UOL Notícias Internacional
 

04/04/2009

Se não tem dinheiro para filmar, peça patrocínio na Internet

El País
Gregorio Belinchón
Em Madri (Espanha)
A francesa Marie-Eve Signeyrole está rodando na Sérvia com o diretor Emir Kusturica como ator há uma semana por ter cabeça dura, boa estratégia e iniciativa na Internet. Seu curta-metragem "Alice au pays s'émerveille" [Alice no país se maravilha] vai custar 95 mil euros: 60 mil em salários e o resto em produção técnica. Nem Signeyrole nem seus companheiros da produtora SlumberLand Factory conseguiam juntar essa quantia. Até que numa noite de cervejas lembraram as desventuras do pai de um dos produtores, Pierre-Emmanuel Le Goff, eminente professor de direito, que tinha editado vários livros de sua especialidade pedindo dinheiro na Internet, criando uma espécie de editora coletiva. E Le Goff filho, Marcos Serrano e Cyril Cadars, os três produtores, viram a luz. Em seu site www.alice-film.fr, propuseram aos internautas que investissem em seu filme, transformando-se em pequenos produtores. Até ontem tinham arrecadado 30.697 euros.

"No início pareceu ousadia", ri Serrano, em Paris, "e o tempo nos deu razão. Investiram principalmente pessoas que não estão acostumadas a fazer essas coisas, internautas que acreditaram no projeto."

Para os particulares há diferentes categorias de produtor: com uma doação de 5 a 24 euros o investidor entra na categoria de produtor "duro", e seu nome estará nos créditos; de 25 a 49 euros sobe-se para produtor envolvido e além da menção nos créditos receberá o filme e o making-of em DVD; de 50 a 99 euros, produtor-estrela: serão quatro DVDs e de presente um cartaz; de 100 a 1.499 euros, se alcança o nível de produtor VIP, com convite para a estréia e direito a uma garrafa exclusiva da safra especial Alice; e mais de 1.500, categoria de produtor VIP Plus e está convidado para a filmagem, incluindo cadeira de produtor com seu nome.

Signeyrole foi assistente de Kusturica na encenação em Paris da ópera-rock "O Tempo dos Ciganos", e quando escreveu "Alice au pays s'émerveille" reservou um lugar para ele no elenco. Serrano afirma que o cineasta sérvio sempre foi muito receptivo, "mas tinha muito poucas datas livres". "Estamos filmando nos dias em que ele podia e temos de ser rápidos." Como locação, a Sérvia profunda, em uma filmagem que pode ser acompanhada pelo blog da diretora ou pelo YouTube.

É que os cineastas vão fundo na Internet: têm site próprio, página no Facebook e diversos blogs e fóruns. No início de alice-film.fr se vê em um vídeo Pierre-Emmanuel Le Goff e Cyril Cadars escondendo-se com uma lata de filme e uma claquete, enquanto Signeyrole está vestida como que para uma glaciação. Na realidade, como explicam, estão preparados para pedir esmola. "Nas fotos pode-se ver como eles se vestem enquanto Marie-Eve se desnuda." Vale tudo para demonstrar como é complexo rodar um curta. "Queremos que as pessoas tenham consciência do que custa fazer um filme assim. E usamos o YouTube para que os investidores vejam o que fazemos com seu dinheiro. Uma questão de princípios."

A diretora está filmando em plena primavera fria sérvia um drama protagonizado por um policial depressivo à beira da crise de nervos que sequestra em seu carro sua mulher grávida e sua amante e companheira. Assim partem em uma viagem da qual ninguém prevê o desenlace. Depois de vários dias o carro para em um povoado sérvio no meio do nada. As ações do homem que cuida do lugar - o papel de Kusturica - obrigarão o trio a superar suas diferenças. As externas são rodadas em Kustendorf, um povoado fantasma - na realidade um cenário construído por Kusturica - onde o realizador sérvio filma. Como confessa Serrano, "pudemos fazer tudo isso porque tivemos um momento de inspiração".

Tradução: Luiz Roberto Mendes Gonçalves

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,48
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h05

    -0,66
    75.503,63
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host