Exclusivo para assinantes UOL

Trocando a Alemanha pela Turquia: turcos étnicos enfrentam o "choque cultural"

Daniel Steinvorth

Mais turcos étnicos estão agora deixando a Alemanha do que chegando ao país. à medida que a economia alemã desacelera, a educação ocidental ajuda os profissionais turco-alemães a encontrarem trabalho na nação muçulmana em expansão. Mas eles nem sempre são bem-vindos em “casa”. A primeira vez que ömer Küçükbay sentiu saudades da Alemanha, ele estava deitado na cama de um quartel militar ao norte de Antália. Ele tinha 20 anos, eram 2h, e um soldado gritava com ele para que ele continuasse a vigília. Primeiro, entretanto, alguém teve que traduzir o comando do oficial, uma vez que Küçükbay não falava turco. Ele era fluente somente no dialeto da Bavária na Alemanha. Filho de trabalhadores turcos temporários em Eggenfelden, na Baixa Bavária, ele havia se alistado ao serviço militar na Turquia de repente, para expressar afeição pelo país que ele só conhecia durante as férias da família. “Mas de certa forma eu sempre fui apenas um estrangeiro na Alemanha também”, diz ele. “Para as crianças da minha classe, eu era simplesmente um turco. Então eu queria ver como era ser um turco.” A experiência durou três meses, até Küçükbay cansar dos gritos e sair se arrastando pela areia. Ele voltou para Eggenfelden e jurou que nunca retornaria à Turquia.

UOL Cursos Online

Todos os cursos