UOL Notícias Internacional
 

20/02/2007

ONU alerta que Irã se aproxima da produção industrial de combustível nuclear

Financial Times
Daniel Dombey
Em Londres
O Irã dominou tecnologia nuclear crucial desde agosto e pode estar a apenas seis meses de ser capaz de enriquecer urânio em escala industrial, alertou na segunda-feira o chefe da agência de vigilância nuclear da ONU.

Em uma entrevista para o "Financial Times", Mohamed ElBaradei, diretor geral da Agência Internacional de Energia Atômica (Aiea), acrescentou que é muito provável que Teerã não cumpra o prazo de quarta-feira para suspensão do enriquecimento, que pode produzir tanto combustível nuclear quanto material para armas nucleares.

O chefe da Aiea se reunirá na terça-feira com Ali Larijani, o negociador chefe de assuntos nucleares do Irã, e apresentará na quarta-feira aos governos um relatório sobre o cumprimento pelo Irã das exigências da ONU.

ElBaradei disse que o Irã já adquiriu um importante know-how técnico com seu programa nuclear piloto e que não há como voltar atrás. "Não há como eliminar conhecimento", ele disse.

Desde agosto do ano passado, o Irã está usando centrífugas em uma instalação piloto na cidade de Natanz para enriquecer urânio. Apesar de Teerã insistir que seus propósitos são puramente pacíficos, ele se recusa a suspender o processo. Tanto os Estados Unidos quanto Israel alertaram que o Irã poderá chegar a um "ponto sem retorno" em seu programa nuclear ao dominar a tecnologia de enriquecimento de urânio.

Ele acrescentou que estimativas de inteligência americanas e britânicas apontavam que o Irã estava ainda entre cinco e 10 anos do desenvolvimento de uma bomba nuclear e alertou contra a "agitação" em torno do progresso nuclear de Teerã.

ElBaradei argumentou que apesar da preocupação com a possibilidade de Teerã adquirir conhecimento sobre enriquecimento de urânio "ter sido relevante há seis meses, isto não é mais relevante porque o Irã está operando estas centrífugas há pelo menos seis meses". Ele acrescentou que: "Há uma grande diferença entre adquirir conhecimento para enriquecimento e desenvolver uma bomba".

Ele disse que o Irã poderia instalar uma capacidade em escala industrial de 3 mil centrífugas -o suficiente para começar a produzir material físsil para uma bomba- em questão de meses. "Poderia levar seis meses, poderia levar um ano", ele disse, enfatizando seu desejo é por negociações que convençam o Irã a se conter. "A situação ideal é assegurar que não haja capacidade industrial, que haja inspeção plena (das instalações nucleares do Irã)."

Ele acrescentou que o Irã já instalou uma "cascata" de 164 centrífugas na instalação subterrânea projetada para produzir urânio enriquecido em escala industrial.

Em um sinal de pressão internacional adicional, a agência de notícias "Reuters" informou na segunda-feira que a Rússia está adiando a construção da primeira usina nuclear do Irã.
George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h20

    -0,41
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h24

    0,55
    63.572,88
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host