UOL Notícias Internacional
 

27/04/2007

Bonecas Barbie e Bratz se preparam para batalha judicial

Financial Times
Matthew Garrahan
Com o seu esvoaçante cabelo de plástico e os pequenos e modernos acessórios, as bonecas Barbie e Bratz dominam a indústria global de brinquedos e são adoradas por meninas de todo o mundo.

Mas por trás dos sorrisos melosos das bonecas há uma amarga e áspera rivalidade entre as duas companhias da Califórnia que fabricam os brinquedos concorrentes. Em um dos cantos do ringue senta-se a Mattel, o grupo que fabrica a Barbie, a boneca loura de olhos azuis adorada por gerações de garotas. No outro está a MGA Entertainment, a companhia privada que lançou a Bratz sete anos atrás.

Os dois grupos têm sede em subúrbios de Los Angeles: o centro de operações da Mattel fica 24 quilômetros ao sul do centro da cidade, em El Segundo. Já a MGA fica em Van Nuys, ao norte de Los Angeles. Os seus escritórios estão imprensados entre uma fábrica da Budweiser e um aeroporto.

Ambas as companhias vendem milhões de bonecas todos os anos, mas as relações entre as duas se deteriorou em meio a uma enxurrada de ações na Justiça.

A Mattel alega em uma ação que Carter Bryant, o designer de bonecas que criou a Bratz, vendeu o projeto para a MGA enquanto era funcionário da Mattel. "Enxergamos nisso uma questão de princípios", diz uma porta-voz da Mattel. "Jamais teríamos investido tanto tempo e dinheiro se não acreditássemos verdadeiramente que fomos ludibriados".

Já a MGA lançou a sua própria ação contra a Mattel devido àquilo que alega ser um "esquema de cópia em série" elaborado pela rival quando esta lançou uma nova linha de bonecas.

Em uma entrevista concedida ao "Financial Times", Isaac Larian, diretor-executivo da MGA, não poupa bordoadas quando descreve a competição com a Mattel. "Eles são como aqueles garotos intimidadores nos pátios escolares. Não querem dividir nada e são incapazes de brincar", acusa ele. "Se não forem capazes de superar alguém por meio de cópia e imitação do produto alheio, a estratégia deles passam a ser a de mover ações frívolas".

Larian diz que foram vendidas mais de 150 milhões de bonecas Bratz, gerando vendas anuais de US$ 2,5 bilhões, embora ele se recuse a revelar os lucros da MGA.

No entanto, as bonecas têm feito tanto sucesso que a Bratz está atualmente perto de roubar a coroa da Barbie como o produto mais vendido da indústria de brinquedos. Criada em 1959, a Barbie dominou o mercado de bonecas durante décadas e continuou mantendo-se no topo da lista em 2006, segundo a companhia de pesquisas de mercado NPD.

Mas à medida que o ano passado chegava ao final, a distância entre a Barbie e a Bratz tornou-se mínima. Segundo os dados da NPD, na categoria de bonecas e acessórios com temas de moda a Bratz na verdade superou a Barbie no crucial mercado dos Estados Unidos nos últimos três meses do ano passado.

A MGA gerou críticas devido aos lábios acentuados e aos trajes ousados das suas bonecas. Porém, Larian diz que a Bratz tem uma aparência "de cartoons" que "faz com que as crianças usem a imaginação".

Após se mudar do Irã para a Califórnia em 1971, Larian deu duro para ingressar na universidade e acabou fundando uma companhia de importação de produtos elétricos. Ele criou importantes relações comerciais no Japão, tornando-se um grande importador dos walkmans da Sony e dos primeiros sistemas de videogame Nintendo.

A sua grande manobra na área de brinquedos deu-se em 1993, quando obteve os direitos sobre os personagens Power Rangers, que se tornaram um presente de Natal obrigatório.

Poucos anos depois, ele participou da reunião com Bryant que levou à criação da linha Bratz. "Ele veio ao meu escritório com alguns desenhos", conta Larian. "Não gostei do que vi, de forma que perguntei à minha filha, que à época tinha 11 anos, o que ela achava. E ela gostou dos modelos".

Ele quis usar os desenhos para criar uma alternativa à Barbie. "A Barbie era loura e tinha o busto grande. Mas quando a gente olha o mundo à nossa volta, não vê ninguém como ela. Então decidimos produzir quatro bonecas, cada uma delas com um tom de pele, um formato facial e uma coloração de olhos diferente. Diversidade. Essa é a palavra que define a nossa criação".

A companhia está produzindo mais produtos ligados à linha Bratz, e há também um filme da Bratz em estágio de produção. Porém, é improvável que as relações entre a MGA e a Mattel melhorem tão cedo. "Eles são incapazes de competir no mercado de forma que estão levando a questão para os tribunais", acusa Larian. "Mas lá também não ganharão essa batalha". UOL

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h49

    -0,09
    3,249
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h52

    0,27
    74.795,78
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host