UOL Notícias Internacional
 

31/07/2009

Chanceler Moratinos "vende" no Brasil oferta espanhola do trem-bala

El País
Miguel González
Enviado especial a Brasília
Se a crise não provocar atrasos, a primeira linha ferroviária de alta velocidade da América Latina será o "trem-bala" entre Rio de Janeiro e São Paulo, um projeto cujo custo poderá chegar a 15 bilhões de euros (mais de R$ 40 bilhões). Ainda não foi convocada a licitação (o que se espera para antes do fim do ano), mas o ministro espanhol das Relações Exteriores, Miguel Ángel Moratinos, e o secretário-geral do Comércio Exterior, Alfredo Bonet, mostraram na quinta-feira em Brasília o apoio oficial às empresas espanholas que pretendem conseguir o macrocontrato.

  • Roosewelt Pinheiro/ABr

    Os ministros de Assuntos Exteriores e Cooperação da Espanha, Miguel Ángel Moratinos, e de Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim, durante entrevista coletiva sobre os resultados da reunião em que foram discutidos temas de interesse comum dos dois países

O governo prefere que as empresas espanholas (como CAF, Talgo ou Telvent), que ontem participaram de um café da manhã com responsáveis econômicos brasileiros, apresentem uma oferta conjunta para concorrer com as firmas francesas ou japonesas. "A Espanha quer estar nessa alta velocidade, embora haja muitos concorrentes", admitiu Moratinos.

A Espanha é o segundo investidor estrangeiro no Brasil, com um investimento acumulado de mais de US$ 30 bilhões (cerca de R$ 60 bilhões). O Banco Santander obtém nesse país 11% de seus resultados; a Telefónica tem 37 milhões de clientes, entre telefonia fixa e móvel, e as construtoras espanholas conseguiram seis das sete grandes concorrências para rodovias. A CASA-EADS, que já vendeu 12 aviões de transporte C-295 para a Força Aérea Brasileira, negocia a venda de mais oito.

Chávez pede que Espanha represente os interesses da Venezuela em Israel

Em um salão do palácio presidencial de Miraflores, dominado por um retrato do libertador Simón Bolívar, o comandante Hugo Chávez e o ministro espanhol das Relações Exteriores, Miguel Ángel Moratinos, presidiram a assinatura de contratos com algumas das grandes companhias espanholas do setor de energia e eletricidade, Repsol-YPF e o consórcio formado por Iberdrola e Elecnor. Além disso, o chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, e Moratinos assinaram um acordo para criar uma comissão mista que revise os processos dos quase 200 espanhóis que foram objeto de ocupação ou desapropriação de propriedades.

O chanceler brasileiro, Celso Amorim, advertiu no entanto que as construtoras brasileiras têm dificuldades para atuar na Espanha e advertiu que caso se mantenha "um mercado fechado, haverá a tentação de reagir de forma equivalente". O assunto é tão importante para o Brasil que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva já o apresentou ao rei Juan Carlos, segundo revelou Amorim.

Os dois ministros discutiram a crise entre Colômbia e Venezuela, devido à apreensão com as Farc de armas suecas compradas pelo exército venezuelano e à abertura de quatro bases dos EUA em solo colombiano. "Devemos trabalhar para que não haja uma espiral de desencontros", disse Moratinos, enquanto Amorim propôs reunir o Conselho de Segurança do Unasul, depois de indicar que a abertura de bases militares estrangeiras "sempre causa preocupação".

A visita de Moratinos a Brasília serviu para preparar a que fará na próxima semana a vice- primeira-ministra María Teresa Fernández de la Vega, que também viajará para a Colômbia, onde tratará da crise entre Caracas e Bogotá; e Costa Rica, onde tratará da situação de Honduras; além de Paraguai.

A decisão de Chávez de adiar para quarta-feira a audiência com Moratinos e sua proverbial loquacidade, que transformou a protocolar assinatura de acordos econômicos em um comício, obrigaram o chefe da diplomacia espanhola a reduzir para menos de 24 horas sua estada em Brasília, o que tornou impossível tanto um eventual encontro com o presidente Lula como com a pré-candidata a sua sucessão, Dilma Rousseff.

Tradução: Luiz Roberto Mendes Gonçalves

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h29

    0,78
    3,172
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h37

    0,69
    65.546,27
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host