UOL Notícias Internacional
 

23/06/2007 - 02h20

Estados Unidos recolhem pasta de dente potencialmente mortal

Cox News Service
De Carlos Campos
Em Atlanta (EUA)
O Estado da Geórgia retirou mais de 860.000 tubos de pasta de dente chinesa contendo uma substância química potencialmente letal dos estoques de prisões para jovens e adultos e de hospitais para doentes mentais.

Nenhuma das três agências estaduais usando os tubos de 42g da marca 'Springfresh' contendo dietileno glicol -um produto químico venenoso usado contra o congelamento e como solvente- teve casos de doenças resultantes de seu uso. Os funcionários estaduais responsáveis por compras disseram na sexta-feira 22 que têm contratos com o fornecedor do Estado de Washington desde 2002, mas não tinham certeza há quanto tempo a pasta de dente chinesa foi comprada ou usada.

Quase 6.000 caixas, cada uma contendo 144 tubos, foram removidas do uso pelo Departamento de Correções, pelo Departamento de Justiça Juvenil e pelo Departamento de Recursos Humanos, de acordo com Rick Beal da divisão de compras do Departamento de Serviços Administrativos da Geórgia.

O Departamento de Correções, com mais de 53.000 presos no Estado, recolheu 5.877 caixas, disse Beal. O de Justiça Juvenil, que detém cerca de 2.500 menores condenados à prisão, tinha 25 caixas nos centros de detenção de jovens nos condados de DeKalb, Floyd, Gwinnett e Washington.

Os hospitais do Departamento de Recursos Humanos que abrigam doentes mentais em Atlanta, Columbus, Milledgeville, Rome e Savannah tinham 88 caixas.

O porta-voz de correções, Paul Czachowski, disse que a agência recolheu o dentifrício contaminado no dia 11 de junho, depois da notificação do Departamento de Serviços Administrativos, e comprou outra pasta de dente para durar um mês.

"Ninguém ficou doente, e estamos tentando conseguir outro dentifrício do fornecedor", disse Czachowski por e-mail na sexta-feira.

Beal disse que o dentifrício tinha sido "recolhido, separado e marcado com 'não use' e 'não toque'" e que ele e outros funcionários vinham trabalhando com o Departamento de Alimentos e Drogas (o FDA) para determinar como deveriam descartar o produto.

O FDA emitiu uma advertência sobre a pasta de dente no dia 1º de junho. A agência disse que não tinha recebido relatos de envenenamento nos EUA devido ao dietileno glicol, também conhecido como DEG. Mas o alerta diz que a agência está "preocupada com riscos potenciais da exposição crônica ao DEG em certas populações, como crianças e indivíduos com doenças nos rins ou fígado".

Apesar da pasta de dente não ser produzida para ser engolida, o FDA preocupa-se que alguns usuários possam ingeri-la sem querer.

O alerta do FDA disse que houve relatos de mortes e ferimentos em outros países como resultado da ingestão de produtos contaminados por DEG, como xaropes para a tosse e o xarope acetaminofen.

Robert Geller, diretor médico do Centro de Venenos da Geórgia, disse que o risco de dano pelo uso do dentifrício deve ser pequeno.

"A maior parte das pessoas coloca uma quantidade reduzida de pasta de dente na escova e provavelmente cospe a maior parte", disse Geller, que também é professor de pediatria da Escola de Medicina Emory. "Então a quantidade absorvida é mínima", disse ele. "Desde que a pessoa não esteja comendo o tubo inteiro, o risco é mínimo."

Beal disse que enviou amostras do dentifrício usado na Geórgia para análise em um laboratório em Houston, pouco depois da advertência do FDA. No dia 7 de junho, o Departamento de Serviços Administrativos enviou nota aos agentes dos departamentos de Justiça Juvenil e de Recursos Humanos para que suspendessem os pedidos da marca 'Springfresh'. Depois de saber que continha DEG, Beal então enviou uma segunda nota, no dia 11 de junho, dizendo às agências que parassem de usar o produto com as palavras "Feito na China" no rótulo. Na quarta-feira, ele enviou nota a todas as agências do Estado sobre a pasta de dentes.

O laboratório confirmou que o dentifrício continha até 5% do peso da substância tóxica. O nível aceitável, disse Beal, seria de 0,1%. O relatório do FDA disse que o mais alto nível que tinha encontrado nos testes era de 3 a 4% do peso. O FDA disse que o dentifrício em geral é vendido em "lojas de preços baixos e descontos".

O dentifrício custa ao Estado US$ 13,61 (em torno de R$ 27) por caixa -aproximadamente US$ 0,09 (em torno de R$ 0,18) por tubo. Beal disse que o fornecedor concordara em reembolsar o Estado pelos custos.

O porta-voz da Justiça Juvenil, Steve Hayes, disse que também tinha recolhido imediatamente o produto após a notificação do Departamento de Serviços Administrativos e que não havia relatos de indisposição.

"Estamos tomando o cuidado de fazer um acompanhamento e até agora não temos sintomas", disse Hayes.

Thomas Wilson, porta-voz do Departamento de Recursos Humanos, disse que os pacientes de três hospitais estão sendo monitorados para possíveis sintomas de envenenamento por DEG.

"Até agora não encontramos nada, felizmente", disse ele.

Carlos Campos escreve para The Atlanta Journal-Constitution. Email- ccampos@ajc.com Alison Young contribuiu para esta matéria.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h19

    -0,15
    3,131
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h24

    0,48
    76.337,14
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host