UOL Notícias Internacional
 

20/04/2007

Senado congela ajuda militar para a Colômbia

Financial Times
Anastasia Moloneyin
Em Bogotá
O Senado dos Estados Unidos congelou a transferência de milhões de dólares em fundos para as forças armadas colombianas enquanto espera por investigações sobre violações de direitos humanos e supostas ligações entre as forças armadas do país e grupos paramilitares.

A decisão de suspender 25% da ajuda militar americana, no valor de US$ 55,2 milhões, foi adotada pelo senador democrata Patrick Leahy, presidente do subcomitê de operações de Estado e estrangeiras do comitê orçamentário do Senado, que é um forte crítico do grau de ajuda militar que está sendo enviada para a Colômbia.

David Carle, um porta-voz do senador Leahy, citou que o crescente escândalo "para-política" na Colômbia foi um fator na decisão do senador.

O escândalo expôs as ligações entre os grupos paramilitares de direita e membros das forças armadas e políticos. Um relatório não verificado para a CIA vazou para a imprensa americana no mês passado e alega que o general Mario Montoya, o chefe das forças armadas colombianas, colaborou com grupos paramilitares ligados ao tráfico de drogas.

Carle disse que as acusações contra o general Montoya eram uma "preocupação". "O Congresso ainda desconhece a validade destes relatos, mas é necessário tempo para discuti-los com o governo Bush, já que entre as condições está a exigência de que as forças armadas colombianas rompam seus laços com os paramilitares", ele disse.

Ele também acrescentou que Leahy se encontrará com grupos de direitos humanos e até que tais discussões sejam realizadas, "ele continuará bloqueando a liberação destes fundos".

A Colômbia é a maior recebedora de ajuda americana nas Américas. A ajuda americana para as forças armadas colombianas totaliza cerca de US$ 220 milhões em 2006, grande parte destinada para operações de contra-insurreição e narcóticos.

Parte da ajuda americana enviada para a Colômbia está sujeita a certificação de direitos humanos. No início deste mês, Condoleezza Rice, a secretária de Estado, certificou que as condições de direitos humanos foram atendidas pelas forças armadas colombianas, abrindo o caminho para a liberação dos fundos.

O congelamento dos fundos americanos por Leahy sugere que o caso "para-política" está começando a afetar o valor da ajuda enviada pelos americanos para a Colômbia e que os democratas estão cada vez mais analisando os fundos para o país andino diante do escândalo.

Mas os democratas americanos provavelmente apreciarão a recente decisão do governo colombiano de aceitar um cessar-fogo "temporário" e "experimental" com o Exército de Libertação Nacional (ELN), o segundo maior grupo guerrilheiro da Colômbia. George El Khouri Andolfato

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h39

    -0,47
    3,237
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h41

    -0,23
    74.423,94
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host