UOL Notícias Internacional
 

01/09/2009

Berlusconi em guerra aberta contra a imprensa e a Igreja

El País
Miguel Mora
Em Roma (Itália)
Silvio Berlusconi voltou de férias em grande estilo, atacando frontalmente a imprensa e a Igreja, os dois poderes que ainda ousam importunar seus delírios de impunidade. Seu advogado, Niccolò Ghedini, anunciou ontem pleitos e demandas contra o jornal "La Repubblica", ao qual pede 1 milhão de euros de ressarcimento, e contra outros jornais da França, Espanha e Reino Unido. Paralelamente, em um gesto sem precedentes, o Vaticano cancelou o jantar que seu secretário de Estado, o cardeal Tarcisio Bertone, deveria ter ontem à noite com Berlusconi em L'Aquila, depois da publicação em "Il Giornale", veículo do irmão do primeiro-ministro, de uma informação contra o diretor de "L'Avvenire", o órgão da Conferência Episcopal Italiana.

Em declarações à agência Reuters, Ghedini anunciou que apresentou denúncias contra diversos veículos da mídia européia. O advogado de Berlusconi explicou que já denunciou o semanário francês "Le Nouvel Observateur" por uma informação intitulada "Sexo, poder e mentiras" e o jornal "El País" por publicar as fotos de seus convidados na mansão de Berlusconi de Villa Certosa, na Sardenha. Na Espanha, porém, os advogados da empresa Prisa não tinham informações ontem sobre essa denúncia, que já foi anunciada por Ghedini no dia da publicação das fotos.

Na Itália, Berlusconi reclama do "La Repubblica" 1 milhão de euros (cerca de R$ 2,7 milhões) por um artigo de 26 de junho em que Giuseppe D'Avanzo, jornalista do jornal do grupo L'Espresso, formulava dez perguntas a Berlusconi. O primeiro-ministro nunca respondeu a essas perguntas, relativas a suas peripécias sexuais, suas contradições e seu estado de saúde, e agora as considera "difamatórias".

Além disso, Berlusconi considera difamatório um artigo de Giampiero Martinotti, na realidade um resumo da imprensa estrangeira que citava "Nouvel Observateur" e outros veículos.

O líder do Partido Democrático, principal de oposição, Dario Franceschini, telefonou para o diretor do jornal, Ezio Mauro, para lhe expressar sua solidariedade e a de seu partido diante "da incrível ação judicial" do primeiro-ministro.

Enquanto isso, as relações de Berlusconi com a Igreja sofreram uma nova deterioração por causa do brutal ataque de "Il Giornale" contra Dino Boffo, diretor de "L'Avvenire". Segundo este jornal, Boffo foi processado em 2002 por assediar uma mulher com cujo marido, segundo "Il Giornale", o jornalista mantinha uma relação homossexual.

Tradução: Luiz Roberto Mendes Gonçalves

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host