Déli abandona ameaça de escavar canal em ponte sagrada hindu

Jo Johnson
Em Nova Déli

Nacionalistas hindus forçaram o governo indiano a suspender planos de escavar o estreito Palk, entre Tamil Nadu e Sri Lanka, dizendo que o projeto obliteraria os vestígios submersos de uma ponte antiga, construída pelo deus hindu Ram e seu exército de macacos.

O governo ontem retirou uma declaração entregue à Suprema Corte na qual dizia que não havia prova que Ram havia construído uma ponte no local e negava o valor dos textos religiosos como o Ramayana como prova. A Suprema Corte, no dia 31 de agosto, determinou um adiamento de três meses nas obras, para que fosse feita uma revisão.

Sanjeev Gupta/EFE - 12.set.2007 
Homem santo hindu junto a rebanho de vacas protesta contra projeto de canal

O governo teme que o projeto de US$ 400 milhões (em torno de R$ 800 milhões), conhecido como o "Suez do Oriente", dê à oposição nacionalista hindu um ponto de campanha valioso, enquanto o país se aproxima da temporada de eleições.

A Ram Setu (ponte de Ram), uma cadeia de bancos de areia entre os dois países, é um dos locais mais sagrados do hinduísmo. O épico sagrado Ramayana descreve como o senhor Ram comandou seus macacos a construírem uma ponte até o Sri Lanka, milhares de anos atrás, para que pudesse resgatar sua esposa seqüestrada, Sita. Grupos hindus dizem que os bancos calcários entre Dhanushkodi, em Tamil Nadu, e Mannar, no Sri Lanka, são os restos dessa construção.

Em sua declaração à justiça, o governo argumentava que os textos mitológicos não podiam "provar incontestavelmente a existência dos personagens ou dos eventos por eles descritos" e disse que os pesquisadores tinham concluído que a "ponte" não passava do produto de séculos de sedimentação.

L.K. Advani, líder do partido Bharatiya Janata (BJP), disse que o governo tinha "desdenhado os sentimentos religiosos de dezenas de milhões de hindus". Narendra Modi, ministro do BJP em Gujarat, que enfrentará eleições neste ano, disse: "Não vamos permitir a escavação da Ram Setu, enquanto houver uma gota de sangue em nós".

Milhares de hindus protestaram em vários Estados indianos na quarta-feira (12/9). Pravin Togadia, do Conselho Hindu Mundial, acusou o governo de "agradar aos muçulmanos prejudicando sentimentos hindus". Ele advertiu que "mesmo os tratores mais fortes" quebrarão se aplicados contra as fundações da Ram Setu.

O projeto, chamado Sethusamudram Ship Canal, criaria uma rota marinha navegável em torno da Índia e cortaria um dia do tempo de viagem para navios cargueiros que precisam dar a volta pela ponta sul do Sri Lanka.

O projeto também teria uma importância militar, pois permitiria que os navios de guerra das frotas leste e oeste da Índia prestassem reforço mais rápido. O projeto estava sendo comparado ao canal do Panamá em 1914, pelos EUA.

P. Chidambaram, ministro de finanças, chamou o canal de "demanda antiga - ou mesmo, sonho - do povo da Índia peninsular".

O canal era parte da política da coalizão do Congresso indiano para acalmar aliados indianos do Sul que querem desenvolver portos e o transporte marítimo.

O projeto também enfrenta oposição de ambientalistas. Deborah Weinberg

UOL Cursos Online

Todos os cursos