Clientes do Safra receberam oferta de compensação por caso Madoff

Jonathan Wheatley
Em São Paulo

Clientes do Grupo Safra receberam oferta de compensação para o dinheiro que eles perderam no suposto esquema Ponzi de US$ 50 bilhões conduzido pela Bernard Madoff Investment Securities.

O Grupo Safra, que inclui um dos maiores bancos do Brasil e significativas operações de bancos privados nos EUA e na Europa, negou que tenha negociado qualquer fundo Madoff, e diz que só colocou dinheiro em fundos investindo na Bernard Madoff Investment Securities quando solicitado por seus clientes internacionais fora do Brasil.

No entanto, investidores e seus advogados contaram ao "Financial Times" que os representantes do Safra nos EUA e na Europa venderam ativamente um fundo chamado Zeus Partners Limited para clientes no Brasil e em outros lugares da América Latina.

O fundo Zeus é uma empresa das Ilhas Virgens Britânicas controlada pela SIAM Capital Management of Bermuda. Sua custódia é do Banque Jacob Safra (Gibraltar) Limited, parte do Grupo Safra.

As pessoas inteiradas da situação disseram que os representantes do Safra nos EUA e na Europa estiveram na América Latina pelo menos nas últimas três semanas, fazendo ofertas verbais para investidores no fundo Zeus. Eles disseram que os representantes estavam oferecendo aos clientes o valor de seu investimento inicial em títulos permanentes, pagando juros de 2% ao ano, e a oferta valia, portanto, cerca de 30% do valor dos investimentos iniciais.

Um advogado representando alguns investidores do Zeus disse que eles "não estavam felizes, para dizer um mínimo".

O Banco Safra de São Paulo não fez nenhum comentário ontem (10).

A oferta do Safra parece com uma oferta feita pelo Santander da Espanha para seus clientes que investiram em fundos Madoff, envolvendo também garantias perpétuas de 2% ao ano. No entanto, os investidores de Zeus disseram que a oferta do Safra estava sendo feita verbalmente, então os detalhes precisos da oferta eram difíceis de se avaliar.

Bancos e gerentes de investimento estão se sentindo sob pressão para compensar clientes que tenham perdido dinheiro com a suposta fraude de Madoff. O Banco Nacional do Kuwait devolveu US$ 50 milhões para investidores e o Celfin Capital, um banco no Chile, está devolvendo cerca de US$ 11 milhões para cerca de 100 clientes - o valor total de seus investimentos iniciais.

O Grupo Safra vendeu alguns fundos "feeder" de Madoff, como Fairfield Sentry and Kingate Global, que declarou claramente que eles alocariam ativos no Bernard Madoff Investment Securities. Ainda que a descrição do fundo Zeus possua diversas marcas dos fundos de Madoff, incluindo a agora famosa estratégia "split-strike conversion" supostamente empregada por Madoff, ela não faz menção a ele ou a sua empresa.

Advogados disseram que muitos investidores somente descobriram que o Zeus estava investindo em fundos Madoff após a prisão deste em dezembro.

Tradução: Lana Lim

UOL Cursos Online

Todos os cursos