Sol, mar e luxo aguardam os líderes mundiais em sua próxima reunião na Itália

Guy Dinmore

Das docas de Londres para a Costa Esmeralda. Os líderes do G20 podem começar a colocar na mala seus fraques e snorkels para sua próxima e mais glamorosa reunião de cúpula, quando serão recebidos em um cruzeiro e possivelmente entretidos em uma mansão privada de Silvio Berlusconi, primeiro-ministro bilionário da Itália.

A logística é um pesadelo - "é como fazer uma mini-Olimpíada", descreveu uma alta autoridade sobre a reunião de cúpula de três dias em julho, envolvendo ao menos 30.000 pessoas em torno da ilha de Maddalena, ao norte da Sardenha.

Após os confrontos em Londres - e com a memória dos protestos antiglobalização em Gênova em 2001, quando a polícia italiana matou um manifestante - as forças de segurança devem ser reforçadas de 16.000 para 20.000, o dobro do número empregado em Londres. Submarinos, varredores de minas e zonas livres de voos também vão criar um colchão de segurança.

Apesar de, estritamente falando, ser uma reunião de cúpula do Grupo dos Oito, as adições significam que, dos líderes que se reuniram nesta semana em Londres, apenas Argentina, Arábia Saudita e Turquia não estarão presentes na Sardenha. Estará presente também Hosni Mubarak, do Egito - pessoalmente convidado por Berlusconi - e mais o coronel Muamar Gadafi, da Líbia, como presidente da União Africana, que como sempre trará sua própria tenda.

Um centro de conferência e dois hotéis estão sendo construídos em edifícios antigos. "Estamos começando do zero", disse a alta autoridade. Os organizadores teriam escolhido um local mais fácil, mas este já tinha sido selecionado pelo governo anterior, de centro-esquerda.

Felizmente, outro bilionário italiano, Gianluigi Aponte, proprietário da linha de cruzeiros MSC, ofereceu de graça o maior cruzeiro de luxo da Europa, o La Fantasia, para cerca de 1.300 VIPs. Do tamanho de três campos de futebol, o navio vai atracar na ilha próxima de Santo Estefano.

"Você será mimado como um astro... pode fechar os olhos e escapar", com ambientes aconchegantes para os "momentos doces e ainda assim sedutores", diz um vídeo promocional da MSC.

O La Fantasia também tem um teatro com 1.700 lugares, 145 fontes musicais iluminadas e - para aqueles que ainda não fritaram as fortunas mundiais - um cassino.

O presidente Barack Obama, cujos assistentes insistem que ficará em terra firme, será poupado de um lembrete inconfortável da indústria de carros americana no formato de um Cadillac que atravessa a parede do café texano-mexicano do La Fantasia.

Guido Bertolaso, o faz-tudo do governo responsável pela logística, está procurando mais navios para hospedar os 4.500 repórteres que ficarão em Olbia, a 50 km de Maddalena. Não está claro se alguns terão acesso ao local da reunião.

Diplomatas em recente missão de reconhecimento ficaram agradavelmente surpresos e concordaram com as declarações de Bertolaso de que os planos estão avançando. Eles também ficaram encantados com a costa e as águas cristalinas.

Berlusconi está ansioso em oferecer ao menos um jantar em sua Villa Certosa, a cerca de 30 km de Maddalena. Uma autoridade descartou essa possibilidade. Diplomatas disseram que ainda é uma possibilidade.

Mais do que a logística, alguns diplomatas disseram que sua maior preocupação era a "ostentação" de Berlusconi, famoso por suas piadas estranhas e travessuras.

Em Londres, Berlusconi, satisfeito, inseriu-se entre Obama e Dmitry Medvedev, da Rússia, para a foto grupal, demonstrando novamente sua ambição de ser seu interlocutor.

Os italianos oscilaram entre divertidos e chocados pelas cenas que capturaram Berlusconi gritando "Senhor Obama!", após a fotografia no Palácio de Buckingham, levando a Rainha Elizabeth a virar-se e perguntar: "Por que ele tem que gritar?"

Tradução: Deborah Weinberg

UOL Cursos Online

Todos os cursos