Vantagem de Bush cresce entre eleitores rurais

Bill Bishop
Em Austin, Texas

O presidente Bush ganhou apoio entre eleitores rurais, exatamente nos Estados em que mais precisa: o coração industrial do Meio-Oeste, de acordo com recente pesquisa das regiões rurais, em 17 Estados disputados.

Bush agora está na frente entre eleitores rurais de Estados indefinidos com as mesmas margens que venceu a disputa presidencial de 2000 contra o Democrata Al Gore. De acordo com uma pesquisa divulgada pela National Public Radio e Austin American Statesman, a vantagem de Bush cresceu sobre o Democrata John Kerry entre esses eleitores. Em junho, a distância entre os dois era de nove pontos percentuais e, na segunda semana de setembro, de 13 pontos percentuais.

Em uma disputa acirrada, Bush conquistou 55% das intenções de voto, e Kerry 42%. Nesses mesmos Estados em 2000, Bush ficou com 53% dos votos; Al Gore, 42,6%. "Foi uma total consolidação da base de Bush", disse a pesquisadora de opinião Anna Greenberg, que conduziu a pesquisa para o Centro de Estratégias Rurais, um grupo não partidário em Whitesburg, Kentucky. "Bush estava se saindo mal o ano todo. Mas agosto foi seu mês de trazer seus eleitores de volta."

Bush fez exatamente isso. Ele ganhou terreno em todas as categorias, quando se compara o resultado atual com o de uma pesquisa idêntica de junho entre os eleitores em Estados rurais disputados. Bush aumentou sua vantagem entre eleitores operários e religiosos. Kerry tinha uma vantagem de 12 pontos percentuais entre protestantes em junho. Em setembro, Bush passou a sua frente por dois pontos percentuais.

Bush também aumentou sua vantagem entre as mulheres do campo. O presidente agora tem uma liderança de 10 pontos entre prováveis eleitoras. Além disso, disse Greenberg, a mudança para Bush tem sido mais forte entre eleitores rurais em Estados disputados do que entre eleitores rurais em geral.

Os resultados basearam-se em entrevistas com 536 eleitores registrados que moram em zonas rurais de 17 Estados disputados e tem uma margem de erro de mais ou menos 4,4 pontos percentuais.

O estrategista Republicano Bill Greener, que examinou os resultados da pesquisa diz que os eleitores rurais "deram uma olhada em Kerry" e concluíram que têm "uma afinidade natural pelo presidente Bush".

A mudança entre os eleitores rurais na direção de Bush pode ser responsável pelos resultados de outras pesquisas nos Estados do Meio-Oeste, onde o presidente aumentou sua vantagem para 21 pontos percentuais entre eleitores rurais, dobrando a que tinha em junho.

Wisconsin, por exemplo, escolheu Gore por pequena margem em 2000. De acordo com uma pesquisa da CNN/USA Today/Gallup, entretanto, Bush está na frente de Kerry em Wisconsin por oito pontos percentuais.

Kerry ficou na frente entre eleitores rurais das costas, nos Estados de Washington, Oregon, Maine, New Hampshire e Pensilvânia.

A pesquisa de opinião no campo descreve um país cada vez mais polarizado entre os partidos. Dos entrevistados que se identificaram como Republicanos, 98% disseram que votarão em Bush. "Nunca vi uma pesquisa na qual Bush ficou com 98% dos Republicanos", disse Greenberg.

Em junho, 14% dos que se dizem Republicanos liberais ou moderados disseram que votariam no candidato Democrata. Na segunda semana de setembro, todos esses eleitores disseram que apoiarão Bush.

Kerry não conseguiu angariar o mesmo tipo de apoio entre os Democratas. O senador de Massachusetts tem apenas 87% da intenção dos votos de Democratas.

Esse fracasso em conquistar o total apoio entre os Democratas preocupa Greenberg, que trabalha para candidatos Democratas. "Uma coisa triste é o fraco desempenho entre os Democratas", disse Greenberg. "É preocupante, mas por outro lado, essas serão as primeiras pessoas a voltarem para Kerry, se os ventos mudarem. Mas, sim, achei os resultados desanimadores."

Tanto Greenberg e Greener explicam os ganhos de Bush em termos culturais.

"Acredito que é uma combinação de coisas, que incluem os temas da campanha, a satisfação pessoal com o candidato, atenção, coisas assim", disse Greener.

"As pessoas se ressentem quando os Democratas esnobam música country e as pessoas que apreciam o gênero. Há sempre uma sensação palpável de que John Kerry está mais a vontade em Paris, na França, do que na cidade de Paris que fica no interior do Estado de Kentucky." Grotões americanos preferem o presidente, segundo levantamentos Deborah Weinberg

UOL Cursos Online

Todos os cursos