UOL Notícias Internacional
 

02/05/2009

Fernando Lugo e suas mulheres

El País
Verónica Calderón
Em Madri
O presidente do Paraguai e ex-bispo católico explica sua conduta como "fruto de processos históricos" em seu país


Quando o presidente do Paraguai e ex-bispo católico Fernando Lugo, 57 anos, admitiu como seu o menino de 2 anos criado por Viviana Carrillo, 31 anos mais jovem que ele, causou uma crise política em seu país e, fora de suas fronteiras. As acusações de que Lugo, que conseguiu em 2008 pôr fim a 61 anos de hegemonia do Partido Colorado (conservador), era o pai de outros dois meninos aumentaram a tensão.

Pompeyo Lugo, irmão do presidente, atribuiu as denúncias a "uma campanha suja" gestada pelos setores que "estão perdendo privilégios", segundo declarou ao jornal argentino "La Nación". O presidente, por sua vez, explicou sua conduta como o "fruto de processos históricos" e "o perfil" de sua cultura.

A história do Paraguai lhe dá razão. A cultura sexual do país sul-americano é produto de uma história repleta de abusos, promiscuidade e machismo e marcada por uma guerra que dizimou sua população. "As mulheres cuidam dos lares e se encarregam dos filhos; os homens se dedicam a sociabilizar", descreve a antropóloga Patricia Kluck, especialista em América Latina da Universidade de Maryland (EUA).

Como resultado da "sociabilização", o Paraguai tem a segunda maior taxa de fecundidade da América - só o Haiti o supera - e um dos mais altos índices de filhos ilegítimos do continente. As razões remontam à época colonial. Os primeiros espanhóis, liderados por Domingo Martínez de Irala, chegaram ao Paraguai em 1536. Logo descobriram que o ouro e a prata não abundavam. Mesmo assim, fundaram em Assunção a primeira capital dos assentamentos hispânicos na América do Sul. Ali se criaram os primeiros haréns da região, cheios de mulheres guaranis, e se gestou uma sociedade em que "a mestiçagem era abundante", segundo aponta o historiador Richard Sacks, autor do livro "Paraguay: the personalist legacy" (Paraguai: o legado personalista).

Sacks relata que quando o explorador Álvar Núñez Cabeza de Vaca, enviado como adiantado, denunciou a anarquia e a promiscuidade em uma nota a Carlos V, o assunto ficou decidido quando Irala instou os moradores a rebelar-se, e Cabeza de Vaca voltou à Espanha depois de ser acusado de cometer violações contra indígenas e espanhóis.

A dupla identidade permanece até hoje. Mais da metade de sua população de cerca de 7 milhões fala guarani, a língua materna de 28%. A promiscuidade no Paraguai, no entanto, não se deve só à libertinagem. Também se explica pelas circunstâncias e os problemas. Na primeira metade do século 19, o país viveu sob uma política de isolamento, sem que seus habitantes cruzassem suas fronteiras.

E em 1865 a guerra da Tríplice Aliança, que colocou o Paraguai contra o Brasil, a Argentina e o Uruguai, acabou com mais da metade de seus habitantes. A luta armada dizimou a população masculina. Algumas contagens calculam que na guerra morreram 90% dos homens jovens paraguaios. "Uma sociedade de mulheres consolidou a cultura machista", explica o pesquisador da sociedade genealógica de Utah Mario Silva.

Pouco mudou hoje em dia: 80% das mulheres do país foram vítimas de abuso sexual, segundo a Comissão de Direitos Humanos do Paraguai. Sete em cada dez filhos são registrados só pela mãe, apesar de na atualidade os homens paraguaios não serem escassos: são 50,4% da população.

Lugo não é um pioneiro em seu país no que se refere à paternidade irresponsável. Até os antecessores de Lugo cumprem a tradição. Oito dos 45 presidentes paraguaios foram filhos de mães solteiras, e pelo menos 17 tiveram filhos ilegítimos. Nem todos saíram ilesos desses desvios: o presidente Eligio Ayala (1924-1928) morreu em 1930 em um crime passional que envolveu sua amante Hilda Diez e Tomás Bareiro. Ayala surpreendeu Diez com Bareiro e os homens se enfrentaram em duelo. Só Diez sobreviveu.

Tradução: Luiz Roberto Mendes Gonçalves

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,45
    3,141
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,39
    64.684,18
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host