Exclusivo para assinantes UOL

Atual agência de espionagem russa ganha poderes da época soviética

Pilar Bonet
Em Moscou (Rússia)

Veja outras notícias de jornais internacionais Senado italiano aprova "lei da mordaça" contra os grampos Seis países africanos se comprometem a acabar com o recrutamento de crianças-soldados Pentágono admite erros de registro em túmulos de cemitério militar Para a ONU, o Congo vive "uma das piores crises humanitárias do mundo" Repressão se intensifica no Irã um ano após reeleição de Ahmadinejad Massacres são cada vez mais frequentes em cidades calmas Agência de saúde americana adverte cinco empresas de genética pessoal A câmara baixa do Parlamento da Rússia (Duma) aprovou nesta sexta-feira (11) uma lei que reforça o Serviço Federal de Segurança (SFS), concedendo-lhe poderes para realizar "advertências profiláticas" aos cidadãos, os quais, caso não as atendam, poderão ser denunciados publicamente e sancionados. A prática das "advertências profiláticas" existia na União Soviética e foi utilizada pela KGB (antigo serviço de segurança) para intimidar, amedrontar ou convencer os que poderiam manifestar deslealdade ao regime comunista. Agora, como na época soviética, poderão ser dirigidas advertências a cidadãos que não tenham cometido qualquer infração ou delito, mas que, no entender dos órgãos de segurança, poderiam cometê-los ou induzi-los.

UOL Cursos Online

Todos os cursos