UOL Notícias Internacional
 

09/04/2007

Montadoras estrangeiras colocam em dúvida esforço de Detroit em prol do etanol

Financial Times
Bernard Simon
Em Nova York
As montadoras asiáticas e européias nos Estados Unidos expressaram dúvidas em relação ao esforço agressivo de suas rivais baseadas em Detroit pelo uso do etanol em vez do petróleo importado.

General Motors, Ford Motor e a divisão Chrysler da DaimlerChrysler estão à frente de uma campanha por uma maior aceitação do E85, uma mistura de 85% de etanol e 15% de gasolina. Elas já colocaram no mercado vários milhões de veículos flex capazes de rodar tanto com E85 quanto gasolina.

Mas Mike Stanton, presidente da Associação dos Fabricantes Automotivos
Internacionais, disse que seus membros estavam "nervosos" com o E85. "Nós não o apoiamos plenamente como as montadoras domésticas", disse Stanton em uma entrevista. Entre os membros da associação estão as três grandes montadoras japonesas -Toyota, Honda e Nissan- assim como a Renault da França e várias outras montadoras européias.

Os defensores do E85 vêem o etanol, feito de milho ou outras matérias-primas vegetais, como uma forma rápida de reduzir as importações de petróleo. O governo federal tem apoiado em peso o etanol com um subsídio de 51 centavos de dólar por galão (3,78 litros).

Por outro lado, os críticos culpam o esforço em prol do E85 pela elevação do preço dos alimentos e apontam para obstáculos significativos para sua maior aceitação. Por exemplo, apenas 1.100 dos 170 mil postos de combustíveis americanos vendem E85.

As companhias de petróleo também têm relutado em promover o E85, e questões têm sido levantadas sobre o impacto do etanol na garantia dos veículos. Com os consumidores ainda não tendo demonstrado preferência por qualquer tecnologia de combustível alternativo, tanto as montadoras domésticas quanto estrangeiras têm hesitado em depositar todos seus ovos em uma única cesta.

Várias montadoras estrangeiras produzem veículos a E85, ou têm planos para fazê-lo. Mas Stanton disse que estas iniciativas se baseiam mais no temor de que "temos um trem diante de nós".

Um executivo da Nissan acrescentou que apesar do utilitário esporte Armada e da picape Titan da empresa poderem rodar com E85, "nós estamos mais entusiasmados com as opções diesel e elétrica".

Várias montadoras européias, principalmente a Volkswagen, a divisão Mercedes da DaimlerChrysler e a BMW, planejam lançar novos modelos a diesel "limpo" nos Estados Unidos ao longo dos próximos dois anos, na esperança de superar a antiga aversão dos americanos ao diesel.

As montadoras baseadas em Detroit estão conduzindo pesquisa de veículos
elétricos, veículos híbridos gasolina-elétrico e células de combustível, mas deram mais proeminência ao E85, especialmente nos Estados rurais onde a lealdade aos seus veículos permanece forte.

A Ford enviou cartas a 29 mil proprietários de seus veículos flex no
Missouri, no mês passado, para ajudá-los a localizarem postos que vendem E85. A GM concordou em promover a construção de 40 postos de E85 neste ano no Colorado. George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,97
    3,127
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,99
    64.389,02
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host