UOL Notícias Internacional
 

20/08/2006 - 00h01

Nova Times Square promete ainda mais "show business"

Cox News Service
Cheryl Blackerby

Em Nova York
Historicamente, a melhor maneira de conseguir um bom preço por ingressos de um espetáculo da Broadway é fazer fila na cabine da TKTS na Times Square, onde se conseguem descontos de 30% a 50% para shows no mesmo dia. Já fiz isso muitas vezes para não gastar US$ 100 ou mais nas bilheterias.

Quando chovia, eu puxava um guarda-chuva ou comprava um dos vendedores que aparecem como por magia assim que cai a primeira gota. Lia um livro ou conversava com as pessoas paradas perto de mim na fila enquanto torrávamos nos verões de 40ºC ou congelávamos nos ventos de inverno que se afunilam na Broadway.

Mas os tempos mudaram em Times Square. A cabine da TKTS, que vende 1,5 milhão de ingressos por ano, mudou-se temporariamente para a entrada coberta do hotel Marriott Marquis, enquanto se constrói uma fantástica estrutura que parece um anfiteatro, protegendo 12 guichês de venda. Também vai se chamar TKTS. As arquibancadas na Rua 47, projetadas para mil pessoas, terão vista para o movimento em Times Square.

A cerimônia de lançamento da estrutura de US$ 12,5 milhões foi realizada em maio, e o projeto deverá ficar pronto perto do final do ano. Os degraus futuristas de vidro vermelho, com quase 5 metros de altura máxima, descendo em cascata sobre o teto das bilheterias, será um monumento que as autoridades municipais estão chamando de "Escadaria Espanhola de Nova York".

Os degraus serão aquecidos para derretar a neve, mas os arquitetos esqueceram de incluir uma cobertura, de modo que você continuará se molhando na chuva e torrando ao sol. Você tem só quatro meses para desfrutar as filas cobertas no Marriott.

Enquanto isso, Duffy Square, a pequena praça dentro de Times Square que é o entorno da TKTS, está fechada com tapumes, pronta para a construção, enquanto carros e táxis amarelos correm dos dois lados dela.
Os ingressos mais procurados são para "Jersey Boys" no August Wilson Theatre (245, Rua 52 Oeste), "The Color Purple" no Broadway Theatre (1681, Broadway) e "Spamalot", do Monty Python, no Schubert (225, Rua 44 Oeste).

Ser o primeiro na fila da TKTS não garante bons lugares, porque os ingressos são liberados pelos teatros ao longo do dia, até o horário de fechamento.

Mas a maioria dos ingressos está disponível quando a TKTS abre. Na verdade, a sabedoria convencional diz que os melhores ingressos são encontrados uma hora antes dos espetáculos, mas as opções geralmente são menores e você tem de correr para o teatro. A taxa de desconto, aliás, depende do teatro, o que provavelmente significa que o desconto é menor para os shows mais procurados.

Às vezes as bilheterias dos teatros oferecem ingressos com desconto, e alguns, como o Gershwin Theatre (222, Rua 51 Oeste), que está apresentando "Wicked", e o Nederlander Theatre (208, Rua 41 Oeste), com "Rent", têm sorteios que oferecem lugares na primeira fila por US$ 25. Você dá seu nome no início do dia e verifica mais tarde para ver se foi sorteado.

Você também pode conseguir ingressos com desconto em www.theatermania.com e www.applause-tickets.com, que oferecem pacotes de hospedagem-ingressos.

Apanhe cupons de descontos para diversos shows no Centro Oficial de Informação a Visitantes de NYC (810, 7ª Av. com Rua 53; 212-484-1222). O centro fica aberto de segunda a 6ª-feira das 8:30 às 16 hs e sábados e domingos das 9 às 17 hs.

É impossível ir a Times Square sem ver os teatros. Passe por lá -- alguns oferecem visitas -- mesmo que você não vá assistir a um espetáculo.

O Belasco Theatre (111, Rua 44 Oeste, entre 6ª e 7ª Avs.), inaugurado em 1907, tem um auditório neo-georgiano espetacular, com 18 murais do famoso artista Everett Shin. O palco foi o cenário de trabalhos ganhadores de Tony de Martita Hunt ("The Madwoman of Chaillot", 1948), Colleen Dewhurst ("All the Way Home", 1960), Beryl Reid ("The Killing of Sister George", 1966), Ralph Fiennes ("Hamlet", 1995) e Janet McTeer e Owen Reed ("The Doll House", 1997).

O New Amsterdam Theater (214, Rua 42 Oeste, entre 7ª e 8ª Avs.) é um dos mais antigos e belos da Broadway, construído em 1902 com uma entrada "beaux-arts" e um magnífico interior "art-nouveau" de gesso pintado, pedra esculpida, murais e azulejos. De 1913 a 1927, o teatro e seu palco superior abrigaram as famosas Ziegfeld Follies. O New Amsterdam tornou-se um cinema em 1937 e entrou em declínio até que foi restaurado à sua glória original pela Walt Disney Company. Depois de um intervalo de 60 anos, ele reabriu em 1997 como legítimo teatro. Em 1998 estreou o aclamado "The Lion King", que ganhou prêmios Tony de melhor musical, melhor diretor (Julie Taymor) e melhor coreografia (Garth Fagan).

O New Victory Theater (209, Rua 42 Oeste), o teatro mais antigo ainda em atividade em Nova York, construído em 1900 por Oscar Hammerstein e batizado de Theatre Republic, ajudou a fundar a Rua 42 como novo bairro teatral da cidade. Hammerstein o descreveu como o "teatro perfeito (...) uma sala de estar do drama, dedicada a tudo o que há de melhor na arte dramática e lírica". George Arliss, Tyrone Power, Mary Pickford e Lillian Gish se apresentaram em seu palco. Os dias de glória pararam subitamente em 1932, quando se tornou a primeira casa de strip-tease do bairro, e nos anos 70 foi o primeiro cinema de filmes pronográficos.
Mas reabriu em dezembro de 1995 como The New Victory Theater, meticulosamente restaurado. Sob a direção da The New 42nd Street, The New Victory Theater lançou a Rua 42 mais uma vez como destino de primeira classe.

O Palace Theater (1564, Broadway, entre as Ruas 46 e 47), construído em 1913 e apelidado de o "Valhala do Vaudeville", teve apresentações de Ed Wynn, Ethel Barrymore, Harry Houdini, Fanny Brice, Eddie Cantor, Sarah Bernhardt, Helen Keller, Jack Benny, George Burns, Bob Hope, Ethel Merman, Barbara Stanwyck, Al Jolson, Jimmy Durante e muitos mais. Depois de extensa reforma, o Palace reabriu como um legítimo palco de comédia musical, com a estréia em 1966 da peça de Neil Simon-Cy Coleman-Dorothy Fields "Sweet Charity", apresentando coreografia de Bob Fosse, que ganhou o Tony. Outras produções que levaram o prêmio incluem "George M!" (1968), "Applause" (1970), "La Cage aux Folles" (1983) e "The Will Rogers Follies" (1991).

A Shubert Alley (entre as Ruas 44 e 45, perto da 7ª Avenida) é o coração do teatro da Broadway, com duas casas de prestígio - Booth e Shubert - construídas em 1913 com incríveis fachadas do Renascimento veneziano. Os teatros da Shubert Alley abrigaram produções famosas como "You Can't Take It With You", "The Philadelphia Story", "The Elephant Man", "A Chorus Line" e "Chicago".

Antigos teatros na nova Times Square
Ainda há muitos antigos marcos urbanos na "Grande Via Branca", como OJ Gude, o pai da publicidade moderna, a descreveu em 1901 depois que a eletricidade chegou a Manhattan e iluminou as marquises dos teatros. Times Square, aliás, não é uma praça mas uma "gravata borboleta" onde a Broadway e a 7ª Avenida se cruzam, formando dois triângulos entre as ruas 42 e 47.

Em 1904, a "Encruzilhada do Mundo", como era chamada nos jornais da época, estreou a invenção da luz neon, a abertura da primeira linha de metrô da cidade e a primeira comemoração do Ano Novo, festa que inaugurou a sede de "The New York Times".

O dono do jornal, Alfred Ochs, pressionou com sucesso a municipalidade para rebatizar Longacre Square, o bairro ao redor da nova casa do jornal, em homenagem ao mesmo. A impressionante Times Tower, construída em um pequeno triângulo de terra no cruzamento de 7ª Avenida, Broadway e Rua 42, era na época o segundo maior prédio de Manhattan, e hoje é chamado de One Times Square Plaza. Pode-se ver o mastro no topo, de onde caem as bolas de cristal no Ano Novo.

As luzes de neon continuam lá em sua glória brilhante, juntamente com enormes painéis digitais com as cotações da Bolsa e notícias do mundo, às vezes um concerto ao vivo, restaurantes (caros e baratos), hotéis de luxo e modestos.

Mais de 80% dos visitantes de Manhattan encontram atrações aqui. Porque, como afirma a canção, "Dizem que as luzes de neon iluminam a Broadway; Dizem que lá sempre há magia no ar..."

Onde se hospedar em Times Square
Broadway Inn (264. Rua 46 Oeste; 800-826-6300; www.broadwayinn.com) é uma pousada de 40 quartos com café da manhã, a poucos passos dos teatros e restaurantes da Broadway. O saguão confortável com paredes de tijolos e lareira fica no segundo andar, com quartos para duas pessoas a partir de apenas US$ 139, dependendo da data.

Hotel Casablanca (147, Rua 43 Oeste; 888-922-7225 ou 212-869-1212;
www.casablancahotel.com
) é uma pousada de luxo em estilo marroquino com 48 quartos e suítes elegantes. Os hóspedes podem tomar café da manhã e vinhos e queijos de cortesia durante a semana no Rick's Café do hotel. As tarifas de verão começam em US$ 249, incluindo passes de cortesia para o New York Sports Club, nas proximidades.

O Edison Hotel (228 Rua 47 Oeste; entre Broadway e 8ª Av.; 800-637-7070; www.edisonhotelnyc.com), construído em 1931 no mesmo estilo art-deco grandioso que o Radio City Music Hall, é um hotel econômico que recebe muitos grupos de turistas. O grande hotel tem muita personalidade, como os terraços no saguão e a loja de presentes que vende globos de neve de Nova York e coçadores de costas. Seu Edison Café é a quintessência do restaurante popular de Nova York, conhecido de brincadeira como o Salão de Chá Polonês porque o pessoal da Broadway, agentes e atores, se reúne ali para almoços importantes com sopa de bola de matzo, picadinho de fígado com ovos cozidos e salada de repolho. As tarifas começam em US$ 175, dependendo da data.

O Paramount (235, Rua 46 Oeste, entre Broadway e 8ª Av.; 212-764-5500;
www.paramountnyc.com) é uma pousada-butique super na moda, criada pelo hoteleiro "hip" Ian Schrager e hoje propriedade da companhia espanhola Sol Melia, que manteve o ambiente elegante. Tarifas a partir de US$ 229, conforme a data.

O Marriott Marquis (1535, Broadway com Rua 45 Oeste; 800-843-4898;
www.marriott.com
) é uma cidade à parte, com 1.889 quartos, vários andares de salas de reuniões, lojas e três restaurantes, e seu próprio teatro da Broadway. Tarifas a partir de US$ 270, dependendo da data.

O W Times Square (1567, Broadway com Rua 47 Oeste; 877-946-8357;
www.whotels.com) é um esconderijo super-glamouroso, com 466 quartos elegantes e 43 suítes -- um oásis tranqüilo na ruidosa Times Square. Os funcionários usam uniformes de Kenneth Cole. Tarifas a partir de US$ 319, conforme a data.

Outras novidades
Outros acréscimos a Times Square incluem dois restaurantes -- Bond 45 (154, Rua 45 Oeste; 212-869-4545) na Rua 45 entre 6ª e 7ª Avenidas, local do Olympia Theater de Oscar Hammerstein e mais tarde da famosa loja de roupas Bond (dois pares de calças com cada paletó!), um ponto marcante, com garçons de aventais brancos deslizando sobre o piso de lajotas pretas e brancas.

O outro restaurante é o Junior's (1515, Broadway; 212-302-0620), uma instituição do Brooklyn desde 1950 e lar do "mais famoso cheesecake do mundo", agora também em Times Square. Você pode ficar em mesas internas ou externas, com vista para a Shubert Alley.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,73
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,00
    65.010,57
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host