontecer com alguma de nós ou com as duas, a transferência da herança para nossos filhos será mais fácil se formos casadas", disse D'Urso sobre sua forma de pensar antes do casamento no mês passado. Ela disse: também gosto de "poder dizer às crianças que somos casadas, como os pais dos seus amigos do outro lado da rua".

Deb Kennedy, de Milton, que casou com sua parceira em junho, disse que seu filho de 7 anos está muito contente com o fato das mães serem casadas.

"Foi realmente muito mais importante para ele do que qualquer outro na família", disse Kennedy. "Ele achou muito legal. Significou muito para ele."

Queda da rejeição

Uma pesquisa conduzida em março pela Universidade de New Hampshire sugere que o apoio público ao casamento entre pessoas do mesmo sexo aumentou no último ano.

Em fevereiro de 2004, antes de entrar em vigor a decisão da Suprema Corte legalizando o casamento homossexual, 53% dos entrevistados foram contra. Na pesquisa mais recente, com 501 adultos de Massachusetts, 56% disseram que o casamento gay deveria ser legal.

Wilfred Labiosa-Barter, de Arlington, casou-se com seu parceiro em Provincetown no último verão. Ele observou uma mudança na forma que as pessoas viam o casamento gay depois que o assunto deixou as manchetes.

"Assim que vêem alguém em frente deles que é humano, de carne e osso, eles dizem: 'Nossa, são pessoas como nós'", disse Labiosa-Barter. "As pessoas não se incomodam, porque viram a coisa toda acontecer, e provavelmente conhecem alguém que passou por isso". Lésbicas são quase dois terços das uniões, um ano após permissão Deborah Weinberg

UOL Cursos Online

Todos os cursos