Exclusivo para assinantes UOL

O vazamento de petróleo no golfo do México seria o Chernobil da indústria petroleira?

Santiago Carcar

  • Jae C. Hong/AP

    Diversas manchas de óleo ainda podem ser vistas do alto em locais próximos onde aconteceu o desastre com a plataforma da BP no golfo do México

    Diversas manchas de óleo ainda podem ser vistas do alto em locais próximos onde aconteceu o desastre com a plataforma da BP no golfo do México

Um poço entre 56 mil poços. Uma perfuração a mais no golfo do México. Em porcentagem, cerca de 0,0017% de possibilidades de que algo falhasse. E aconteceu. Em 20 de abril, a 64 quilômetros da costa da Luisiana (EUA), algo deu errado. Muito errado. Tanto que se pode estabelecer um antes e um depois para aquele que ainda é o negócio mais rentável do mundo: o do petróleo. Nesse dia de abril, por motivos ainda desconhecidos, a plataforma de exploração em águas profundas Deepwater Horizon, alugada pela gigante BP para perfurar e extrair petróleo a 1.500 metros sob o mar, explodiu. O mais grave: as 11 vidas perdidas. O mais preocupante: a possibilidade de que uma maré negra arrase centenas de quilômetros das costas dos Estados Unidos, México e até de Cuba.  

UOL Cursos Online

Todos os cursos