Proprietários voltam para descobrir extensão da devastação do incêndio

Matthew Garrahan

Os bombeiros começaram a controlar os focos de incêndio que devastaram grandes partes do sul da Califórnia na sexta-feira, permitindo a algumas pessoas retornarem aos seus lares para avaliar os danos às propriedades.

Os ventos Santa Ana, que ajudaram a espalhar os incêndios, diminuíram, permitindo aos bombeiros conter alguns dos piores focos.

O estádio Qualcomm em San Diego, que normalmente recebe os jogos de futebol americano do San Diego Chargers, abrigava quase 15 mil pessoas evacuadas durante a semana. A previsão era de que o centro de desabrigados seria fechado na sexta-feira à medida que as pessoas retornassem aos seus lares.

John Gress/Reuters 
Bombeiros fazem trabalho de rescaldo em trecho de floresta na Califórnia

O número de mortos nos incêndios cresceu após quatro corpos carbonizados terem sido encontrados no sul de San Diego, perto da fronteira mexicana. A área onde os corpos foram encontrados fica próxima de uma travessia usada por imigrantes ilegais e parecia ser um campo de imigrantes, disseram as autoridades.

Cerca de 1.600 casas foram destruídas pelo fogo, que queimou quase 1.800 quilômetros quadrados por todo o Estado, colocando enorme pressão sobre os saturadas corporações de bombeiros de San Diego, Orange County e Los Angeles.

Apesar da Califórnia ter sofrido de uma confluência de tempo excepcionalmente seco e ventos Santa Ana, foram questionadas as regras de planejamento que permitem que pessoas construam casas em áreas de risco de incêndios florestais.

"Em termos de desenvolvimento (imobiliário) nós temos muita dificuldade para dizer 'não'", disse Travis Longcore, professor-pesquisador assistente de geografia da Universidade do Sul da Califórnia.

"Não há uma autoridade central forte de planejamento que cuide destas áreas e diga: 'Esta é uma área de risco. Não é permitido construir aqui'. Nós construímos muitas casas em áreas que são perigosas e transferimos o custo de tal risco ao restante do Estado. As pessoas que de fato assumem o risco (de viver nestas áreas) nunca arcam com os riscos."

Uma ação apropriada para impedir que as chamas se espalhem "exigiria que as pessoas mudassem seus telhados, não terem varandas de madeira e deixarem áreas de pelo menos 9 metros ao redor de suas casas. Mas as pessoas consideram isto uma violação de seus direitos de propriedade."

Os californianos, ele acrescentou, "desenvolveram um forte senso de independência e direitos de propriedade".

Enquanto equipes de bombeiros exaustas lutavam por dias para conter as chamas, alguns dos moradores mais ricos do Estado tinham suas casas protegidas por equipes privadas de combate a incêndios, pagas por seguradoras como o American Insurance Group (AIG).
CALIFÓRNIA EM CHAMAS
Robyn Beck/ AFP - 24.out.2007
Bombeiros tentam conter incêndio em Jamul, Califórnia
FOGO E IMIGRAÇÃO ILEGAL


O AIG enviou unidades especializadas a Malibu e outras áreas ricas, onde borrifaram retardante de fogo sobre casas e vegetação para impedir que as chamas se espalhassem. Elas protegiam as casas pertencentes a ricos do grupo de clientes privados da seguradora, que pagaram por seguros especiais contra incêndio que dão direito ao serviço.

Mas vários focos de incêndio continuavam queimando fora de controle na sexta-feira, com um ameaçando o Observatório Palomar. O observatório, lar do maior telescópio do mundo quando foi inaugurado em 1908, é operado pelo Instituto de Tecnologia da Califórnia.

As chamas também chegaram perigosamente próximas da usina nuclear de San Onofre, no norte do condado de San Diego. A certa altura nesta semana, as chamas podiam ser vistas em uma colina a poucas centenas de metros dos dois reatores, que ficam localizados na costa do Pacífico, apesar das autoridades terem dito que a usina nunca correu risco.

As seguradoras disseram que ainda é cedo demais para avaliar o impacto financeiro dos danos causados pelos incêndios.

"Com a escala da evacuação nós não teremos uma idéia do nível de danos até que as pessoas possam voltar e avaliar suas propriedades", disse Roger Wildermuth da USAA, que fornece seguro para membros das forças armadas americanas e suas famílias. "Tão logo começarmos a receber tais avaliações nós poderemos dar início à recuperação." George El Khouri Andolfato

UOL Cursos Online

Todos os cursos