Número de novos assinantes de celular tem queda acentuada

Paul Taylor Em Nova York (EUA)

O número de novos assinantes de telefonia móvel no mundo caiu acentuadamente no quarto trimestre de 2008 e o crescimento dos lucros com transmissão de dados parou pela primeira vez, fornecendo novas evidências do impacto da retração econômica global no setor de telecomunicação.

O declínio na receita com a transmissão de dados é particularmente preocupante para a indústria porque a maior parte dos operadores de redes, especialmente os que estão em mercados mais maduros e desenvolvidos, estavam contando com o crescimento dos serviços de dados, com o uso da Internet e downloads de multimídia, para contrabalançar a falta de crescimento ou declínio dos lucros com o tráfego tradicional de voz.

Os números compilados pela Informa Telecoms & Media, uma empresa de consultoria de telecomunicações com base em Londres (Inglaterra), mostra que o total de novos assinantes de um determinado serviço de telefonia móvel caiu 15%, para 162 milhões, no último trimestre de 2008.

Tradicionalmente, o quarto trimestre é o mais forte do ano, mas em 2008 foi o mais fraco. Apesar disso, no final de 2008, havia quase 4 bilhões de assinantes ativos de celulares no mundo todo - um índice de penetração de 58%.

A região que mais sofreu durante o quatro trimestre foi o Pacífico Asiático, com 68,7 milhões de novos assinantes, uma queda em relação aos 87,6 milhões anteriormente. Foi o mais fraco crescimento trimestral na região em sete trimestres.

Alguns dos mercados de maior crescimento em telefonia celular do mundo - Indonésia, Paquistão, Bangladesh e Filipinas - foram particularmente atingidos, enquanto o crescimento também caiu fortemente na Europa, América do Norte e América Latina. O Oriente Médio e a África, onde a percentagem da população com telefone celular ainda é de apenas 38%, provou-se relativamente resistente.

Nick Jotischky, principal analista da Informa, disse: "Temos que levar em conta o impacto da saturação do mercado e a recente reestruturação do maior mercado de telefonia móvel do mundo, a China, que provocou uma desaceleração temporária no crescimento."

De acordo com os números da Informa que constam do relatório trimestral da empresa, a receita não associada à voz caiu 0,1% entre o terceiro e o quarto trimestres, para US$ 48,9 bilhões (cerca de R$ 100 bilhões), enquanto havia crescido 5% durante o terceiro trimestre.

Os dados da Informa sugerem que muitos operadores na Alemanha, Reino Unido e Itália estão vivenciando uma desaceleração no crescimento dos serviços não associados à voz enquanto parte dos operadores do Pacífico Asiático estão vendo uma queda no consumo.

Tradução: Deborah Weinberg

UOL Cursos Online

Todos os cursos