UOL Mídia GlobalUOL Mídia Global
UOL BUSCA

RECEBA O BOLETIM
UOL MÍDIA GLOBAL


14/09/2007
Surto agressivo do Ebola mata 169 pessoas e deixa em quarentena o sul do Congo

Lali Cambra
Na Cidade do Cabo


Um novo surto do vírus Ebola foi identificado como a causa da morte de 169 pessoas, de um total de 372 infectadas (45%) desde o último mês de junho, segundo as análises encomendadas pelas autoridades sanitárias da República Democrática do Congo, que já decidiram pôr em quarentena as duas áreas afetadas até agora, Mweka e Luebo, situadas na região de Kasanga, no sul do país, com mais de 200 mil habitantes.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a situação se complicou porque junto com a febre hemorrágica, altamente contagiosa, letal e por enquanto incurável, se apresentaram casos de disenteria, que tem os mesmos sintomas nas fases iniciais da doença, o que dificultou o trabalho de diagnóstico.

A OMS, que pediu o apoio internacional para controlar o surto, enviou pessoal extra e equipamento de saúde para a região, assim como a ONG Médicos Sem Fronteiras.

As primeiras mortes foram registradas em junho, mas foi só esta semana, depois da morte de 169 pessoas, que as autoridades sanitárias, com os resultados de análises feitas nos EUA, no Gabão e no próprio país, identificaram a doença. Os sintomas iniciais do Ebola são febre, dor de cabeça, vômitos e dores abdominais. Depois vêm diarréia, desidratação, hemorragia interna e externa, e a morte ocorre em questão de dias.

De acordo com a OMS, o Ebola mata entre 40% e 90% da população afetada. Não é a primeira vez que o Congo enfrenta o vírus: em 1995, cerca de 250 pessoas morreram. Desde que se descobriu o vírus, a febre hemorrágica custou a vida de 1.200 pessoas (de 1.850 casos registrados). Apesar de se desconhecer sua origem, este se limita às áreas da selva tropical da África Central e do Pacífico Oriental e se especula que os morcegos, resistentes ao vírus, sejam os que o mantêm nas florestas tropicais.

O contato com os cadáveres pode ter um papel importante na transmissão da doença, e, de acordo com as autoridades de saúde do Congo, foi esse o caso no atual surto: o vírus foi transmitido para um chefe local, agricultor e caçador, através do contato com algum animal infectado. O processo de lavar um cadáver e prepará-lo para o enterro é um longo ritual no Congo, e a grande maioria dos que participaram do enterro do chefe, em 8 de junho, ficou infectada e acabou morrendo. As autoridades da OMS em Kinshasa, capital do Congo, explicaram na quarta-feira que num primeiro momento se cogitou a possibilidade de tifo ou disenteria, mas até que um número maior de pessoas foi afetado não se procederam a análises.

Por enquanto as autoridades estão isolando os possíveis doentes, ou aqueles que entraram em contato com doentes, em grandes edifícios anteriormente desinfetados, e médicos especialmente treinados controlam sua evolução durante 21 dias (período em que um indivíduo infectado deveria mostrar sintomas da doença).

A Cruz Vermelha se mobilizou para agilizar o enterro dos cadáveres, o que evitará maior risco de contágio. Os técnicos da OMS em Kinshasa confiam que todas essas medidas, junto com a chegada de um epidemiologista e de um virologista à região, que vão ajudar no processo de análises, contribuirão para que a situação seja controlada em pouco tempo.

Tradução: Luiz Roberto Mendes Gonçalves

ÍNDICE DE NOTÍCIAS  IMPRIMIR  ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA





Shopping UOL

Gravadores Externosde DVD a partir
de R$ 255,00
Câmera Sony6MP a partir
de R$ 498,00
TVs 29 polegadas:Encontre modelos
a partir de R$ 699